Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Marabá

Prédio que seria da UPA em Marabá vai receber vários serviços de saúde

Centro de Especialidades, TFD, SAMU, serviços de imagem e regulação agora vão funcionar em um só lugar

Na manhã desta quarta-feira, 6 de junho, um grupo de vereadores realizou uma visita ao prédio construído para abrigar a UPA (Unidade de Pronto Atendimento), localizado em área privilegiada na Avenida Transamazônica, Bairro Amapá, mas que não receber o serviço original porque a Prefeitura entendeu que o custo de manutenção de uma unidade deste porte é muito alto e se torna inviável para o município.

A visita contou com a participação da prefeita em exercício, Irismar Melo, e foi conduzida pelo secretário municipal de Saúde, Marcones Santos, e pela coordenadora de Média e Alta Complexidade da SMS, Dármina Duarte. Marcones antecipou aos vereadores que aquele prédio abrigará, a partir do final de julho, o Centro de Especialidades do Município, além do TFD (Tratamento Fora do Domicílio), Base Descentralizada do SAMU, Departamento de Regulação, serviços de imagem e, ainda, alguns procedimentos ortopédicos.

O secretário Marcones Santos ainda expôs aos parlamentares que o Governo Federal, através de Decreto, permitiu que os prédios destinados às UPA´s nos municípios pudessem ser utilizados para outras especificidades da área de saúde, sem que houvesse a obrigatoriedade do município devolver os recursos repassados pelo Governo Federal, que no caso de Marabá seria de R$ 1.950.000,00.

Ele ainda informou que o CTA (Centro de Testagem e Aconselhamento) ocupará o local que hoje funciona o Centro de Especialidades de Marabá, na Folha 31, ao lado da sede da FUNAI. O prédio que atualmente abriga o CTA, na Velha Marabá, será reformado para receber o Banco de Leite do Hospital Materno Infantil.

Seja o primeiro a escrever um comentário

  1. Interessante, quando a Câmara Municipal de Marabá, por meio dos seus integrantes, encabeçou protestos veementes para que a UPA fosse equipada e colocada à disposição da população, o prefeito Tião Miranda encerrou as conversações de forma abrupta, declarando que o prédio tinha problemas estruturais e que não poderia ser utilizado. E agora, esses tais problemas estruturais foram sanados? Não soubemos de notícia alguma sobre isso. O prédio, num estalar de dedos ou com a ajuda da varinha de condão do novo secretário de Saúde voltou a ser seguro novamente?!

Deixe uma resposta