Atlético Paraense e Parauapebas vão abrir a Segundinha com o Clássico dos Minérios

CAP e PFC estarão frente a frente no próximo sábado (16), às 15h30, no Estádio Rosenão
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Finalmente a espera acabou. Clube Atlético Paraense e Parauapebas Futebol Clube vão abrir a Segundinha do Parazão 2021 com o Clássico dos Minérios, marcado para o próximo sábado (16), às 15h30, no Estádio José Raimundo Roseno Araújo, o Rosenão. Será o terceiro duelo da história envolvendo o Tricolor do Norte e o Gigante de Aço, com o PFC na vantagem no confronto direto, com um empate, por 1 a 1, em 2019, e tendo uma vitória, por 2 a 0, em 2020.

Para tentar disputar a elite do Parazão pela primeira vez, o Clube Atlético Paraense aposta no técnico Josedilson Silva Cardoso, conhecido por Zé Carijé, que teve passagem pelo Jacobina, PFC Cajazeiras, Atlético Alagoinhas e Barcelona de Ilhéus, todos os clubes da Bahia. Com ele para formar a comissão técnica, o CAP anunciou o preparador físico Marailton Jardim, também com rodagem pelo futebol baiano. A diretoria está confiante em um bom trabalho.

“É um clássico da cidade, ainda com poucos confrontos, mas um jogo muito importante. A gente vai encarar como um jogo importante como os outros demais jogos. O importante é a classificação e a gente fazer um bom trabalho e conseguir avançar na competição. A gente vem trabalhando mais ou menos um mês e um trabalho programado há um tempo atrás. A comissão técnica vem do Atlético Alagoinhas, que foi vice-campeão baiano ano passado e campeão nesse ano. Nosso elenco está mesclado com jogadores que vieram da Bahia, Maceió, São Paulo e por aí vai”, afirmou Rafael Lopes, presidente do CAP.

Já o Parauapebas iniciou sua preparação mais cedo e terá a experiência do técnico Luís Carlos Cruz para tentar voltar à elite do futebol paraense. O PFC foi campeão da Segundinha do Parazão, em 2010, e campeão da primeira fase do estadual, em 2014, chega forte para mais uma disputa. O Gigante de Aço realizou um amistoso preparatório diante do Imperatriz (MA), onde venceu o famoso Cavalo de Aço, por 2 a 1, no Estádio Rosenão.

Cruz, como é conhecido no futebol, tem uma vasta experiência onde comandou grandes equipes como Figueirense (SC), Avaí (SC), Paysandu (PA), Guarani (SP), Náutico (PE), Ceará (CE), Fortaleza (CE), CRB (AL), Palmeiras (SP), CSA (AL), Confiança (SE), Remo (PA), entre outros. A diretoria do PFC contratou Juninho Cearense para ser o auxiliar-técnico, o profissional já trabalhou ao lado de Luís Carlos Cruz, que formou um elenco competitivo para buscar o acesso. O treinador sabe das dificuldades da disputa da Segundinha do Parazão.

“Sábado é um dia especial. Primeiro que é a nossa estreia na competição, que é dificílima com 23 equipes e só sobem duas. Talvez uma das competições mais difíceis que eu já participei e olha que já joguei Série A do Brasileiro, Séries B, C e D, Copa do Brasil, Sul-americana, nos Emirados Árabes. É um desafio, mas a gente trabalhou bem e construímos uma equipe ao longo desse tempo, tivemos as condições necessárias para trabalhar com as dificuldades que são normais para uma equipe remontada, mas vai ser um jogão. O time do Atlético é um dos mais fortes que eles já montaram. Estamos preparados para jogar esse clássico”, disse Luís Carlos Cruz, técnico do Parauapebas.

A comissão de arbitragem da Federação Paraense de Futebol (FPF) confirmou na tarde desta quinta-feira (14), na sede da casa do futebol, em Belém, a arbitragem para o Clássico dos Minérios. O árbitro central será Danilo Lopes Viana, tendo como assistentes Emanoel Ferreira do Amaral Júnior e Ederson Brito de Albuquerque. O quarto árbitro fica por conta de André Michel Petri Galina.

O jogo terá a presença do torcedor em 50% da capacidade do estádio, com ingressos sendo vendidos no valor de R$ 40 a arquibancada e podem ser adquiridos na Arena do Clube Atlético Paraense, localizada no bairro Cidade Jardim, a partir desta sexta-feira (15), e nas bilheterias do Estádio Rosenão, no sábado (16), no dia do Clássico dos Minérios.

Por Fábio Relvas / Foto: Mateus Miranda