Josemira empenhou quase R$ 300 mi em urbanismo, mas buraqueira vence em Canaã

Desse montante, R$ 125 milhões foram liquidados, mas, a julgar pelas crateras que prejudicam e infernizam população, dinheiro tomou Doril: ninguém sabe, ninguém viu. E vêm mais gastos...

Continua depois da publicidade

INFRAESTRUTURA

A prefeita de Canaã dos Carajás precisa explicar à sociedade que “mágica” ela fez para autorizar o aumento de gastos com urbanismo e, ao mesmo tempo, fazer prosperar buracos e crateras na área urbana do município, que no ano passado, proporcionalmente ao tamanho da população governada, foi o que mais arrecadou no Brasil. A população de Canaã, particularmente quem mora na periferia, sofre com o descaso da administração local.

Uma reportagem da TV Correio (veja aqui) denunciou recentemente a situação vexatória e preocupante em que se encontram algumas vias públicas da cidade, cuja prefeitura embolsou no ano passado R$ 1,625 bilhão líquidos. Condutores de veículos rivalizam com buracos, pedestres encontram dificuldades com calçadas quebradas e matagal toma conta de várias partes da cidade. O cenário é de abandono.

A situação não poderia existir porque a prefeita Josemira Gadelha autorizou que R$ 288,018 milhões fossem empenhados em 2021 com a função de despesa “urbanismo”, dos quais R$ 124,861 milhões foram efetivamente liquidados e o restante, R$ 163,157 milhões, foram pedalados como “restos a pagar não processados” para serem pagos este ano.

Para se ter ideia do volume de recursos empenhados no “urbanismo de buraqueira” de Canaã dos Carajás no primeiro ano de governo de Josemira, é suficiente saber que o montante de R$ 288 milhões é uma caçamba de dinheiro maior que a arrecadação líquida inteira de 129 das 144 prefeituras paraenses. Nenhuma prefeitura do sul do Pará, nem Redenção (R$ 264,803 milhões) nem São Félix do Xingu (R$ 245,789 milhões), conseguiu arrecadar durante o ano inteiro o que Josemira autorizou gastar apenas com urbanismo ano passado.

Responda se puder

Mas onde foi parar tanto dinheiro empregado em urbanismo, se Canaã tem tanto buraco? Eis um dos mistérios da humanidade, e só mesmo Josemira Gadelha para detalhar, sem intermediários. A fonte de informação do valor empenhado de R$ 288 milhões é o próprio balanço da execução orçamentária do 6º bimestre entregue pela Prefeitura de Canaã dos Carajás aos órgãos de controle externo — aquele mesmíssimo que só foi dado publicidade no portal da transparência porque o Blog do Zé Dudu provocou, uma vez que o governo de Josemira estava há 40 dias em flagrante atentado à Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) e à Lei Orgânica do Município (LOM).

O balanço aponta que R$ 56,793 milhões foram empenhados na área de “infraestrutura urbana” e R$ 230,888 milhões, em “serviços urbanos”. Uma quantia de R$ 337 mil foi destinada a “demais subfunções”, dentro da função de despesa de urbanismo. Juntando toda essa montanha de empenhos, e mesmo apenas o que fora liquidado (cerca de R$ 125 milhões), seria possível praticamente tapar os buracos de Canaã dos Carajás com ouro, mas não é essa a realidade com que se depara o cidadão comum, que paga imposto e que, ainda assim, toma prejuízo no rali que se tornou trafegar por algumas ruas da Terra Prometida.

Dados do Impostômetro (acesse aqui) estimam que a população de Canaã dos Carajás tenha pago ao longo de 2021 cerca de R$ 204,746 milhões em impostos, quantia que daria para tapar todos os buracos da cidade e asfaltar o resto.

E o cidadão de Canaã precisa ficar atento: vêm mais gastos por aí. Na relação de projetos e atividades do orçamento pensado pela Prefeitura de Canaã para este ano há indicação de R$ 40,306 milhões para gastar com o programa “Asfalta Canaã”, outros R$ 35,194 milhões para manter vivo o referido programa e mais outros R$ 9,5 milhões a pretexto de construir e reformar pontes, galerias e aduelas no âmbito do “Asfalta Canaã”. Não é possível que com tanto dinheiro público em jogo os buracos não sejam tapados, mesmo porque a atual gestora recebeu de seu antecessor, Jeová Andrade, uma cidade com as finanças “bombando” e com infraestrutura invejável. Só falta disposição para o trabalho.

3 comentários em “Josemira empenhou quase R$ 300 mi em urbanismo, mas buraqueira vence em Canaã

  1. Simone Souza Dantas Responder

    300 Milhões? não foram realmente investidos nem 100 milhões, o resto tudo desviados para pagar propina a secretários e ao chefão, ROBERTO ANDRADE… Muito fácil roubar o dinheiro público pelo jeito… também todas as medições fraudadas pra justificar os pagamentos, fazem 30 atestam 100… Alô MPF, MPE, GAECO, POLICIA FEDERAL bora solicitar a quebra de sigilo das empresas que ganharam essas licitações de fachada para constatarem os vultuosos saques em espécies realizados nas contas correntes dessas empresas, justamente para pagar as propinas (taxa de retorno) aos camaradas. Cadeia Já!

Deixe seu comentário

Posts relacionados

%d blogueiros gostam disto: