Esportes

Remo e Bragantino empatam sem gols no Mangueirão e Leão está na final do Parazão

Clube do Remo e Bragantino Clube do Pará voltaram a campo pelo segundo jogo da semifinal do Campeonato Paraense. A partida foi realizada na tarde deste domingo (7), no Estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, em Belém, e terminou empatada sem gols. Como no jogo de ida o Leão venceu o Tubarão, por 1 a 0, a equipe remista se garantiu na grande final do Parazão.

O grande personagem do jogo foi o goleiro Vinícius, que fez três grandes defesas nos minutos finais e garantiu o Leão Azul em mais uma final de estadual.  A duas semanas, no clássico contra o Paysandu, o goleiro falhou no gol de empate do time bicolor, jogo que terminou em 1 a 1, e nesta partida contra o Tubarão, o chamado paredão azulino, foi o grande herói da classificação. Ironia do destino.

Agora o Clube do Remo assiste de camarote o confronto da outra semifinal entre Paysandu e Independente, que se enfrentam nesta segunda-feira (8), às 20h, no Estádio Leônidas Castro, a Curuzu, em Belém. No jogo de ida, o Galo Elétrico sapecou 3 a 1 no Papão e pode até perder por um gol que garante vaga na decisão. Já o Bragantino, com a eliminação, aguarda o outro eliminado para a disputa do terceiro lugar do Campeonato Paraense.

O jogo: Leão 0 x 0 Tubarão – Remo na final, graças a “São Vinícius”

A torcida do Clube do Remo foi em grande número para empurrar o time no Estádio Mangueirão. Na primeira chegada do Leão, Douglas Packer cobrou falta, o zagueiro Marcão subiu de cabeça para a boa defesa do goleiro Axel Lopes. Em outra cobrança de falta, o lateral-direito Geovane mandou do meio da rua e o chute foi para fora. A torcida remista ficou no “uh”. O Tubarão chegou com muito perigo, quando Fidélis recebeu na direita e cruzou para Pecel, o atacante mandou por cima, mas a arbitragem paralisou a jogada e assinalou impedimento.

Outro momento perigoso do Bragantino foi quando Fidélis recebeu e de frente para o gol chutou para fora. O Remo deu o troco rapidamente depois que Rafael Jansen cruzou da esquerda e Gustavo Ramos desviou, o goleiro Axel Lopes fez milagre e mandou para escanteio. Na cobrança de escanteio, Douglas Packer mandou na área, o zagueiro Marcão desviou e a arbitragem assinalou pé alto do defensor azulino.

O jogo era eletrizante e lá e cá. Douglas Packer recebeu lançamento e mandou de primeira, a bola passou muito perto da meta do goleiro Axel Lopes. Outra vez a torcida do Remo ficou no “uh”. Em um contra-ataque do Braga, Pecel recebeu na esquerda, se livrou da marcação e chutou forte, a bola passou por cima da meta do goleiro Vinícius. O Leão chegou a marcar quando Douglas Packer lançou na medida para Dedeco, que driblou o goleiro Axel Lopes, e mandou para o gol, mas a assistente Bárbara Roberta Costa Loiola assinalou impedimento duvidoso. Pelo replay da televisão, a condição do Dedeco era legal. Bronca da torcida remista.

No segundo tempo, o Remo ganhou uma falta perigosa, mas o atacante Edno mandou muito alto sem perigo contra a meta do Tubarão. O Bragantino respondeu com lançamento para o atacante Pecel, que chegou batendo e a bola passou assustando o goleiro Vinícius. Outra vez a equipe de Bragança levou perigo, depois que Ricardo Capanema lançou para Fidélis, o atacante mandou um chutaço no travessão remista.

O Bragantino começou a pressionar. Lukinha cruzou, o atacante Ronaldo raspou de cabeça e o atacante Fidélis ficou com a bola para finalizar, mas o zagueiro Marcão conseguiu cortar. No contra-ataque, o atacante Gustavo Ramos recebeu na direita e cruzou para Edno, antes da bola chegar, o zagueiro Gabriel Gonçalves mandou para escanteio. Em uma jogada dentro da área azulina, Lukinha tocou para Fidélis, o atacante chutou cruzado e a bola passou na boca do gol.

Em uma boa troca de passes dos atletas azulinos, Ramires cruzou para Mário Sérgio, que dominou e mandou para o fundo do gol, mas o assistente José Ricardo Guimarães Coimbra assinalou impedimento. Desta vez, bem anulado. Tubarão voltou a atacar com o perigoso Fidélis, que cruzou e a bola passou pelo volante Paulo de Tárcio e saiu pela lateral. Em um lançamento diretamente da defesa para o ataque, o goleiro remista Vinícius saiu e fez a defesa.

O Remo deu a resposta com Diogo Sodré, o jogador azulino recebeu dentro da área, mas demorou demais e acabou sendo desarmado perdendo uma chance de ouro para o Leão. Novamente os azulinos chegaram com Rafael Jansen, que cruzou da esquerda para a cabeçada de Gustavo Ramos, o goleiro Axel Lopes mandou para escanteio. Na sequência, Geovane cobrou o escanteio para o toque de cabeça de Rafael Jansen, a bola passou assustando contra a meta do Bragantino.

Depois disso, só deu Tubarão. Lukinha cruzou, a bola quase enganou o goleiro Vinícius que conseguiu defender. Na sequência, Bruno Limão mandou bola na área, Lukinha desviou e Vinícius defendeu salvando o Leão Azul.  O time de Bragança queria o gol para levar a decisão da vaga para os pênaltis. Esquerdinha cruzou para o toque de cabeça do zagueiro Gabriel Gonçalves, o goleiro Vinícius salvou outra vez. Em uma sobra de bola, Ricardo Capanema chutou, a redonda desviou no meio do caminho e o “São Vinícius” salvou milagrosamente para escanteio. Três grandes defesas que garantiu o Leão na decisão. Placar final: Remo 0 x 0 Bragantino. No final da partida, todos os jogadores do Clube do Remo foram cumprimentar e abraçar o goleiro Vinícius.

“Parabéns para todo mundo. Desde a chegada do técnico Márcio Fernandes, ele deu uma nova cara ao time. Hoje é claro, não fizemos uma partida brilhante, mas não podemos desmerecer o time do Bragantino, que é um bom time, chegou a semifinal porque tem qualidade. O importante é que chegamos a final e jogar em um clube como o Remo, a gente tem que trabalhar forte para chegar na final e conseguirmos o nosso objetivo e conquistar esse título”, afirmou Vinícius, goleiro do Remo e destaque da classificação azulina.

FICHA TÉCNICA

REMO: Vinícius; Geovane, Kevem, Marcão e Rafael Jansen; Yuri, Djalma (Ramires), Dedeco (Diogo Sodré) e Douglas Packer; Gustavo Ramos e Edno (Mário Sérgio). Técnico: Márcio Fernandes

BRAGANTINO: Axel Lopes; Bruno Limão, Romário, Gabriel Gonçalves e Esquerdinha; Ricardo Capanema, Paulo de Tárcio, Lukinha e Marco Goiano (Tony Love); Fidélis e Pecel (Ronaldo) (Mauro Ajuruteua). Técnico: Robson Melo (Interino)

Árbitro: Wasley do Couto Leão – CBF

Assistentes: José Ricardo Guimarães Coimbra – CBF e Bárbara Roberta Costa Loiola – CBF

Quarto árbitro: Raymar Klemer Rezende Ferreira

Cartões amarelos: Djalma, Douglas Packer, Kevem e Geovane (Remo); Ricardo Capanema, Marco Goiano, Paulo de Tárcio, Lukinha e Esquerdinha (Bragantino)

Local: Estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, em Belém

Renda: R$ 334.235,00

Público pagante: 15.259

Público não pagante: 1.550

Total: 16.809

Por Fábio Relvas

Deixe seu comentário