Coluna

Radicais e livres: Eles não envelhecem sua pele!

Na semana passada, falei sobre uma galera da “Pebas Inline”. Para essa semana, eu conversei com um pessoal que já está voando! Além de serem livres em cima dos patins, essa galera é radical;

Quando decidi mostrar um pouco desse esporte, não fazia ideia do quanto as pessoas se divertem e são unidos em um ajudar o outro, mesmo sem se conhecer;

Existem diversas modalidades vinculadas aos patins como: patinação artística, patinação de velocidade, patins radical, hóquei tradicional e Inline e os esportes realizados no gelo como: hóquei no gelo, patinação artística, curling, bobsled, entre outras modalidades que tem semelhança com esse esporte.

O Grupo de Patinadores “Urban Freestyle” surgiu a quase 4 anos, a partir do estilo que eles já estavam praticando, um estilo mais livre, de rua. Alguns patinadores costumavam se reunir para praticar esse esporte na rua, por isso surgiu o nome vindo de uma ideia um pouco mais ‘descolada’.

O objetivo principal do grupo é incentivar outras pessoas a praticar o esporte e já estão treinando para competições futuramente.

Nessa minha conversa com o grupo de patinadores, fiquei sabendo da existência da ASSERPA Associação de Esportes Radicais e Praticantes de Parauapebas que possui 2 anos de fundação. Recentemente, a associação está trabalhando fortemente para unir praticantes alguns esportes como: Moto Wheeling, Motocross, Velocross, Bmx Freestyle, Patins, Skate, Slackline, Drift Trick para que juntos busquem espaço e incentivo para que mais pessoas possam realizar esses esportes dentro do município.

Para falar um pouco mais sobre ser radical, trago a história do Adailton Tomé, mais conhecido como Paulista dos Patins, é engenheiro de vendas em sistemas elétricos e pratica esse esporte a 25 anos.

Ele está morando na cidade apenas 1 ano, vindo de São Paulo, sempre que viaja para outras cidades, leva seus patins para andar nas ruas. Em nossa cidade não foi diferente, ele procurou já se “enturmar” com outros patinadores e foi assim que conheceu o grupo. Paulista comenta “Aqui na quadra, quando cheguei aqui tinha várias pessoas que não andavam, ficava só olhando e a gente acabou convencendo e mostrando que é legal andar e a única coisa que a gente sente falta aqui é um espaço apropriado para patinação, até porque tem muitas crianças e temos que dividir a rua com carros e motos e alguns motoristas não tem consciência que isso é um esporte”. Ele relatou que gostaria que Parauapebas tivesse espaço e mais eventos voltados para a patinação, e para o esporte de maneira geral, porque esporte é saúde.

Ao final, Paulista comenta para que as pessoas que tem seus patins guardados, tirem do guarda roupa e vão conhecer o grupo e aqueles quem ainda não tem, mas que tem vontade de aprender, podem estar conhecendo e tentar dar seus “primeiros passos” nesse esporte. “Já ouvi de várias pessoas que não patinavam e que estão no percurso com a gente, que relatam uma sensação de liberdade quando estão andando sozinhas”.

Essa paixão pelos patins muda a vida de tantas pessoas, inclusive alguns números da balança, como é o caso da Laura Carme dos Santos Moura de 39 anos, é funcionária pública e está no grupo a 7 meses. Ela e seu marido sempre viam o grupo enquanto faziam sua caminhada. Após conhecer e conversar com os participantes, ela voltou a praticar o esporte que já não fazia desde os seus 15 anos de idade. “É gostoso, ajuda perder peso, ajuda soltar a adrenalina, eu gosto muito desse grupo”. Laura comenta que eles vieram de uma cidade que tinha um espaço apropriado para o esporte, por isso, eles sentem falta de um local adequado. Como Laura e sua família mudaram para Parauapebas, ela sentiu falta dos amigos e foi no grupo que ela pode fazer novas amizades e é claro cuidar da saúde “Patinar é muito bom, me ajudou a emagrecer muito, a gente se ‘enturma’ com as pessoas, porque quando eu cheguei aqui eu estava muito deprimida que não tinha amigo, eu conheci mais pessoas, fiz amizades e estamos a família toda aqui patinando” finaliza Laura.

Assim como os kit de proteção são essenciais para uma pratica segura, sair pela rua sem uma devida preparação também não é uma boa escolha, principalmente se na sua cidade existe um grande fluxo de carros e motos.

O grupo tem plena consciência de orientar sobre esses cuidados básicos. Por isso, os percursos são realizados apenas por patinadores mais experientes e em locais menos movimentado. A medida que os ‘novatos’ vão ganhando experiência, o grupo conduz eles para o percurso na rua, assim, a pratica se torna um desafio.

Para quem mora em Parauapebas e região e gostaria de conhecer o grupo e sentir a emoção de praticar esse esporte, o grupo reúne os participantes nas terças e sextas feiras a partir das 20:30h na quadra esportiva na Cidade Nova, bem próximo da Portaria. Caso, prefira ligar ou mandar uma mensagem, (94) 98114-5935 e converse com o Edivaldo ou (94) 99166-0148 com DJ Junior. Para as pessoas de outras cidades, deixem um comentário falando de como é a pratica dos patins aonde você mora!

Não esqueça de deixar sua sugestão de conteúdos nos comentários abaixo ou pelo WhatsApp (94) 992403589!

Ótima semana a todos!

Deixe seu comentário