Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Justiça

Voz ao leitor

Confira o que pensa o leitor José Sena sobre a soltura dos presos da "Operação Quinta Parte", deferida pelo TJPA

O comentário abaixo, de José Sena, foi colhido na postagem Justiça impõe medidas cautelares a investigados na Operação Quinta Parte, realizada em novembro passado no Pará , sobre a liberação dos acusados de desvio na Secretaria de Fazenda do Estado do Pará. Confira o que diz o leitor:

“Verifica-se que os crimes imputados aos pacientes não foram cometidos com violência e/ou grave ameaça à pessoa, bem como que os crimes foram praticados em virtude do cargo público…”

É de sentir vergonha quando se lê o despacho de uma magistrada, e saber que os Desembargadores do TJPA concordam, que os crimes cometidos pela “organização criminosa” que “não foram cometidos com violência e/ou grave ameaça à pessoa” e merecem tratamento diferente dos demais criminosos, ou seja, ficarem soltos, recebendo seus proventos e tudo bem…

Mas Desembargadores, o fato de terem surrupiado milhões de reais do erário público, não é violência? Impedir o cidadão e a sociedade de ter acesso a benefícios sociais como a saúde, a educação, a segurança pública, etc., por atos corruptos, não é violência?

Nós cidadãos comuns perguntamos: o que é violência para a justiça? A imprensa escrita e televisa publicaram os bens milionários dos envolvidos na “organização criminosa”, que agora ficam “soltos” e podem até fugir das penas, e a sociedade fica “chupando o dedo”…

É por isso que os brasileiros estão enfrentando a maior crise moral e ética de todos os tempos. Isso não só envergonha, mas indigna…

Quando se vai dar um basta nessa ladroagem, quando se vai levar a sério o cidadão de bem?

É por decisões dessa natureza que mais protege o bandido e pune a sociedade que a justiça brasileira serve de chacota, como se diz, “a justiça não é cega, é paga para não ver!

Marabá

Secretário vai propor que Vale reveja decisão que deixou Marabá sem show do 25º Prêmio da MPB

O post “Marabá não receberá 25º Prêmio da Música Popular Brasiliera esse ano”, publicado há pouco, colheu pertinente comentário do Secretário de Cultura de Marabá, Sr. Cláudio Feitosa. Insatisfeito com o fato, Feitosa promete protestar para que a Vale reveja os locais onde acontecerão os shows do 25º Prêmio da Música Popular Brasileira. Confira o que disse o secretário:

Cláudio FeitosaEsse prêmio consome 20 milhões em incentivo fiscal. Serve basicamente pra que uns 50 músicos conhecidos falem bem da Vale. Os burocratas ficam no Rio de Janeiro decidindo coisas da produção cultural, só com a visão de marketing. É nisso que dá!

Estamos oficializando nossa discordância, deixando claro que sempre que a Vale se propõe a nos ajudar, aplaudimos. Mas, não deixamos por menos, quando nossos interesses são contrariados. Sobretudo quando nos deparamos com esse tipo de postura que denota total insensibilidade. Vamos propor à Vale que reveja essa decisão. Belém e São Luís só ficam com os bônus da mineração.

Direto à lixeira.

Aviso aos navegantes que insistem em publicar na caixinha de comentários palavrões, insinuações de enriquecimento ilícito, denúncias de fraude sem as devidas provas, calúnias e difamações. Todas elas serão moderadas e encaminhadas diretamente à lixeira. Não percam o seu tempo.

Este Blog é democrático e dá o direito ao contraditório, sempre! Todavia, este deve ser feito de forma educada e sensata. Se o Blogger começar a publicar todo e qualquer comentário sem o crivo da moderação, este não fará outra coisa a não ser responder centenas de processos que certamente os ofendidos irão impetrar contra o mesmo. Infelizmente não tenho recursos para pagar minha defesa.

Dizer nos comentários que A, B ou C é ladrão, desonesto, tem má índole até poderá ser feito como forma de desabafo pessoal e o Blogger está disposto a recebê-los, lê-los e descartá-los. Mas, se quer vê-los publicados, envie junto as provas por e-mail.

Portanto, usem do bom senso ao fazer críticas a quem quer que seja. As vezes sabemos de coisas do arco da velhas, mas não temos como prová-las. Em assim sendo, o melhor a fazer é nos calar.

Fiquem na paz!

Voz ao leitor

Post “Vanzeiros querem majorar tarifas em Parauapebas” colheu o seguinte comentário:

Precisa melhorar muita coisa nesse “transporte coletivo”. Eles não podem aumentar a passagem sem autorização da prefeitura. Segundo, as vans estão sucateadas, quentes, muitos motoristas e cobradores são grossos, mal educados. Mas as condições de trabalhos para esses profissões também são degradantes. Passar o dia inteiro dirigindo uma van quente, desconfortável, estressa qualquer ser humano, portanto, eles também merecem melhores condições de trabalho.

Parauapebas

Parauapebas: ASCOM responde demanda sobre piso salarial dos professores da rede municipal

A caixinha de comentários do Blog colheu o comentário abaixo que mencionou sobre o piso salarial dos professores da rede pública municipal de ensino:

O piso salarial pros professores foi amplamente divulgado nacionalmente. Cabia ao senhor Raimundo NOTA 10 Neto e aos iluminados estrategistas do “Governo Cidadão” capturar esse assunto e imediatamente divulgar adesão do governo Darci ao novo contexto. Mas pra minha decepção hoje no LibCidade ( Jornal veiculado na TV Liberal em Parauapebas) ouço o repórter anunciar que o governo vai estudar o assunto pra ver se tem viabilidade econômica…Brincadeira!!!

A Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Parauapebas, em resposta ao comentário, enviou a seguinte nota de esclarecimento:

Com relação à demanda sobre o pagamento do piso salarial aos professores da rede pública municipal de ensino, a Prefeitura Municipal de Parauapebas esclarece:

O piso salarial dos professores pertencentes à rede pública municipal de ensino, está ACIMA DO PISO NACIONAL estipulado pelo Ministério da Educação (MEC) para 2012, antes mesmo de o novo piso ser anunciado.

A lei determina que nenhum professor da rede pública pode receber menos de R$ 1.451,00 por uma jornada de 40 horas semanais (que corresponde a 200 horas mensais). Os professores da rede pública municipal de ensino de Parauapebas recebem R$ 2.874,18 por uma jornada de 200 horas mensais. O que corresponde a aproximadamente 198% DO PISO NACIONAL FIXADO PARA 2012. Informamos ainda que o valor de R$ 2.874,18 sofrerá reajuste no mês de maio e, assim, os professores receberão mais que o dobro do piso nacional fixado para este ano.

A Prefeitura tem agido de forma a melhorar as condições de trabalho dos professores e, consequentemente, a qualidade do ensino no município, que já tem índices de educação superiores ao do estado e à média nacional, como é o caso do IDEB, por exemplo. Uma ação importante que está em curso é a doação de um notebook para cada professor da rede, o que irá conectá-los à era digital, dinamizando as aulas e facilitando as atividades extra-classe .

Homenagem à Belém

Bom Dia, Belém

Há muito que aqui no meu peito murmuram saudades azuis do teu céu
Respingos de orvalho me acordam luando telhados que a chuva cantou
O que é que tens feito, que estás tão faceira, mais jovem que os jovens irmãos que deixei
Mais sábia que toda a ciência da terra
Mais terra, mais dona, do amor que te dei
Onde anda meu povo, meu rio, meu peixe
Meu sol, minha rede, meu tamba-tajá
A sesta, o sossego na tarde descalça
O sono suado do amor que se dá
E o orvalho invisível da flor se espalhando cantando cantigas e o vento soprando
Um novo dia vai enunciando, mandando e cantando cantigas de lá

Me abraça apertado que eu vou chegando
Sem sol e sem lua, sem rio e sem mar
Coberta de neve
Levada no pranto dos rios que correm cantigas no ar
Onde anda meu barco de vela azulada
De foi de panada sumindo sem dó
Onde anda a saudade da infância na grama
Dos campos tranquilos do meu Marajó
Belém, minha terra, meu rio, meu chão
Meu sol de janeiro a janeiro, a suar
Me beija, me abraça que eu quero matar a imensa saudade que quer me acabar
Sem círio de virgem, sem cheiro cheiroso
Sem a chuva das duas que não pode faltar
Murmuro saudades de noite abanando
Teu leque de estrelas
Belém do Pará!

Por Gleydson Paixão, leitor do Blog

Notícias

Juíza comenta o desejo de criação do Estado do Carajás

A paraense Eline Vieira (foto), juíza de direita da Comarca de Parauapebas comenta sobre as manifestações a respeito das criações dos Estados de Carajás e Tapajós:

Fico muito preocupada com o rumo da campanha pró-Carajás, leio as pessoas se manifestando pela redivisão, apenas pela razão de que o sul e sudeste foi “colonizado” por goiano, mineiro, gaúcho, paulista e etc.

Ora, não é esse o objetivo e necessidade da redivisão do Estado.

Pouco importa se sou catarinense, paranaense, mineiro, ou se não torço pro Paysandu ou Remo, e daí?.

Sou paraense, torço pro Remo, mas também pro Botafogo do Rio de Janeiro, Palmeiras de São Paulo, e tenho simpatia pelo Internacional e o Cruzeiro.

Não passa por essas argumentações a razão da necessidade de redivisão do Estado.

Se assim o fosse, francamente, seria a primeira a ser contra a redivisão.

No passado a Turquia recebeu e abrigou os Curdos nas suas fronteiras em face da limpeza étnica que o Iraque de Saddam Hussein estava fazendo, exterminando com armas químicas os Curdos, e os que sobreviviam eram mortos se fossem homens, estupradas se fossem mulheres e crianças. Agora os Curdos estão pleiteando parte das terras da Turquia para formar um país deles.

Será que é essa a razão por que queremos a redivisão?

Discussões nesse sentido só enfraquecem a defesa da causa, afastando os muitos paraenses que a apóiam.

Irrelevante se a relação é mais estreita com outros Estados e não com Belém.

As cidades do sul e sudeste cresceram à despeito da ausência do Estado, aos trancos e barrancos, agora somos os “filhos ricos” do Pará, ao contrário do que ocorreu no Tocantins que era o “filho pobre” e portanto, foi mais fácil a sua criação, no seu inicio, houve uma debandada do servidores públicos do Estado de Goiás, muitas dificuldades, mas superadas.

No meu pensar, o que queremos é a presença constante do Estado, o retorno dos impostos pagos em estradas decentes, hospitais, escolas, universidades e segurança, itens raros por estas bandas.

Devemos esquecer de onde somos, nos focarmos no que queremos, não vamos criar ou recriar novos Goiás, Minas, Tocantins ou Maranhão, queremos um novo estado, o estado de Carajás.

É como penso.

Eline Vieira, paraense.

Diretamente para lixeira

Alguns comentaristas, não sei ao certo, mas creio serem aspirantes a delegado federal, estudantes de direito já com o objetivo de se tornarem promotores ou juízes, sei lá, acham que vão virar autoridades e, para tanto, já usam o poder da caneta (aqui teclado) para disparar sentenças condenatórias contra personagens de algumas postagens.

Vamos combinar, manter a linha nos comentários é sinal de sabedoria.

Dizer anonimamente que fulano é ladrão, corrupto ou tentar ressuscitar reportagens de longos 15, 20 anos acusando A ou B, algumas já desmentidas, e achar que o Blogger vai postá-las não é sinal de inteligência. Usar o espaço democrático para denegrir a imagem de futuro candidato que ameaça o seu também não é legal.

Dou, a esses, um conselho: traga para o debate os motivos pelo quais devemos votar no seu candidato. Sem essa de dizer apenas que o outro é isso ou aquilo, verdadeiras tentativas de “quanto pior melhor”. O seu é melhor, ótimo, mostre-nos porque!

Comentários como os acima citados têm caminho certo, a lixeira! Os leitores, e o Blogger agradecem!