Canaã dos Carajás

Canaã dos Carajás tem 64% de crescimento no número de ligações de energia elétrica

Município — que IBGE jura de pés juntos não ter 40 mil habitantes — dá uma surra em lugares com mais de 100 mil moradores quando assunto é a quantidade de unidades consumidoras.

Um dos indicadores paraoficiais de aumento no número de habitantes dos municípios pode ser expresso por meio das unidades consumidoras de energia elétrica de clientes residenciais nas áreas urbanas. E nesse quesito Canaã dos Carajás está no pelotão de frente do Pará por apresentar, entre 2014 e 2018, avanço de 64% na quantidade de consumidores residenciais, atrás apenas da taxa de crescimento de Chaves (94,3%), Almeirim (85,2%) e Anapu (73,9%).

As informações foram levantadas com exclusividade pelo Blog do Zé Dudu, que observou os números consolidados de 2018 da Celpa dispersos no Anuário Estatístico do Pará 2019, organizado pela Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas (Fapespa). A cidade de Canaã viu o número de unidades consumidoras pular de 12,4 mil para 20,4 mil em apenas quatro anos.

Canaã tem hoje o 18º maior número de consumidores residenciais de energia entre os 144 municípios paraenses, embora o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) ínsita em dizer que o tamanho da população é apenas a 61ª no ranking. É um número de consumidores de energia tão grande que bate o de lugares ditos com mais de 100 mil habitantes, como Cametá, Tailândia, Breves e São Félix do Xingu.

Os dados da Celpa reforçam a constatação de que os números do IBGE para a “Terra Prometida” estão inteiramente fora da realidade. A prefeitura local, no entanto, tem apenas a semana que vem para se posicionar oficialmente contra a última estimativa populacional do instituto, que dá a Canaã apenas 37.085 habitantes.

Números do Pará

O Blog do Zé Dudu levantou que o Pará fechou o ano passado com 2,27 milhões de consumidores residenciais de energia, 20,8% a mais que em 2014, quando eram 1,88 milhão. As cidades com os maiores volumes de unidades consumidoras são Belém (501,8 mil), Ananindeua (182,6 mil), Santarém (100,1 mil), Marabá (93 mil), Parauapebas (85,7 mil), Castanhal (71,7 mil), Marituba (42,3 mil), Altamira (41,8 mil), Paragominas (34,5 mil) e Bragança (32,8 mil).

Em termos de crescimento líquido de 2014 para cá, as cidades de Belém (73,4 mil), Ananindeua (28,8 mil), Santarém (28 mil), Parauapebas (22,4 mil), Marabá (14,1 mil), Altamira (10,8 mil), Castanhal (9,8 mil), Marituba (8,8 mil), Canaã dos Carajás (8 mil) e Itaituba (7,3 mil) largam na frente.

Magalhães Barata foi a única cidade a apresentar decréscimo no número de consumidores residenciais de energia, despencando de 3.136 unidades em 2014 para 2.674 em 2018, o correspondente a 14,7% de retração. Já as cidades que crescem menos no estado foram Goianésia do Pará, que avançou apenas 2,33%; Curionópolis, 1,97%; e a lanterninha Portel, 1,91%.

O município com menos consumidores residenciais no Pará é Bannach, com 708 unidades. Não por acaso, é o menos populoso do estado. Confira o ranking preparado pelo Blog do Zé Dudu das 20 maiores praças de consumo de energia residencial no estado!

Deixe seu comentário