De virada, Parauapebas vence o Atlético no Estádio Rosenão pelo Clássico dos Minérios

O CAP saiu na frente, mas o PFC virou na raça e somou os três primeiros pontos na Segundinha do Parazão
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print
(Foto: Lenno Costa)

Continua depois da publicidade

Digno de um clássico. É assim que podemos definir a partida entre o Clube Atlético Paraense (CAP) e o Parauapebas Futebol Clube (PFC) disputada na tarde deste sábado (16), no Estádio José Raimundo Roseno Araújo, o Rosenão. O jogo foi válido pela primeira rodada do Grupo E da Segundinha do Parazão 2021. Devido à falta de laudos técnicos, a partida teve que ser disputada de portões fechados, e quem perdeu com isso foi o público torcedor.

Com a bola rolando, o Atlético Paraense partiu para cima do Parauapebas e marcou dois gols-relâmpago. Após cobrança de escanteio, a zaga cortou e, na sobra, Cazumba levantou, Ramon se antecipou ao goleiro Dejair e marcou de cabeça, aos dois minutos, 1 a 0 CAP. Na sequência, a defesa do PFC parou, pedindo impedimento e Miller dominou a bola na frente, chutando na saída do goleiro Dejair – 2 a 0 Tricolor do Norte, aos quatro minutos de jogo.

O Gigante de Aço despertou para a partida e conseguiu diminuir. Bruno cobrou falta pela esquerda e o atacante Tiago Recife subiu no meio da defesa,  marcando de cabeça, aos nove minutos do clássico movimentado no Rosenão. Em uma grande jogada individual de Tiago Recife, o atacante do PFC se livrou de dois marcadores e ficou de cara para o crime, mas finalizou para a grande defesa do goleiro Lupitinha, que salvou o CAP de sofrer o gol de empate.

A bola parada era a arma do Gigante de Aço. Em outra cobrança de falta de Bruno pelo lado esquerdo do campo, a bola chegou na cabeça do zagueiro Hugo, que ganhou pelo alto do goleiro Lupitinha e da defesa adversária, mandando a redonda para o fundo do barbante. Era o gol de empate do Parauapebas, 2 a 2, aos 51 minutos da primeira etapa. Na etapa final, o PFC cresceu nos minutos iniciais.

Em uma bola na área, Tiago Recife dominou, chutou sem ângulo e a redonda foi para fora. Minutos depois, Túlio recebeu na frente, driblou o goleiro Lupitinha e marcou um golaço – virada histórica do Parauapebas, aos 16 minutos, 3 a 2. O Atlético teve a chance do empate em cobrança de falta: Cazumba levantou na área e o zagueiro Leonardo passou da bola. Na última chance da partida, a bola foi levantada na área e Ramon Tanque cabeceou para fora, perdendo a chance para o CAP. Placar final: Atlético 2 x 3 Parauapebas.

“Hoje é uma vitória do grupo. Mexemos no time, tomamos dois a zero muito rápido, com mérito do adversário, depois buscamos o jogo com a nossa bola parada e quase viramos. No intervalo, eu disse para os jogadores que ‘a vitória viria, tenham calma’, e a vitória veio no golaço do Túlio. Depois, poderíamos ter matado o jogo em um contra-ataque e quase tomamos o castigo. Um jogo dificílimo, o time deles é muito bom. É um pecado jogar com um estádio praticamente vazio. Foi um jogaço de bola,” afirmou Luís Carlos Cruz, técnico do Parauapebas. 

No outro jogo da rodada, o Cametá venceu o Santos Athletico por 2 a 0 no Estádio João Cardoso, o Janjão, em Moju. Com isso, Cametá e Parauapebas lideram o Grupo E com três pontos cada. Atlético e Santos dividem a lanterna sem pontuação. 

O Parauapebas volta a campo diante do Cametá na próxima quarta-feira (20), às 18h, no Estádio José Raimundo Roseno Araújo, o Rosenão. O Atlético Paraense joga na mesma data, às 15h30, diante do Santos, no Janjão, em Moju. Ambas as partidas serão válidas pela segunda rodada do Grupo E da Segundinha do Parazão.

Por Fábio Relvas