Tolerância zero vai reprimir aglomerações em Jacundá

A decisão de tratar com rigor a quem desobedecer às normas de sanidade se deu e razão do desprezo de parte da população para com as determinações dos decretos municipal e estadual
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Reunião realizada na manhã desta sexta-feira (19), com autoridades dos setores de Segurança e Saúde de Jacundá, debateu o descumprimento de medidas preventivas de combate ao novo coronavírus impostas por decretos municipal e estadual. Aglomerações sociais, balneários lotados e venda indiscriminadas de bebidas em bares e distribuidoras serão combatidas na cidade a partir de hoje.

Na terça-feira (16), o prefeito de Jacundá, Ismael Barbosa, publicou o Decreto 054/2020, reeditando trechos de decreto anterior que trata de ações de combate e prevenção à covid-19, e prorrogou as medidas até o dia 30 deste mês. O decreto municipal segue orientação do decreto 800/2020, do governo estadual.

Pelo decreto, quem descumprir as medidas pode receber advertência, ser encaminhado à autoridade policial, recolher multa de R$ 5 mil e ter cassado o alvará de funcionamento. Muitos moradores não deram atenção ao cumprimento do decreto, o que levou as autoridades a traçar ações mais enérgicas.

A partir desta sexta-feira, os órgãos de segurança vão realizar operações. Estarão nas ruas equipes da Polícia Militar, Polícia Civil, DMTU e Vigilância Sanitária. As pessoas flagradas no Rio Moju serão conduzidas à Delegacia de Goianésia do Pará, os demais encontrados aglomerações serão conduzidos à DP de Jacundá, onde vão responder a um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO).

A operação tem como objetivo conscientizar os moradores de Jacundá sobre medidas preventivas de combate ao novo coronavírus. Ontem à noite, o boletim epidemiológico informou que 344 pessoas foram contaminadas pelo vírus e que 185 estão recuperados. O número de óbito chegou a 8.

(Antonio Barroso)

Publicidade