Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Futebol

Águia tenta blindar jogadores que brilharam no Sub-17

Azulão alerta pais sobre empresários “oportunistas” e costura contrato com atletas destaques do Campeonato Paraense
Continua depois da publicidade

Depois de bater na trave e quase garantir uma vaga na “Copinha” São Paulo de Futebol Sub-17, o Águia de Marabá voltou seus olhares para o plantel e alertou os pais dos adolescentes a não aceitarem propostas de qualquer “oportunista” que chega oferecendo o que não pode cumprir.

A atitude da diretoria está ocorrendo porque a equipe Sub-17 alcançou sucesso na competição, ao vencer vários times do Estado, muitos deles por goleada e ainda reconquistar a torcida, que estava distante do Azulão em função da má campanha no Parazão dos últimos anos.

Na noite desta quarta-feira, 4, no auditório da Tratorpeças, a diretoria recebeu os jogadores que participaram da campanha desta temporada, seus pais e a Imprensa. Além da “rasgação de seda” para os atletas, o presidente Sebastião Ferreira Neto, o Ferreirinha, advertiu jogadores e familiares sobre o “bicho papão” chamado empresário que aparece nessas horas prometendo levar os adolescentes para um time de grande expressão nacional e depois só sobram sofrimentos para todos.

O presidente Ferreirinha agradeceu o trabalho realizado pela Comissão Técnica, em especial ao treinador Castanhal. Ele revelou que alguns jogadores devem ser chamados para compor o time principal para o Campeonato Paraense de 2019, e que estão viabilizando testes para alguns jogadores. “Ainda podemos formar um time para uma possível participação no Campeonato Paraense Sub-20, a partir de agosto próximo. Precisamos de um aporte financeiro, pois atualmente o clube não tem condições de arcar com os custos. Vamos conversar esta semana com o prefeito Tião Miranda para alinhar algumas questões”, disse.

O mesmo discurso foi adotado pelo vice-presidente do Águia, Pedro Corrêa, bastante contundente, e que falou em tom pedagógico sobre a importância de manter em torno do Águia, que é quem está abrindo as portas do futebol para eles. “Essa diretoria é séria, não usa de nenhuma atitude para prejudicar jogadores ou o futuro deles”, garantiu.

Corrêa lembrou que toda a cidade se engajou com o Sub-17, que empolgou mais a torcida do que o time profissional. “Quando o trabalho é bem feito, como agora, tem tudo para dar certo. A torcida manteve-se ao lado do time o tempo todo e isso foi determinante”, agradeceu Pedrinho.

O empresário Tarcísio Marques, também membro da diretoria do Águia de Marabá, foi mais firme nas palavras e disse aos jogadores e familiares que se caso avaliem que estão sendo tratados de forma indigna, que lhe procurem em seu escritório, que ele tomará as providências necessárias.

O técnico do time profissional, João Galvão, antecipou um dos nomes de uma lista que seis ou sete atletas que deverão figurar na equipe principal para disputar o Parazão 2019. O volante William Berg foi questionado pelo treinador se aceitaria jogar no time profissional. Com um sorriso maroto, disse que seria uma honra fazer parte do time A. “Perdemos no penúltimo jogo, mas não podemos desistir por uma derrota”, disse o garoto de 17 anos.

Por Ulisses Pompeu – Correspondente em Marabá

Deixe uma resposta