Esportes

Técnico Marcelo Cardoso está de volta para comandar o Atlético Paraense na Segundinha

Por Fábio Relvas

O Clube Atlético Paraense (CAP) já começou a pensar na disputa do Campeonato Paraense da segunda divisão – a Segundinha do Parazão – para a temporada de 2019, prevista para o mês de outubro. A cúpula do Tricolor do Norte trouxe para comandar o CAP, mais uma vez, o técnico Marcelo Cardoso, de 54 anos, natural do Rio de Janeiro. Ele já desembarcou na cidade de Parauapebas, sudeste do Pará, no início da tarde desta segunda-feira (29), visando a continuidade do trabalho e com a missão de subir o clube para a elite do Parazão 2020.

À frente do comando do CAP na Segundinha de 2018, o técnico Marcelo Cardoso conseguiu classificar o time para as quartas de final da competição estadual, quando a equipe de Parauapebas conseguiu uma vitória e acabou perdendo outras quatro vezes. Terminou-se o sonho do acesso, no primeiro ano como profissional, diante da equipe do São Francisco de Santarém, que conquistou o vice-campeonato e uma das vagas para a elite naquela ocasião.

“Mãos à obra. Nós temos um objetivo como o principal, dar um passo à frente do que foi feito ano passado, onde o Atlético entrou na competição como um mero participante desconhecido, sem as pessoas saberem exatamente qual era o potencial do clube. Conseguimos uma classificação na fase de grupos, que já foi um resultado um tanto surpreendente.

Conseguimos chegar às fases finais da competição e agora, esse ano, é tentar dar um passo à frente e esse passo a frente é justamente brigar efetivamente pela classificação para a Série A do Parazão em 2020,” afirmou o técnico do Clube Atlético Paraense.

Marcelo Cardoso tem um vasto currículo pelo futebol nacional e até mesmo internacional, tendo comandado grandes equipes como: o América F.C (1988); Portuguesa (1989-1990); Al Ahli S.C – Qatar (1991 e 1992); Al Jazira Sports Clube (1992 a 1994); Clube do Remo (1994 a 1995); Joinville E.C (1995); Al Sharjah S.C (1995/1996); Al Wahda S.C (1996/1998); Esperance Sportive de Tunis – Tunísia (1998/1999); Al Shabab S.C (2000/2001); Al Wahda S.C (2002/2003); Al Sharjah S.C (2003/2006); Al Shaab S.C (2006/2007); Al Ahli S.C – Dubai (2007); Esperance Sportive de Tunis – Tunísia (2008/2009); Al Dhafra Club (2009/2010); Al Shaab Sports Club (2010/2012); Al Jazira Clube (2012/2013); América ( 2013/2014); Al Khaleej Clube (2014/2015); South China A.A – China (2015/2016) e o próprio Clube Atlético Paraense (2018).

“O Marcelo veio para dar continuidade ao trabalho e o trabalho é planejado ao longo prazo. O nosso objetivo era colocar o time em uma competição a nível profissional, mas precisamos trabalhar o planejamento de uma forma que as coisas tenham um resultado futuro. O Marcelo é a pessoa que a gente entende que é ideal para desenvolver esse projeto, pelo currículo, pela bagagem, pela capacidade e por ter mostrado também, uma grande capacidade de trabalho e também ter se adaptado bem à nossa região; e isso é muito importante. É o cara que vai se doar sempre para o melhor resultado. Ele está muito satisfeito com o retorno e ter aceitado mais um desafio,” disse Rafael Lopes, presidente do CAP.

O treinador chega fortalecido para seguir em frente com seu trabalho para a temporada de 2019 e conta com o total aval da diretoria atleticana, que pretende ajudar no desenvolvimento do projeto dentro do clube para a temporada que vai se iniciar. O foco no momento é a organização estrutural para que se possa oferecer aos atletas, que estarão chegando, melhores condições de trabalho. Marcelo Cardoso pretende seguir dando oportunidades aos jogadores da região, como foi feito na temporada passada.

“Vamos fazer uma fase de avaliações, dando oportunidades principalmente aos jogadores da região. Conseguimos fazer isso esse ano, montando um time com um percentual bom de jogadores da região. Vamos procurar aproveitar ao máximo e também dar uma atenção especial aos jogadores do Sub-20; montar um time desta categoria esse ano e que os jogadores do Atlético tenham a sequência do Sub-13, Sub-15, Sub-17 e ter um Sub-20, a partir do ano que vem, para disputar o campeonato. É uma estruturação de um trabalho profissional e essa é mais uma etapa a cumprir. Esperamos que futuramente, lá mais para frente, no final do ano, nós tenhamos alcançado o nosso objetivo,” finalizou Cardoso.

Deixe seu comentário