Susipe realiza campanha de combate à tuberculose em presídios do Pará

O objetivo da campanha é conscientizar os internos e os servidores penitenciários com palestras sobre a doença, formas de contágio e transmissão, prevenção, tempo de tratamento e os cuidados necessários para ficar curado.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

A Diretoria de Assistência Biopsicossocial (DAB), da Superintendência do Sistema Penitenciário (Susipe), realiza uma ação de conscientização em todas as unidades penais do Pará visando combater e prevenir a tuberculose, em alusão ao Dia Mundial da Tuberculose – 24 de Março. O objetivo da campanha é conscientizar os internos e os servidores penitenciários com palestras sobre a doença, formas de contágio e transmissão, prevenção, tempo de tratamento e os cuidados necessários para ficar curado.

O interno M.J.S., em tratamento da doença, disse estar satisfeito com a assistência que recebe no cárcere. “Estou melhor. Já estou ganhando peso e comendo bem. Não sinto mais febre e nem me sinto tão cansado como antes, e estou tossindo menos. Os medicamentos são dados no tempo certo, e estou fazendo o tratamento regular”, afirmou o detento.

A equipe de saúde da Susipe presta o serviço com apoio do Sistema Único de Saúde (SUS), realizando exames e procedimentos básicos nas unidades penais. “Nós temos o dever de cuidar da saúde e prevenir doenças, principalmente a tuberculose. Para mantermos o isolamento da doença e não deixar contaminar os demais internos, precisamos ouvir, tratar e instruir este detento. Temos que prestar o serviço a este cidadão, para que possamos curá-lo”, disse Sônia Porto, enfermeira da Central de Triagem da Marambaia, em Belém.

Monitoramento – Em 2019, a Susipe registrou cerca de 240 casos da doença nos presídios do Pará. “Intensificamos o combate e prevenção à doença com a criação de celas/salas de tratamento e isolamento total dos enfermos nos primeiros 15 dias de cuidados (fase de contaminação do bacilo causador). Estamos monitorando o uso e o tempo correto dos medicamentos dados aos contaminados, o atendimento nutricional para aqueles que têm reação aos remédios, instrução às famílias para que não haja contaminação nas visitas, e  garantindo que o detento faça corretamente todo o processo de atendimento por seis meses”, explicou a diretora Biopsicossocial da Susipe, Ana Paula Frias.

Há mais de seis anos a Susipe conta com um Laboratório para Análise de Tuberculose, instalado no Presídio Estadual Metropolitano II (PEM II), em Marituba (Região Metropolitana de Belém). No local são feitos os diagnósticos de detentos de todas as unidades prisionais da RMB. Cerca de 130 exames são realizados por mês somente no PEM II. O laboratório é fundamental para a o diagnóstico precoce e tratamento. Os centros de detenção localizados nos demais municípios do Estado fazem encaminhamento para laboratórios credenciados pelas secretarias municipais de Saúde.

Campanha – Até o final do mês, a Susipe continuará com a campanha de conscientização nas unidades prisionais da capital e do interior. Mais de 60 agentes prisionais já participaram de uma palestra com servidores da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), com o objetivo de conscientizar os servidores sobre a importância da prevenção e do tratamento correto nos presídios.

Em parceria com a Fiocruz, a Susipe realizará ainda este ano campanhas e ações de saúde para internos, diretores, vice-diretores, coordenadores e chefias de segurança de todas as unidades prisionais do Pará. (Por Tamiris Balieiro).

Por Melina marcelino

Publicidade