Pai de Santo de Novo Repartimento preso durante operação “João de Deus”

O homem foi preso no município de Anapu, no último dia 29 de outubro.
Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on print
Imprimir

Continua depois da publicidade

A operação “João de Deus” resultou na prisão do pai de santo Cristinaldo Brás, mais conhecido por Zeca Brás, na cidade de Novo Repartimento, região Sudeste do Pará. Ele é acusado pelos crimes de estupro de vulnerável, intimidação sexual, violação sexual mediante, ameaça e estelionato. O homem foi preso no município de Anapu, no último dia 29 de outubro.

A prisão dele foi divulgada pela Polícia Civil do Estado do Pará, através da Delegacia de Novo Repartimento, e se deu por meio de cumprimento de mandado de prisão preventiva determinado pela Justiça local. “Nos diligenciamos no sentido de localizar e prender o suspeito que se evadiu para o município de Anapu, e com o apoio da Delegacia de Anapu e do NAI Tucuruí, logrou êxito no cumprimento do mandado de prisão”, informou o delegado.

A investigação apontou que “o preso sob o pretexto de praticar rituais espirituais, apresentava-se às vítimas como curandeiro e, mediante condutas como grave ameaça com arma de fogo e ingestão forçada de bebidas alucinógenas, praticava conjunção carnal e atos libidinosos diversos da conjunção carnal, além de intimidar as vítimas ao dizer que iria lhes “lançar trabalhos”.

O acusado, ainda conforme a denúncia, utilizava da “alegação de benzer objetos das vítimas, apropriava-se de joias de ouro e dinheiro em espécie, sem jamais devolvê-los aos proprietários. Outrossim, o criminoso, secretamente, filmava e fotografava os atos sexuais, e, então, entrava em contato com as vítimas e divulgava ou ameaçava divulgar os registros caso elas procurassem a polícia ou não se submetessem mais aos desejos do estuprador”, detalha o delegado Mateus.

O nome da operação é alusão a um famoso caso ocorrido em Goiás, em que um líder espiritual, com modus operandi semelhante, praticou diversos crimes sexuais.

Por Antonio Barroso – correspondente em Jacundá

Publicidade

Relacionados