Casa pega fogo e ex-companheiro é suspeito de atear

A razão pelo incêndio é que o suspeito não aceitava o fim do relacionamento
Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on print
Imprimir

Continua depois da publicidade

A Rua 10 do Residencial Arraias, na cidade de Jacundá, foi movimentada na noite de sábado, 13, por volta de 21h. Tudo porque vizinhos tentaram debelar chamas na residência de número 27. A dona do imóvel não estava no local. O incêndio pode ter sido criminoso. A Polícia Civil procura um suspeito, que seria o ex-companheiro de Raimunda Muniz Assunção, 37 anos de idade.

O fogo começou durante uma forte chuva que sobre caiu na cidade na noite de sábado. Na manhã de domingo a Reportagem esteve no local e constatou a destruição do imóvel, utensílios domésticos, roupas, móveis, eletrodomésticos e documentos pessoais.

“O pouco que sobrou não é suficiente para quase nada”, disse Raimunda em estado de choque. O imóvel também é considerado inabitado diante da destruição.

Uma moradora disse que vizinhos perceberam fumaça e chamas saindo do imóvel. “Tivemos que arrombar a porta para tentar tirar alguns objetos, mas conseguimos pouca coisa. Apenas um fogão, geladeira e algumas panelas”, disse Francisca dos Santos, que não entende como pôde acontecer o sinistro.

Raimunda Muniz registrou ocorrência na Delegacia de Polícia Civil de Jacundá. No depoimento ela supõe que o incêndio tenha sido criminoso. E o principal suspeito seria um ex-companheiro identificado pelo nome de Silvano, que não aceitou o fim do relacionamento.

Um inquérito foi aberto por determinação do delegado Sérgio Máximo para investigar o suposto crime. E o homem está sendo procurado pela PC.

Publicidade

Relacionados