Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Futebol

Águia tenta blindar jogadores que brilharam no Sub-17

Azulão alerta pais sobre empresários “oportunistas” e costura contrato com atletas destaques do Campeonato Paraense
Continua depois da publicidade

Depois de bater na trave e quase garantir uma vaga na “Copinha” São Paulo de Futebol Sub-17, o Águia de Marabá voltou seus olhares para o plantel e alertou os pais dos adolescentes a não aceitarem propostas de qualquer “oportunista” que chega oferecendo o que não pode cumprir.

A atitude da diretoria está ocorrendo porque a equipe Sub-17 alcançou sucesso na competição, ao vencer vários times do Estado, muitos deles por goleada e ainda reconquistar a torcida, que estava distante do Azulão em função da má campanha no Parazão dos últimos anos.

Na noite desta quarta-feira, 4, no auditório da Tratorpeças, a diretoria recebeu os jogadores que participaram da campanha desta temporada, seus pais e a Imprensa. Além da “rasgação de seda” para os atletas, o presidente Sebastião Ferreira Neto, o Ferreirinha, advertiu jogadores e familiares sobre o “bicho papão” chamado empresário que aparece nessas horas prometendo levar os adolescentes para um time de grande expressão nacional e depois só sobram sofrimentos para todos.

O presidente Ferreirinha agradeceu o trabalho realizado pela Comissão Técnica, em especial ao treinador Castanhal. Ele revelou que alguns jogadores devem ser chamados para compor o time principal para o Campeonato Paraense de 2019, e que estão viabilizando testes para alguns jogadores. “Ainda podemos formar um time para uma possível participação no Campeonato Paraense Sub-20, a partir de agosto próximo. Precisamos de um aporte financeiro, pois atualmente o clube não tem condições de arcar com os custos. Vamos conversar esta semana com o prefeito Tião Miranda para alinhar algumas questões”, disse.

O mesmo discurso foi adotado pelo vice-presidente do Águia, Pedro Corrêa, bastante contundente, e que falou em tom pedagógico sobre a importância de manter em torno do Águia, que é quem está abrindo as portas do futebol para eles. “Essa diretoria é séria, não usa de nenhuma atitude para prejudicar jogadores ou o futuro deles”, garantiu.

Corrêa lembrou que toda a cidade se engajou com o Sub-17, que empolgou mais a torcida do que o time profissional. “Quando o trabalho é bem feito, como agora, tem tudo para dar certo. A torcida manteve-se ao lado do time o tempo todo e isso foi determinante”, agradeceu Pedrinho.

O empresário Tarcísio Marques, também membro da diretoria do Águia de Marabá, foi mais firme nas palavras e disse aos jogadores e familiares que se caso avaliem que estão sendo tratados de forma indigna, que lhe procurem em seu escritório, que ele tomará as providências necessárias.

O técnico do time profissional, João Galvão, antecipou um dos nomes de uma lista que seis ou sete atletas que deverão figurar na equipe principal para disputar o Parazão 2019. O volante William Berg foi questionado pelo treinador se aceitaria jogar no time profissional. Com um sorriso maroto, disse que seria uma honra fazer parte do time A. “Perdemos no penúltimo jogo, mas não podemos desistir por uma derrota”, disse o garoto de 17 anos.

Por Ulisses Pompeu – Correspondente em Marabá

Esporte

Águia de Marabá vence no sufoco e está a uma vitória da Copa São Paulo

Time sensação do Parazão sub-17 derrotou o Izabelense nos pênaltis e recebe o Carajás na próxima quinta-feira pela semifinal
Continua depois da publicidade

Por volta de meio di​a e quinze minutos deste domingo, 24 de junho, dezenas de veículos buzinavam para um senhor que percorria a Avenida Antônio Maia de ponta a ponta montado em sua bicicleta marca Houston, cor vermelha e boné na cabeça. Era Wagde Rodrigues Mourão, o técnico Castanhal, que tinha acabado de sair do Estádio Zinho Oliveira, onde seu time (Águia de Marabá) venceu o Izabelense nos pênaltis e carimbou uma vaga na semifinal do Campeonato Paraense sub-17.

Castanhal acenava com a mão para quem buzinava e estava radiante com a vitória. O técnico “pobre” teve a manhã mais rica do que chamou de “graça de Deus” em sua trajetória, marcada sempre por treinar times amadores. Os garotos comandados por ele enfrentaram o sol escaldante do verão marabaense, viraram um jogo, acabaram vacilando no final e empataram com o time visitante pelo placar de 2 a 2.

Mas o próprio presidente do Águia de Marabá, Sebastião Ferreira Neto, o Ferreirinha, atribuiu ao final do jogo, grande parte dos méritos da vitória nos pênaltis ao técnico Castanhal, que soube orientar os garotos e trocar “peças” certas nos momentos certos.

O jogo deste domingo valia pelas quartas-de-final do Campeonato Paraense 2018. O Águia dominou a partida em boa parte do primeiro tempo, mas não conseguiu transformar boas jogadas em gol. O mesmo aconteceu com o Izabelense, principalmente com o baixinho (e põe inho nisso) Alisson Mateus Borges, que infernizou a defesa do Águia e só não marcou porque perdeu algumas disputas de bola por falta de corpo mais rijo.

No segundo tempo é que as coisas se definiram pra valer e a torcida ficou mais animada. Aos sete minutos o Izabelense abriu o placar numa falha de marcação do Águia. Foi então que o técnico Castanhal brilhou. Ele colocou em campo Murilo Lima no momento de uma parada para cobrança de uma falta a favor do Águia. E no cruzamento da bola para a área adversária, Murilo brilhou e marcou o gol de empate.

Logo em seguida, aos 14 minutos do segundo tempo, o zagueiro Kevin da Silva virou o placar a favor do time da casa, deixando a torcida aguiana muito animada.

Mas o drama voltaria ao Azulão perto do final da partida, quando Arlen Borges colocou o Izabelense de novo no jogo, marcando o gol de empate, mesmo com o time da casa atuando com um jogador a mais desde os 30 minutos. No final do jogo, o Águia ficou com dois jogadores a mais, com a expulsão de Orlando Paixão, que tinha acabado de entrar e fez falta dura em Terry Baima. Não teve jeito, a partida foi mesmo para disputa direta de penalidades, sem tempo para prorrogação.

Na cobrança de pênaltis, todo mundo só batia para o lado direito dos dois goleiros, que só pulavam para o esquerdo. Ruam Milhomem, que havia entrado minutos antes dos segundo tempo terminar apenas para tentar defender pênalti, acabou se dando bem nas duas únicas oportunidade que pulou no canto direito. Defendeu duas cobranças, se tornou heroi da classificação e ainda ganhou como prêmio uma camisa original da Seleção Brasileira com o nome de Neymar.

A partir daí, o gramado do Zinho Oliveira se dividiu em dois grupos com sentimentos distintos: os jogadores e parentes dos atletas do Izabelense ficaram de um lado, desolados, enquanto a euforia tomava de conta dos meninos do Águia, da comissão técnica e da multidão que saiu da arquibancada e foi celebrar a vitória e classificação para a próxima etapa junto aos atletas da casa.

Além do bom futebol, o Águia sub-17 impressiona pela quantidade de gols marcados. Com os dois de hoje, foram 37 em apenas 11 jogos, numa média de 3,36 gols por jogo. O artilheiro da equipe continua sendo o valente indígena Kour, que balançou as redes oito vezes até aqui.

Na próxima quinta-feira, dia 28, o Águia recebe o Carajás, que eliminou a Tuna Lusa neste domingo, em Belém. O jogo está marcado para as 15 horas, mas o presidente Sebastião Ferreira Neto, o Ferreirinha, disse que pretende negociar junto à Federação Paraense de Futebol para que a partida seja realizada às 19h30, prevendo que pode atrair mais torcedores.

Por Ulisses Pompeu – de Marabá

Futebol

De goleada, Águia de Marabá garante mais uma vitória em casa no Sub-17

Azulão Marabaense venceu por 7 x 0 mas deu susto no começo do jogo
Continua depois da publicidade

A manhã do último domingo (10) foi quente e emocionante para quem compareceu ao estádio Zinho Oliveira e acompanhou o jogo válido pela nona rodada do Campeonato Paraense Sub-17. Enfrentando o último colocado do grupo A2, a Associação Esportiva Beneficente Estrela, o Águia de Marabá mostrou força e garra, mas deixou a torcida e comissão técnica apreensivos até metade do primeiro tempo.

Apresentando um bom jogo, o Águia largou na frente, mas pecou nas finalizações. A cada chance desperdiçada o que se ouvia eram os lamentos da torcida, que esperava uma goleada logo de cara. Mas quem compareceu ao estádio para apoiar a meninada do Águia teve que esperar até os 27 minutos de jogo para dar o primeiro grito de gol. Frank marcou para o Azulão marabaense, deixando a torcida na expectativa. Mas até o término do primeiro tempo o placar não se alterou.

Na volta para a etapa final, o time já entrou com mudanças. Murilo e Ricardo saíram para a entrada de Kaká e Ruan Pablo. Aos 22” Frank marcou novamente e o time encontrou o caminho para o gol adversário. Ruan Pablo marcou aos 27, seguido por Cafezinho aos 35”. Na sequência, e em menos de um minuto, Ruan Pablo mostrou que estava com fome de gol e marcou duas vezes. Para encerrar a partida, Kaká fez o seu. Águia 7 x 0 Estrela.

O técnico Castanhal falou após a partida e disse que o desempenho dos atletas no início do jogo foi muito abaixo do esperado. “Temos muito respeito pelo time adversário, mas nossa equipe jogou muito melhor e poderia ter chegado fácil a um resultado elástico ainda no primeiro tempo. No intervalo conversei com eles e o resultado do trabalho de todos apareceu no segundo tempo”, disse o treinador.

Classificação

Com mais essa vitória o Águia chega a 21 pontos na classificação geral e está invicto jogando em casa. E é em casa que os Meninos do Azulão vão disputar a última partida da fase classificatória. No próximo domingo (17), no Zinho Oliveira, acontecerá o desafio contra o Paraense. Se classificam para as quartas de final os 4 primeiros colocados de cada grupo. Campeão e vice do torneio têm vaga para a Copa São Paulo de Futebol Júnior.

Esporte

Águia vence Paysandu, vira líder e viaja para enfrentar o Remo

Time já conseguiu cinco vitórias em seis confrontos no Campeonato Paraense sub-17 e agora encara dois jogos em 2 dias seguidos
Continua depois da publicidade

Embaixo de um sol muito forte, o Águia de Marabá recebeu o Paysandu na manhã desta quinta-feira, 31 de maio, e venceu seu mais tradicional adversário pelo placar de 2 a 1. A partida era válida pela sétima rodada da primeira fase do Campeonato Paraense Sub-17 e, com a vitória, o time de Marabá assume a liderança de seu grupo.

O jogo aconteceu no estádio Zinho Oliveira, com a presença de mais de 400 torcedores, que motivaram o time da casa. Mas quem saiu na frente foi o visitante, que meteu um a zero logo aos cinco minutos de jogo. Mas no minuto seguinte veio a resposta do Azulão de Marabá, que empatou a partida.

Com melhor controle do jogo, os meninos do técnico Castanhal conseguiram virar o placar aos 22 minutos do primeiro tempo, por meio de William Bruno. Durante o restante do primeiro tempo, o Águia continuava sufocando o adversário, que se defendia e tinha raros lampejos de ataque, mas nenhum levando grande risco ao goleiro do Azulão.

No segundo tempo, o placar não foi alterado, mas o Águia poderia ter marcado mais gols. Os meninos do Papão chegaram a ameaçar em algumas oportunidades, mas não não furou a defesa do time da casa.

Quando o juiz apitou o final da partida, aos 48 do segundo tempo, boa parte dos jogadores ajoelhou-se, levantou as mãos para o céu em gratidão. A torcida – boa parte formada por familiares dos jogadores – invadiu o campo com euforia, como se tivesse vencido o campeonato. “Ganhar do Paysandu é sempre bom, não importa em que categoria”, disse Carlos Henrique Dias, um torcedor apaixonado pelo Azulão.

Uaghd Rodrigues Mourão, técnico do Águia, mais conhecido com Castanhal, trabalha há dez anos no futebol, sempre com categorias de base. Ele valorizou demais a vitória contra a equipe do Paysandu e revelou que conhece cada um de seus atletas pelo nome e que em pouco tempo se transformaram em uma família. “O espírito aqui é de unidade. Trabalhamos duro por várias semanas e agora estamos colhendo bons frutos, mas a competição não acabou, não ganhamos nada ainda, a não ser a classificação para a próxima fase”, enfatizou.

Mas ao olhar para os próximos dois desafios, o técnico tem razão de sobra para se preocupar. No próximo domingo, dia 3 de junho, sua equipe enfrenta o Clube do Remo, em Belém, e no dia seguinte, segunda, já enfrenta o Atlético Barbarense, equipe de Santa Bárbara. “A palavra de ordem agora é descansar o máximo possível. Comemoramos essa vitória, mas com foco nos próximos adversários”, diz o treinador.

O confronto contra o Barbarense foi adiado da última semana em função do protesto dos caminhoneiros, que impossibilitou a viagem do time marabaense.

O vice-presidente do Águia, Pedro Corrêa, também celebrou a vitória e encheu a equipe sub-17 de elogios, destacando o trabalho exemplar que vem sendo realizado pela equipe técnica, em todas as áreas. “Estamos montando uma base frutífera, com jovens talentos que já estão trazendo alegria para nosso futebol e isso é especial para nós. Esperamos que em breve eles ascendam para o time principal e continuem dando alegria para a imensa torcida de nossa equipe”, disse Pedro.

Ulisses Pompeu – de Marabá

Esportes

Águia sub-17 vence de goleada no Zinho Oliveira

O Azulão Marabaense teve muitas chances, mas “só aproveitou” sete oportunidades
Continua depois da publicidade

Jogando em casa e com o apoio da sua torcida, o Águia Sub-17 fez uma bela partida na manhã deste domingo (20) e venceu de goleada o time do São Francisco, de Santarém.  Com o placar elástico de 7 x 1, o time de Marabá dominou o jogo e chega a 12 pontos na classificação do Campeonato Paraense Sub-17 de 2018.

O jogo, marcado para as 9h30 da manhã só começou às 10h, a pedido da delegação do São Francisco, que chegou a Marabá durante a madrugada após dez horas de viagem. Mesmo sob o sol forte, que não deu trégua durante a partida, o Águia dominou o primeiro tempo e abriu o placar aos 4 minutos com o jogador Ricardinho, que dedicou o gol ao seu irmão, que é cadeirante e que assistia a partida no estádio. Aos 22 minutos Kuor aumentou o placar. O são Francisco ainda estava se recuperando do segundo gol quando Frank balançou novamente a rede do adversário, fechando o primeiro tempo Águia 3 x 0 São Francisco.

Os dois times fizeram mudanças durante o intervalo, e foi o time visitante que chegou melhor no segundo tempo. Aos 5 minutos o São Francisco marcou seu gol, com Kleber. Mas parou por aí. Após entrar meio perdido na segunda etapa, finalmente os meninos do Azulão se reencontraram na partida e aos 36 Willianberg marcou o quarto gol. Kuor, um minuto depois, marcou seu segundo gol a partida, aumentando a vantagem do Águia de Marabá.

Aos 39 minutos o goleiro do São Francisco se machucou e como todas as substituições da equipe visitante já haviam sido feitas, um jogador da linha assumiu o gol. Aos 40 minutos do segundo tempo Murilo aproveitou falha da zaga e do jogador que estava no gol e marcou o 6º. E fechando a goleada, aos 47 da etapa final, Ruan Pablo encerrou com mais um belo gol.

O Águia segue na tabela com 12 pontos, sendo 4 vitórias – três delas em casa, e uma derrota. O próximo jogo, válido pela 6ª rodada do campeonato é contra o Barbarense, em Santa Bárbara, no próximo domingo (27).

Fotos: Aldeia Comunicação
Esportes

Águia vence em Icoaraci e garante mais três pontos no Sub-17

O presente das mães veio no sábado com a vitória do Azulão em cima do Pinheirense
Continua depois da publicidade

O presente das mães dos jogadores do Águia Sub17 e das mães da torcida aguiana chegou no sábado, dia 12, com a vitória do time sobre o Pinheirense. E não foi uma vitória qualquer, foi de virada e literalmente aos 45 do segundo tempo. Destaque para o jogador Kwytare Jokare Totore Parkateje, o Kuor, que fez os três gols do time de Marabá.

A partida válida pela 4ª rodada do Campeonato Paraense Sub 17 aconteceu em Icoaraci, a quase 560 quilômetros do ninho do Águia. Mas a distância não foi problema. Aos 9 minutos do primeiro tempo Kuor abriu o marcador para o Azulão Marabaense. Entretanto, o time se desconcentrou e tomou dois gols, ambos no primeiro tempo.

Mas a estrela do jogador indígena brilhou no estádio Abelardo Conduru, e aos 28 do segundo tempo Kuor marcou e empatou o jogo. O empate estava de bom tamanho, mas os meninos do Águia queriam a vitória para homenagear suas mães. E Kuor, aos 45 do segundo tempo, mandou para o fundo da rede do Pinheirense, fechando a partida. Águia 3 x 2 Pinheirense.

Com esse resultado o Águia é o terceiro na classificação geral, com 9 pontos, ficando atrás da Tuna e do Carajás, ambos com 10 pontos. O próximo desafio do time de Marabá será dia 20, mas o local do jogo ainda não foi definido. A Diretoria do Águia está negociando para que a partida aconteça no Zinho Oliveira, junto da torcida aguiana.

WhatsApp Image 2018-05-14 at 12.51.17 (1)

Futebol

Parauapebas vence amistoso contra Águia em treino para Campeonato Paraense Sub-17

A partida foi realizada no Estádio Zinho Oliveira, em Marabá, e nem chegou até o final por falta de arbitragem
Continua depois da publicidade

A garotada do Sub-17 do Parauapebas Futebol Clube entrou em campo, no último sábado (21), para um amistoso diante do Águia de Marabá, no Estádio Zinho Oliveira. Como a Federação Paraense de Futebol (FP) adiou o estadual da categoria, o técnico João Paulo, do PFC, pôde acompanhar a sua equipe em ritmo de jogo com um adversário que também vai disputar a competição.

“Foi uma excelente avaliação para o grupo. Sentimos um pouco a viagem, além da ansiedade, visto que são atletas muitos jovens. Porém, no lado coletivo tático, me agradou muito na fase defensiva, com a compactação e um bom balanço defensivo; vamos procurar melhorar nossas transições, apesar de neste jogo ter proporcionado perigo ao adversário em vários momentos. Na fase ofensiva, nosso time é muito rápido e com muitas qualidades individuais, porém, temos que ter mais paciência para manter a posse de bola um pouco mais,” afirmou João Paulo.

O Parauapebas venceu a partida amistosa pelo placar de 1 a 0, com um gol assinalado pelo atacante Tauan, aos 23 minutos do primeiro tempo. O detalhe é que a partida não terminou, pelo fato de não ter arbitragem. Quem comandou o apito do jogo foi o preparador de goleiros do Águia de Marabá, que acabou irritando o PFC pelas jogadas que estava invertendo, principalmente em favor do time da casa e pela expulsão de Riquelme, o destaque da equipe do Gigante de Aço.

“Ele estava invertendo falta; marcou dois impedimentos que não existiram e onde provavelmente iriam sair gols, pois tinham dois jogadores nossos contra o goleiro deles; e também, jogador nosso levou cotovelada e não fizeram nada; expulsou sem motivos o nosso melhor atleta da partida, que era o Riquelme. Então, por todos esses motivos, estava carregando o jogo e o time saiu de campo para evitar algo maior e prevenir nossos atletas,” relatou João Paulo.

A partida terminou aos 30 minutos do segundo tempo e, apesar do PFC ter desistido de continuar o jogo, foi declarado como o vencedor do amistoso. A turma de Marabá pediu desculpas pelos acontecimentos durante a partida. O time do Parauapebas entrou em campo com o futebol de: Ednaldo Junior; David, Wendel Pará (capitão do time), Marcos e Janiel; Thiago, Matheus, Marcelo e Riquelme; Will e Tauan. Essa deverá ser a base para a estreia no Campeonato Paraense.

“No aspecto geral, estou muito satisfeito. O time foi aguerrido e teve muita vontade em campo, isso vai estar no DNA da nossa equipe. Vamos trabalhar muito forte essa semana para concertar alguns erros e também para valorizar aquilo que já vem dando certo; minha expectativa aumentou com esse grupo. Vamos lutar todo jogo pela vitória, para representar da melhor forma o município de Parauapebas,” finalizou João Paulo.

O técnico João Paulo pretende trabalhar durante toda a semana com os garotos para o melhor entrosamento da equipe que foi bem em Marabá. Se não houver mais adiamento do início do Campeonato Paraense Sub-17, o Parauapebas Futebol Clube vai estrear contra o Atlético Barbarense no próximo domingo (29), às 9h30, no Estádio Municipal Arlindo Cardoso, o Cardosão, no município de Santa Bárbara do Pará, região metropolitana de Belém.

Por Fábio Relvas
Marabá

Expedição Vozes do Futebol entrevista João Galvão, técnico do Águia de Marabá

Projeto de Veja e Mercedes-Benz esteve em Marabá para falar com o técnico mais longevo de todo o futebol brasileiro. Ele está no cargo há 4 anos
Continua depois da publicidade

A Expedição Vozes do Futebol, projeto de VEJA em parceria com a Mercedes-Benz, que busca grandes histórias e personagens sobre a maior paixão nacional, esteve em Marabá (PA) e visitou a sede do maior clube da cidade, o Águia de Marabá. João Galvão, o técnico há mais tempo no comando de um time brasileiro, foi o entrevistado do repórter Alexandre Senechal.

O treinador está à frente do time paraense desde agosto de 2014 e só não está há 10 anos ininterruptos no banco de reservas da equipe porque a direção resolveu substituí-lo por Darío Pereyra no primeiro semestre de 2014. Três meses depois, porém, lá estava João Galvão novamente no cargo.

Com o Águia, disputou a Série C do Campeonato Brasileiro por oito anos, até o rebaixamento em 2015. A equipe disputou a Série D em 2016 e desde então não tem calendário nacional. Com a eliminação na primeira fase do Campeonato Paraense, o time de Marabá só voltará a disputar uma competição profissional no ano que vem.

Resignado com a situação, João Galvão reclamou da falta de investimento e preocupação com os campeonatos menores do Brasil. “As autoridades responsáveis deveriam olhar com mais carinho. A Série D é um torneio e os pais de família dos times que são eliminados cedo já estão desempregados em dois meses.”

Clique aqui pra ver o vídeo com a entrevista com João Galvão.

A Expedição Vozes do Futebol percorrerá 8.702 quilômetros de estradas ao longo de 40 dias, passando pelas cinco macro-regiões do país e por quinze Estados, para mostrar o impacto do esporte mais praticado no mundo na vida de brasileiros com perfis completamente distintos.