Parauapebas

Pedreiro assassinado com facadas no peito em Parauapebas

Nos últimos momentos de vida, o rapaz ainda conseguiu dizer que sua morte foi causada por rixa. Há um mês ele havia se envolvido em uma briga no Bairro Vila Nova

Foi sepultado nesta sexta-feira, 21, o corpo do pedreiro Adenilson da Silva Lima, 22 anos, natural de Santa Luzia (MA), solteiro. Ele foi assassinado na tarde ontem, quinta-feira (20), por um homem identificado apena como Lucas, que lhe aplicou três facadas no peito e fugiu. O crime aconteceu na Rua V-8, no Bairro Cidade Jardim, próximo de um açougue. Já nos estertores da morte, Adenilson ainda conseguiu pronunciar a palavra “rixa”, como a explicar o motivo do crime.

O pedreiro ainda chegou a correr e, em desespero, invadiu o apartamento de Maria Helena Silva Lima, onde jogou-se sobre um colchão clamando por socorro e pedindo que orassem por ele. Fato testemunhado pela dona do conjunto de quitinetes, Doraildes Ribeiro dos Santos.

O rapaz ainda chegou a ser atendido por uma ambulância do Samu e removido à UPA do Cidade Jardim, mas não resistiu ao sofrimento e morreu logo após dar entrada na unidade de saúde.

O também pedreiro Renato Silva Lima, 26 anos, irmão de Adenilson, disse em Termo de Declaração na 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil, que o rapaz vinha sendo ameaçado de morte fazia um mês, após se envolver em uma briga no Bairro Vila Nova.

Contou ainda que o irmão ganhava a vida fazendo biscates, mas “mexia com coisas erradas” e usava entorpecentes, lembrando que, quando adolescente, Adenilson Lima, chegou a ser apreendido pela polícia acusado de tráfico de drogas.

Por Eleuterio Gomes – de Marabá

Deixe seu comentário