Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Canaã dos Carajás

Família cuja casa incendiou no domingo, em Canaã, precisa de ajuda

Mãe e três filhos necessitam de alimentos, roupas, calçados, móveis etc. Qualquer ajuda será bem recebida

Após ter deixado os filhos trancados, enquanto saiu para fazer um “bico” de garçonete, no último domingo (10), a desempregada Eloí Pereira da Silva, 32 anos, foi proibida de sair de casa e agora está encontrando dificuldades para sustentar a família. Acontece que, enquanto ela estava fora, os filhos Ingrid, 10 anos, Douglas, 6, e Noemy, 2, em meio a uma brincadeira, tocaram fogo em um colchão, provocando incêndio que por pouco não acaba numa fatalidade, conforme noticiado por este Blog.

Eloí é mãe solteira, mora com os filhos na Rua Minas Gerais, Bairro Novo Brasil, em uma casa cuja locação é paga pela Prefeitura de Canaã, dentro do Programa Aluguel Social. Para não deixar faltar o alimento à família, ela fazia “bicos” de faxineira, durante a semana, e de garçonete em um restaurante, aos sábados e domingos.

Porém, devido ao incidente, ela foi denunciada à polícia pelo Conselho Tutelar e enquadrada no artigo 133 do Código Penal Brasileiro – abandonar pessoa que está sob seu cuidado, guarda, vigilância ou autoridade, e, por qualquer motivo, incapaz de defender-se dos riscos resultantes do abandono.

Agora, a mulher está sem condições trabalhar, muito menos de pagar alguém para cuidar dos filhos, viu-se de mãos atadas e tem sobrevivido de doações, nos últimos dias.

“Eu não tenho mais como sair pra trabalhar, a minha situação ficou muito difícil porque eu sou sozinha e preciso dar comida para os meus filhos. No dia em que a casa pegou fogo, eu tinha deixado só ovo e arroz, porque era só o que tinha. E agora eu estou vivendo das doações”, lamentou.

Não bastasse isso, ela acaba de ser informada de que o pagamento do aluguel, pela prefeitura, já chegou ao nono mês e a ajuda será cortada o. Sem ter para onde ir, Eloí faz um apelo às autoridades. “Eu queria muito que eles continuassem me ajudando, pagando meu aluguel ou me dando uma casa para morar. Eu sou sozinha, o que ganho dá mal para nossas despesas, não tenho condições de pagar aluguel e também não tenho para onde ir”, apelou.

A Reportagem procurou a Secretaria de Assistência Social, que, por meio da Assessoria de Comunicação da Prefeitura, informou que Eloí faz parte de um grupo de famílias que foram remanejadas recentemente de uma área de risco e que vêm recebendo acompanhamento do Cras – Centro de Referência de Assistência Social – do Bairro Novo Brasil, onde residem.

A nota diz, ainda, que a secretaria já está ciente do corrido, afirma que a família está cadastrada no “Programa Moradia Digna” e, provavelmente, será uma das contempladas com uma das unidades habitacionais, que devem ser entregues até o final do ano. A Secretaria de Assistência Social finalizou garantindo que o benefício do Aluguel Solidário “não será suspenso”.

Quem quiser ajudar a família deve entrar em contato pelo celular (94) 99110–8518 ou no endereço – Rua Minas Gerais, Bairro Novo Brasil. “Eu estou precisando muito da ajuda de todos. Seja comida, móveis, roupas, calçados, qualquer coisa é muito bem vinda”, disse Eloí Pereira da Silva.

 

Canaã dos Carajás

Em ato heroico, menina de dez anos salva irmãos de incêndio em Canaã

Trancados em casa, ela e os irmãos, em meio a uma brincadeira, acabaram tocando fogo em um colchão, cujas chamas se alastraram rapidamente

O caso aconteceu por volta das 18h deste domingo (10), em uma casa da Rua Minas Gerais, Bairro Novo Brasil, em Canaã dos Carajás. Após o susto, sentada na calçada ao lado de um dos irmãos, a menina, identificada apenas como Ingrid, se deu conta do que havia acabado de fazer e foi impossível conter as lágrimas. Sozinhos em casa, ela, de apenas dez anos de idade, e os dois irmãos mais novos iniciaram uma brincadeira que parecia inocente. Na sala do imóvel, segundo levantou o Corpo de Bombeiros, os três brincavam com linha e papel quando atearam fogo em um colchão.

As chamas se alastraram rapidamente pelo cômodo. Trancados e sem ter para onde fugir, Ingrid se viu em desespero. Para escapar do incêndio, a menina, em um ato heroico, subiu em uma cama de beliche, fez um buraco no teto e passou para o telhado  e o mais inusitado de tudo isso, com o irmão mais novo no colo. Do alto, Ingrid gritou por socorro aos vizinhos. Os bombeiros foram chamados e, com a ajuda da vizinhança, que já havia conseguido conter parte das chamas, conseguiram evitar que o fogo se espalhasse e destruísse ainda mais o imóvel. “Até agora a gente só sabe que eles estavam brincando com um colchão e outros acessórios e acabaram ateando fogo,” explicou o sargento Cortez.

Segundo informações de vizinhos, a mãe das crianças, que até o fechamento da reportagem ainda não havia sido identificada ou localizada, havia saído para trabalhar e deixado os filhos trancados em casa. Apesar do susto, as crianças não sofreram ferimentos. O Conselho Tutelar foi comunicado e vai acompanhar o caso.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Pará

Filho ateia fogo em carro de pai dentro de motel

Motivo teria sido o comportamento da vítima, que estaria com a amante enquanto a esposa se encontrava no hospital

A revolta de um filho em ver a mãe internada num hospital enquanto o pai estava no motel com uma amante resultou em uma tragédia no município de Uruará, na madrugada desta segunda-feira (21). Apesar do susto, não houve vítimas humanas.

Consta que na madrugada desta segunda-feira, por volta de 1 hora, a guarnição da Polícia Militar foi informada sobre um incêndio num motel localizado às margens da rodovia Transamazônica, Km 177. Quando a PM chegou ao local as chamas já haviam consumido quase todo o prédio.

Pela apuração da PM, o incêndio foi criminoso e provocado por Luís da Silva Santiago, 26 anos de idade. Ele estaria revoltado com o seu pai, Egídio Pinheiro Santiago, 53 anos, que supostamente estaria com uma amante dentro do motel enquanto a genitora, doente, encontrava-se num hospital da cidade.

Luís havia seguido o pai até o motel. Lá, decidiu incendiar a caminhonete, uma L200 Triton, cor preta, estacionada na porta do quarto. As labaredas consumiram o veículo e também a estrutura do motel, que ficou quase todo destruído. O dono do imóvel não soube calcular os prejuízos causados pelo incêndio intencional.

Os policiais constataram a autoria do crime ao checarem um aparelho celular do rapaz. Lá, havia conversas de Luís com um primo, identificado nas mensagens como Emanú Cássio Silva Santiago, dizendo que cometera o crime. Egídio e o celular que esclarece a autoria do fato foram encaminhados para a Depol para a realização dos procedimentos de praxe. Luís ainda não se apresentou na delegacia.

Marabá

Ônibus com extintor vazio pega fogo em Marabá e passageiros saem correndo

Estranhamente, diretor da empresa se nega a dar informações, minimizando o episódio.

Com extintor vazio, o motorista de um ônibus coletivo urbano de Marabá se viu em apuros quando o veículo que ele dirigia pegou fogo Na Nova Marabá, à altura da VP-8, próximo à Agência dos Correios, uma das vias mais movimentadas da cidade. O fato aconteceu no início da manhã desta sexta-feira, dia 4 de janeiro, e quando os cerca de 25 passageiros perceberam o fogo e a fumaça tomando de conta do interior do veículo, começaram a gritar e o motorista abriu as portas para evacuação.

A passageira Eloísa Lima, que trabalha como vendedora autônoma, disse que ela e a filha de 12 anos estavam sentadas próximo à porta de trás do ônibus coletivo e ficaram nervosas quando perceberam a fumaça saindo do motor do veículo. “Começamos a gritar e o motorista estava nervoso e demorou um pouco a abrir a porta. Graças a Deus ninguém se feriu”, comemora.

Eloísa reclama, por outro lado, que alguns ônibus da Rede de Transporte Coletivo de Marabá (CTCM) estejam com idade avançada e avalia que precisam ser trocados urgentemente. “Uma semana os cobradores e motoristas fazem greve porque não recebem salários, em outra um ônibus pega fogo. Acho que essa empresa não tem condições de operar na cidade”, avalia.

O ônibus em questão é um VOLKBUS 17-230 OD, de número 213116, com mais de 10 anos de uso. O motorista ainda tentou utilizar o extintor do veículo, mas não imaginava que ele estava vazio. Dois agentes do DMTU (Departamento Municipal de Trânsito) que passavam pelo local naquele momento, ajudaram a paralisar o trânsito e a pedir socorro para outros motoristas, os quais cederam o extintor de incêndio. Em função da fumaça e falta de EPI, houve uma certa demorava para o fogo ficar totalmente controlado.

O gerente da Rede de Transporte Coletivo de Marabá, João Martins, foi procurado pela Reportagem do Blog para saber por que o extintor do veículo estava vazio e o que ocasionou o princípio de incêndio. Todavia, ele se negou a prestar esclarecimento, argumentando o fato seria muito irrisório para gerar um reportagem.

Um motorista da empresa, que pediu reserva de seu nome, revelou que havia outros veículos rodando nas mesmas condições, com extintores vencidos. “O fogo, na verdade, foi na caixa de marcha. Nossos ônibus estão sucateados e não recebem a manutenção adequada”, lamentou.

Ulisses Pompeu – de Marabá