Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Jacundá

Prefeito, diretor do DMTU e vereador de Jacundá estão na mira do MP

Os três, segundo o Ministério Público, estão inviabilizando o trabalho dos agentes de trânsito e até impedindo que motoristas infratores sejam notificados, fazendo com que o DMTU perca sua finalidade

O prefeito Ismael Barbosa, o diretor do Departamento Municipal de Trânsito Urbano de (DMTU), pastor Hausem Nascimento, e o vereador Daniel Siqueira Neves são alvos de um procedimento instaurado pelo Ministério Público do Pará para investigar possíveis atos de improbidade administrativa praticados pelos três. O procedimento preparatório para apurar a pratica de supostos atos de improbidade administrativa na gestão e fiscalização do trânsito no município foi aberto pelo promotor de Justiça de Jacundá, Sávio Ramon Batista da Silva.

A instauração do procedimento se deu após a Promotoria de Justiça de Jacundá tomar conhecimento, por meio de relatos de agentes de trânsito do DMTU, da falta de estrutura do órgão, tais como a falta de combustível para os veículos. Foram entregues ao Ministério Público do Estado fotos, vídeos e documentos que expõem a situação em que se encontra o órgão de trânsito de Jacundá.

Além da falta de combustível, os agentes disseram que o próprio diretor de departamento limita o acesso ao veículo de fiscalização e cria embaraços á atuação dos agentes. Outros relatos apontam episódios de interferência política no trabalho, tanto pelo gestor municipal quanto pelo vereador citado.

Veja também:  Hacker paraense dono do site “Tudo sobre Todos” tem bens bloqueados pelo MP

“Ao serem ouvidos na prefeitura, alguns agentes contaram que o prefeito Ismael Barbosa e o vereador Daniel Neves interviram diretamente em suas atividades, ao solicitarem que não emitissem notificações para a população que infringisse as normas de trânsito”, enfatizou o promotor Sávio Batista.

Quanto ao diretor do DMTU, Hausen, pesam contra ele acusações de ter criado embaraços para o exercício regular das funções dos agentes, retendo as chaves de veículos utilizados nas fiscalizações, deixando os veículos desabastecidos e alterando constantemente as escalas de fiscalização. As pessoas citadas na matéria não foram localizadas pela Reportagem nesta tarde de terça-feira. Aguardamos o retorno.

Deixe uma resposta