Tião Miranda ordena socorro a Samu com insumos e equipamentos

Ao todo, 46 itens de primeira necessidade serão comprados pelo governo de Tião Miranda, que reservou um miniorçamento de quase R$ 6 milhões para investimento no serviço durante 2020.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) vai receber uma compra de itens básicos para seu funcionamento avaliada em R$ 322 mil a partir deste mês. É que o governo de Tião Miranda autorizou uma licitação para aquisição de vários insumos e equipamentos essenciais para salvar vidas. Adesivos para fixação de dispositivos intravenosos, aspiradores de secreção, bombas de infusão, colar cervical, máscaras de intubação, reanimador manual, oxímetro de pulso, entre outros, fazem parte do pacote.

As propostas para fornecimento dos produtos, na modalidade de pregão presencial, serão conferidas amanhã (5), conforme processo encaminhado pela Prefeitura de Marabá ao Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) e disponível aqui. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), organizadora do pregão, a medida tem por finalidade “manter a operacionalidade e a continuidade do serviço de atendimento de emergência” em Marabá. O Samu funciona de maneira ininterrupta pelo número gratuito de emergência 192.

A SMS frisa que o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência local é imprescindível e que oferece atendimento pré-hospitalar de urgência e emergência, razão pela qual sem os insumos poderá ter a prestação de serviços comprometida. O Blog do Zé Dudu apurou que o orçamento da saúde de Marabá este ano está fixado em R$ 198,84 milhões. Desse montante, R$ 5,92 milhões devem ser utilizados no Samu, a pretexto de dinamizar os serviços com aquisição de materiais para a sua estruturação, conforme consta da Lei Orçamentária Anual de 2020.

Publicidade