Júnior Rato encarna Usain Bolt, engata a 5ª e Águia despacha o Tapajós

Número de torcedores foi acanhado, mas o resultado foi o mais expressivo do Azulão nesta competição
Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on print
Imprimir

Continua depois da publicidade

Dizer que Júnior Rato correu o campo todo, o tempo todo, não é hipérbole. O atacante do Águia de Marabá encarnou o lendário Usain Bolt (corredor multicampeão de 100 metros rasos) e foi o grande destaque do Águia de Marabá no estádio Zinho Oliveira no confronto contra o Tapajós na noite deste sábado, dia 23 de fevereiro. Quando o juiz apitou o fim da partida, o placar assinalava 3 a 1 para o time da casa.

O camisa 11 do Azulão de Marabá marcou um gol, deu passe para outro e dominou as ações do meio para o ataque. Para mostrar o quanto ele estava “pilhado” no confronto, quando faltava um minuto para o término da partida, Rato deu um pique digno de Bolt do meio do campo, colocou a bola na frente do zagueiro e partiu como se o jogo estivesse apenas começando. Foi desarmado na grande área, é verdade, mas impressionou os torcedores e a diretoria do Águia pela entrega em campo em favor da equipe.

Maior do que o pique de Júnior Rato no jogo só mesmo o nome do árbitro da partida: André Michel Petri Galina Jânio Balzac Pereira. Sete. Isso mesmo, sete nomes. E por falar nele, o árbitro foi bem na partida. O lance mais difícil foi o pênalti, questionado no primeiro momento, mas depois as rádios confirmaram com imagens da TV.

Na entrevista coletiva após o jogo, Júnior Rato fez um discurso “batido” de jogador, mas reconheceu que correu bastante os 90 minutos e exaltou o espírito de equipe dos jogadores que entraram em campo. Mas é preciso reconhecer que o outro atacante, Ricardo Maranhão, também correu bastante, mas foi pouco efetivo e fominha quando poderia tocar a bola para o colega marcar.

O jogo, em si, foi dominado pelo Águia do começo ao fim, com melhor posse de bola e só levou o gol ainda no primeiro tempo por um vacilo de um zagueiro, que cometeu pênalti no atacante visitante.

O Águia marcou o primeiro gol ainda no primeiro tempo, com Tetê. Nos acréscimos, o Tapajós conseguiu empatar com um gol de pênalti de Mariano. No segundo tempo, Junior Rato e Andrei ampliaram para os donos da casa.

Com o resultado, o Águia de Marabá assume a vice-liderança do grupo A1 com 8 pontos. Já o Tapajós permanece na 4ª colocação do grupo A2, com cinco pontos. Na 7ª rodada, o Azulão recebe outro santareno, desta vez o São Raimundo, enquanto que o Tapajós volta para Santarém, onde enfrenta o Clube do Remo.

SEM TORCIDA, SEM PLACAS…

Sem a torcida que esperava (ou que havia comparecido aos outros dois jogos em casa nesta temporada), o Águia de Marabá também teve uma outra perda, mesmo ganhando o jogo. As placas de seus patrocinadores desapareceram do estádio e o vice-presidente do clube, Pedro Corrêa Lima, disse que na reunião que houve durante a última semana, em Belém, com representantes do Banpará e da Funtelpa, patrocinadores oficiais do Parazão.

Ficou definido que nenhuma equipe usará mais placas de patrocinadores locais nos estádios onde mandam os jogos. Por outro lado, esses mesmos patrocinadores vão aparecer nas transmissões da TV quando os jogos da equipe forem “televisionados”.

Sobre o pequeno número de torcedores, Pedro Corrêa reconheceu que o fato é lamentável, mas não culpou a torcida. Disse que ela vive em função de resultados e que a derrota para o Paysandu, na última quarta-feira, pode ter causado esse afastamento, mas que espera que o torcedor volte em peso na próxima quarta-feira, contra o São Raimundo.

Por Ulisses Pompeu – correspondente do Blog em Marabá

Publicidade

Relacionados