Conceição do Araguaia ainda tem temporada oficial de veraneio suspensa devido à pandemia

Decisão objetiva evitar aglomerações nas praias do município.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Em meados de junho, Conceição do Araguaia já começa a receber visitantes que buscam diversão e descanso nas mais de 20 praias que se formam na seca do Rio Araguaia, entre os Estados do Pará e Tocantins.

O município, que está entre as rotas oficiais do Ministério do Turismo, se deparou neste ano com a pandemia da Covid-19, que até o momento, impossibilita a realização de uma temporada oficial de veraneio.

Este período é responsável pela movimentação da economia local com a chegada de turistas e neste ano, deverá sofrer o impacto da doença presente em todo o mundo.

“A economia local sentirá enormes perdas. Principalmente quando falamos dos trabalhadores que tiram parte de sua renda deste período, o que significa 70% da movimentação proveniente do veraneio”, explica Érika Denis Cruz da Silva, secretária de Turismo de Conceição do Araguaia.

Segundo ela, neste ano, vários fatores relacionados à pandemia impossibilitam a realização das festividades. “Podemos destacar os recursos destinados à convênios que estão suspensos e também a agenda dos cantores nacionais, que impede qualquer contratação. Mas sabemos que esta é uma medida necessária para preservação da saúde da população em geral”, esclarece.

Veraneio

A Secretaria Municipal de Turismo, Esporte e Juventude (SEMTEJ) está alinhada ao decreto nº 085/2020, que dispõe de medidas preventivas complementares de enfrentamento à pandemia e proíbe, neste momento, a instalação de acampamentos nas ilhas, praias, lagos e balneários às margens do Rio Araguaia, como forma de prevenir a aglomeração de pessoas.

“A secretaria está alinhada ao Decreto, no que diz respeito às aglomerações e iremos agir de forma a intensificar as orientações quanto às medidas de prevenção da Covid-19”, diz Érika.

Recentemente, a Prefeitura divulgou um decreto (nº 096/2020) em que flexibiliza as medidas de prevenção, autorizando o funcionamento de bares, lanchonetes, restaurantes, academias, templos religiosos e similares. Isso fez com que a população questionasse a realização do veraneio.

“Se houver uma mudança no quadro de Saúde que estamos vivendo no momento, teremos que reavaliar a conduta que iremos seguir”, finaliza a secretária.

Publicidade