Trecho da Faruk entre Rua A e delegacia, em Parauapebas, vai ganhar ciclovia

Hoje, ciclistas e até transeuntes disputam o meio da rua com frota de quase 100 mil veículos, 34 mil deles motocicletas. Obras de infraestrutura vão atender a um quilômetro da via.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

No dia 1º de julho, uma segunda-feira, serão abertas as propostas de empresas interessadas em pegar o contrato da Secretaria Municipal de Obras (Semob) para resolver uma demanda antiga de transeuntes e ciclistas que se espremem entre os milhares de veículos que circulam diariamente pela Rodovia Faruk Salmen. Por R$ 2.154.432,77, as concorrentes vão disputar a execução de serviços de drenagem, construção de calçada padronizada e ciclovia no trecho da rodovia entre a Rua A e a delegacia de polícia, em Parauapebas.

Cerca de 1.000 metros de via, lateralmente, vão ganhar infraestrutura e acessibilidade para melhorar o tráfego da população. Para a Semob, o trânsito intenso de pessoas no perímetro, que é densamente marcado por imóveis comerciais, exige uma ginástica do poder público para garantir segurança, fluidez e melhorar a qualidade de vida de todos.

De acordo com o secretário Wanterlor Bandeira, a medida vai beneficiar sobretudo as pessoas com limitações na marcha, como idosos e deficientes físicos. “Sabemos das dificuldades que uma parcela da população enfrenta hoje no que diz respeito à mobilidade, em razão, muitas das vezes, da despadronização de calçadas e passeios públicos. Queremos resolver esse problema, principalmente num perímetro de tamanha movimentação humana, como a Faruk Salmen”, esclarece o secretário.

Aos ciclistas, a ideia é criar ciclofaixas. Em Parauapebas, não são raros os incidentes envolvendo quem anda de bicicleta com motoqueiros e motoristas. A frota motorizada local, que deve romper a marca de 100 mil veículos até o final do ano, muitas vezes empurra impiedosamente o ciclista para as calçadas à ausência de espaços adequados para quem pedala. Atualmente, 27 mil carros de passeios e 34 mil motos, entre outros veículos, disputam lugar nas ruas e avenidas de Parauapebas com as bicicletas. “A obra vai ajudar a organizar esse trecho crítico da Faruk Salmen e desmarginalizar quem anda de bicicleta, além de minimizar riscos de acidente”, destaca Bandeira.

Publicidade