Vereadores de Novo Repartimento vão fiscalizar ações da prefeitura

Nove dos 13 parlamentares da CMNR querem abrir a caixa preta da administração municipal. Um deles, porém, já teria pulado fora do barco
Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on print
Imprimir

Continua depois da publicidade

Um grupo formado por nove doa 13 vereadores do município de Novo Repartimento, sudeste paraense, está vasculhando a administração do prefeito Deusivaldo Silva Pimentel (MDB), o Amizade. Diversos documentos referentes a licitações, contratos e pagamentos de fornecedores são alvo da comissão de parlamentares. A investida teve início no dia 22 de janeiro, quando a Câmara Municipal, a pedidos dos legisladores, solicitou diversos documentos à Prefeitura Municipal para que seja iniciado um processo de fiscalização.

Foi fixado um prazo de 15 dias para a entrega de todos os documentos, de acordo com o que rege a Lei Orgânica Municipal no seu Artigo 93, Inciso X, o qual encerrou há dois dias. A gestão deve fornecer as seguintes informações: cópia dos contratos, cópia dos processos licitatórios, cópia dos documentos que comprovem os valores pagos às empresas solicitadas, relação constando todos os veículos por tipo (motocicletas, automóveis, utilitários, caminhões, máquinas e tratores, entre outros pertencentes ao município). Os documentos solicitados são referentes ao período de janeiro de 2017 a janeiro de 2019.

Compõem o grupo os vereadores Alan Soares Lopes (PR),  presidente da Casa, Antonio Paes da Silva (PR), Arinei da Silva Meireles (PR), Ajuri Caldas Branco Campelo (MDB), Valdenez Batista da Silva (MDB), Raimundo Castro Mota (PHS), Dione Martins de Melo (PMN), Jadilson Figueira da Silva (SDD) e Sivaldo Aparecido da Silva Meireles (SDD). Porém, segundo outras fontes, o vereador Sivaldo já solicitou a retirada do seu nome da comissão.

Publicidade

Relacionados