Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Breu Branco

Quadrilha assalta agência dos Correios de Breu Branco

A direção da agência dos Correios não divulgou valores levados pelos bandidos, apenas que ninguém se feriu. Após o assalto a agência permaneceu fechada.

A Polícia Civil do município de Breu Branco, região sudeste do Estado, trabalha na investigação para identificar o paradeiro de cinco homens que assaltaram na manhã de ontem, quarta-feira (14), a agência dos Correios localizada na Avenida Minas Gerais, no Centro da cidade.

O assalto aconteceu de modo silencioso e sem despertar alarde na cidade. Informações extraoficiais dão conta que cinco elementos participaram do assalto. Três dos assaltantes estavam armados e entraram no interior da agência dos Correios na manhã de quarta-feira, 14, e anunciaram o assalto por volta de 11h30. No momento da abordagem havia funcionários e dois clientes na agência. “Vi quando um assaltante apontou a arma para o caixa e anunciou o assalto. Um segundo homem pediu que a gente ficasse quieto, sem gritar ou tentar impedir o roubo”, contou nervoso o cliente Francisco Pereira.

A ação criminosa durou menos de 10 minutos. Após retirarem o dinheiro dos caixas da agência, os homens saíram tranquilamente sem levantar suspeitas. Um cliente que chegava ao local teve a moto roubada. As polícias civil e militar foram acionadas e empreenderam buscas pela cidade e zona rural, mas até o fechamento dessa matéria não haviam encontrado nada que pudesse levar ao paradeiro dos meliantes. As informações oficiais sobre a ação criminosa são poucas, mas nenhum dos assaltantes foi identificado.

Antes de cometer o assalto, segundo informações de populares, dois suspeitos do crime lancharam em um estabelecimento localizado em frente a agência dos Correios.

A direção da agência dos Correios não divulgou valores levados pelos bandidos, apenas que ninguém se feriu. Após o assalto a agência permaneceu fechada.

Por Antonio Barroso – correspondente em Jacundá

Parauapebas

Polícia Militar prende traficante de crack e fabricante clandestino de armas

Em operações bem sucedidas, a PM continua fazendo uma verdadeira limpeza nas ruas de Parauapebas

A Polícia Militar prendeu ontem, terça-feira (23), em Parauapebas, Elielton Sales de Souza, 23 anos. Ele foi flagrado com 583 gramas de crack e autuado no Artigo 33 da Lei 11.343/2006 (Lei Antidrogas), pelo crime de tráfico de entorpecentes. À Reportagem do Blog o acusado disse ser “apenas usuário”, alegando que a droga encontrada com ele era de outra pessoa, porém, não soube identificar o suposto dono. Contou que essa pessoa pagou R$ 20,00 para que ele entregasse a droga a uma mulher, mas, ao chegar ao local combinado, acabou sendo flagrado pela polícia.

“Eu sou pintor, pedreiro, sou trabalhador, mas, infelizmente, caí nessa armadilha das drogas. E aceitei fazer essa entrega porque o cara me pagou R$ 20,00, o preço de uma ‘paradinha’ para eu fumar. Eu não sei quem é ele”, tentou se explicar Elielton, que pode pegar de cinco a 15 anos de cadeia.

Armas clandestinas

Também ontem a PM desmantelou, no Bairro Cidade Jardim uma fábrica clandestina de espingardas e prendeu o dono, Osmair Pereira Almeida, 42 anos, que já havia sido denunciado pelo mesmo crime, mas não havia sido preso. A fábrica funcionava na casa do acusado, na Rua M-13, onde a polícia encontrou coronhas, canos, uma máquina de solda e demais equipamentos e peças para a fabricação do armamento.

A Polícia Militar já vinha fazendo levantamentos a respeito da fábrica clandestina, para onde os interessados em adquirir as espingardas se dirigiam, pagavam antecipadamente e, dentro de poucos dias, recebiam a arma pronta para uso. Em sua defesa, Osmair diz que é serralheiro de profissão e nega fabricar espingardas, afirma que “aqui e ali” faz algum conserto quando procurado por algum conhecido, nada mais que isso.

“Esses canos que foram apreendidos nem servem para armas, são de metal galvanizado, são de um rapaz que chegou lá na oficina e deixou lá porque não serviam para o serviço que ele encomendou”, afirmou o acusado, dizendo ainda que, com certeza, a denúncia de que ele fazia armas partiu de pessoas que verdadeiramente vivem da fabricação clandestina de armamento e o denunciaram como forma de desviar a atenção da polícia.

Indagado sobre quem são esses fabricantes, Osmair disse não saber identificá-los, mas afirmou que eles existem. Ele foi enquadrado no Artigo 17 da Lei 10.826/2002 (Estatuto do Desarmamento) e pode pegar pena de 4 a oito anos de cadeia.

Polícia

Canaã dos Carajás: Novas provas levam delegado Bruno Fernandes de volta à prisão

Decisão do Juiz Thiago Vinicius de Melo Quedas foi publicada depois que interceptações telefônicas incriminaram o delegado de Polícia Civil Bruno Fernandes de Lima e o investigador Cláudio Márcio do Nascimento

De acordo com o Ministério Público, pelo menos três pessoas supostamente ligadas aos fatos “simplesmente” já morreram. Um deles era Jonciclei Noleto dos Santos, o Dj Johnson, que seria uma espécie de intermediador/informante do delegado e que atuava como o responsável pela compra e repasse das motocicletas apreendidas em Canaã dos Carajás quando Bruno Fernandes era o delegado local.

A decisão foi do Juiz de Direito da Comarca de Canaã dos Carajás, Thiago Vinicius de Melo Quedas. De posse de novas provas que incriminam o delegado de Polícia Civil Bruno Fernandes
de Lima e o investigador Cláudio Márcio do Nascimento, o magistrado decretou nova prisão preventiva.

Desta vez, o Tribunal de Justiça do Estado do Pará baseia-se em um telefonema feito por Cláudio no último dia 09/10 para José Dimas Silva de Brito, conhecido no mundo do crime como “Gordinho” ou “Gordinho das populares”. Já suspeitando da ligação entre os réus e o criminoso, a justiça grampeou os telefones de familiares de “Gordinho”, dessa forma, a justiça teve acesso ao conteúdo de uma conversa, quando  o investigador teria oferecido a quantia de R$10.000,00 (dez mil reais) para que o contatado alterasse seu depoimento prestado anteriormente e afirmasse que não eram os policiais civis quem forneciam as armas de fogo para que sua quadrilha cometesse crimes na região, e sim três policiais militares do município – que não tiveram seus nomes revelados -. Ainda durante o telefonema, Nascimento, em troca do “favorzinho”, facilitaria a fuga de José Dimas da cidade, fornecendo o dinheiro da passagem.

Foi através do depoimento de “Gordinho” que a justiça expediu dois novos mandados de prisão contra os acusados, presos outras vezes no início do ano pelo crime de liberação irregular de motocicletas apreendidas no município. Fernandes já foi encaminhado para o Centro de Recuperação Anastácio das Neves, em Santa Izabel do Pará, enquanto Cláudio é considerado foragido, pois tem conhecimento do mandado de prisão e ainda não se apresentou espontaneamente.

Ainda de acordo com o Ministério Público, pelo menos três pessoas supostamente ligadas aos fatos “simplesmente” morreram. O primeiro deles, Dhonatan de Jesus dos Santos Ferreira, que segundo o MP teria pago propina aos réus para ser solto, foi assassinado em circunstâncias ainda não esclarecidas.

O Segundo, Jonciclei Noleto dos Santos, o Dj Johnson, que seria uma espécie de intermediador/informante do delegado e que atuava como o responsável pela compra e repasse das motocicletas apreendidas, também foi assassinado.

O terceiro, Genildo Joel de Sousa Silva, também morreu. Outras duas pessoas também supostamente envolvidas estão foragidas, Gustavo Carvalho Santos e Maria de Lourdes Sousa Ribeiro, Mara.

Também foi através do depoimento de “Gordinho” que a justiça entendeu que Bruno Fernandes seria o autor intelectual da suposta estrutura criminosa, e Cláudio Nascimento seria seu subordinado.

Polícia

Polícia: Ananindeua recebe a Operação Cristo Redentor, com mais de 1300 mandados

Com mandados expedidos pela Vara do Crime Organizado da capital, a operação é a maior da Polícia, com ordem judicial, na história do Pará

A Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup) deflagrou, na madrugada desta terça-feira, 04, a Operação Cristo Redentor cujo objetivo é cumprir 1.344 mandados de busca e apreensão. A ação está sendo desenvolvida no residencial Pouso das Aracangas, conhecido como “ Cidade de Deus”, localizado no bairro do Aurá, em Ananindeua. O local foi invadido e está sob o domínio de uma facção criminosa. Estão empregados na operação 1.042 agentes de segurança.

De acordo com informações da inteligência e informações do local, pessoas conhecidas como líderes estão impedindo a entrada de policiais na área, cometendo até ataques às guarnições da Polícia Militar.

A Operação Cristo Redentor é resultado da ação da Força Tarefa realizada pela Divisão Estadual de Narcóticos (DENARC) com o apoio do Núcleo de Inteligência Policial (NIP) a fim de apurar a prática de tráfico de entorpecentes, roubos, extorsão, dentre outros na área do Aurá.

No local foi instalado um posto de comando móvel, onde três delegados, cinco papiloscopistas, cinco investigadores, uma equipe da Polinter, 20 agentes da Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado do Pará (Susipe) auxiliam na missão.

Segundo levantamento da equipe da DENARC foi possível verificar que o condomínio residencial Pouso dos Aracangas, popularmente conhecido como Cidade de Deus é o que representa maior periculosidade concreta.

O acesso ao local é possível pela BR-316, entrando pela rua 2 de junho, passando em frente ao Carandiru.

Operação em números

Total de 1.042 agentes da segurança pública envolvidos na operação. As equipes foram divididas em:

Progressão tática
Batalhão de Polícia de Choque, Batalhão de Polícia Tática, Regimento de Polícia Montada, Companhia Independente de Operações Especiais e Companhia Independente de Policiamento com Cães, que fazem parte do Comando de Missões Especiais (CME) contam com 312 policiais Militares envolvidos, além de mais 22 policiais do Grupamento de Pronto Emprego (GPE), que é o grupamento de elite da Polícia Civil do Pará.

Busca e Apreensão
Com 372 policiais Civis e 336 policiais Militares, totalizando 708 agentes da segurança.

Viaturas
Estão sendo utilizadas na operação: 244 viaturas,quatro guinchos, duas aeronaves do Grupamento Aéreo de Segurança Pública (GRAESP), quatro ônibus para o transporte de presos, uma viatura de combate a incêndio e quatro ambulâncias do Corpo de Bombeiro Militar.

Os mandados foram expedidos pelos juízes Líbio Araújo Moura e Heyder Tavares da Silva Ferreira, da Vara do Crime Organizado da capital.

O vereador do município de Ananindeua Deivite Wener Araújo Galvão, conhecido como “Gordo do Aurá” está preso. Ele é apontado pela justiça como líder do Comando Vermelho.

Marabá

Assassino de professor é PM do Maranhão. Ele está sendo interrogado em Imperatriz.

Mulher que estava com o policial ainda não foi encontrada e deve responder como cúmplice do homicídio

Está detido e sendo interrogado na noite desta quinta-feira, 9, o soldado da Polícia Militar do Maranhão, Felipe Freire Sampaio, acusado de ter assassinado o professor Ederson Costa dos Santos, de 28 anos, na madrugada do último sábado, dia 4 de agosto. O PM veio de Imperatriz-MA, onde reside e trabalha na corporação.

Segundo informou agora à noite a Superintendente de Polícia do Sudeste do Pará, delegada Simone Felinto, o veículo que aparece nas imagens de vídeo amplamente divulgadas em redes sociais é um Fox cor vermelho, de placa OFM-8620, de Marabá, o qual está apreendido.

O interrogatório do suspeito acontece em Imperatriz por uma equipe da Delegacia de Homicídios de Marabá, enviada pela Superintendência do Sudeste Paraense e liderada pelo delegado Ivan Pinto.

No momento de sua prisão, Felipe Freire não esboçou reação, se entregou, mas permaneceu calado, segundo a delegada Simone Felinto.

A Polícia Civil continua as investigações em busca de novas provas que possam contribuir para o inquérito que segue em andamento pelo período de 30 dias, contados da sua abertura.

A polícia conseguiu realizar a apreensão do Fox que era dirigido por Felipe na noite do crime, o qual está bastante avariado. Todavia, a Polícia Civil ainda não confirma o nome e nem a prisão da mulher que também aparece nas imagens da noite do assassinato, como acompanhante do assassino do professor. Também não revela em qual endereço apreendeu o veículo Fox.

Parauapebas

Após denúncia de vítimas, Polícia de Parauapebas captura dupla de assaltantes

Tiago Oliveira da Costa e Ezequiel Silva dos Santos são de Marabá e vinham cometendo assaltos em Parauapebas. Ezequiel é foragido do Crama desde 2016, com passagens por assalto a mão armada.

Dois bandidos foram capturados pela Polícia Militar de Parauapebas, na manhã desta segunda-feira (25), após cometerem assaltos. A guarnição da PM que estava posicionada nas imediações do bambuzal, na PA-275, foi abordada por um cidadão informando que havia sido roubado por dois elementos numa motocicleta e que estava rastreando-os pelo aparelho celular.

Deslocando-se ao local apontado pelo rastreador, o bairro do Rio Verde, a guarnição escutou a população informando que havia ladrões pulando o muro. Os policiais conseguiram pegá-los. Dentro da residência, foram encontrados um revólver calibre 38 com numeração raspada, sete munições, 33,85 gramas de pedra de oxi; 6,65 gramas de maconha e produtos do roubo (celular, documentos, carteira e a bolsa de uma das vítimas). Também foi recuperada uma Honda Biz cinza, roubada no domingo à noite.

Segundo informou o Tenente Freitas, são dois elementos altamente perigosos, que vinham cometendo vários assaltos no início do dia. Ao checar os nomes, foi observado que um deles, Ezequiel Silva dos Santos (vulgo Neguinho), era foragido do sistema penal de Marabá desde 2016.

O tenente aproveitou nossa reportagem e fez um apelo para que, caso haja alguma outra vítima, compareça à delegacia para reconhecê-los. “Seria muito bom, pois, pelo menos assim, estes vagabundos ficarão presos por mais tempo”, explicou.

Segundo Tiago Oliveira da Costa (vulgo Orelha de Macaco), de 20 anos, ele nunca havia sido preso. Trabalhava como açougueiro em Parauapebas e justificou o crime por necessidades financeiras. “Estava sem dinheiro, precisando mesmo, estava passando fome. Pedi esse dinheiro a meu patrão, mas ele estava só me enrolando”.

Já Ezequiel Silva dos Santos, o Neguinho, tem 32 anos e não apresentou justificativa para o assalto. “Não tem nada que justifique. Não adianta eu botar desculpinha não, que desculpinha não resolve a vida de ninguém”. Ele assumiu a posse do revólver, mas quanto à droga apreendida, não reconheceu. “Eu não sei dessa droga não; o revólver é meu”.

Uma das vítimas, Gizael da Silva reconheceu os bandidos e nos contou que eles o abordaram às 7h30 de hoje, nas imediações da Câmara Municipal de Parauapebas. Levaram sua carteira, com todos os documentos e o valor de R$ 300,00. “Reconheci todos os dois, eles estavam numa moto Honda Biz vermelha”.

Redenção

Supostos membros do Comando Vermelho presos em Redenção

Outras nove pessoas são procuradas, acusada de apologia ao crime, após picharem muros com a frase: “GTO bom é GTO morto”

O Grupamento Tático Operacional (GTO) apresentou, por volta das 23h de terça-feira (19), na Delegacia de Polícia Civil, Bruno Alves dos Santos, 18 anos; e Orias Gonçalves Ferreira, 42. A dupla foi presa após a Polícia Militar receber uma denúncia anônima de que Bruno estaria escondido na chácara de Orias, distante de 2 km do centro de Redenção. De acordo com a PM, no local havia dois membros do Comando Vermelho, que, ao avistarem os policiais efetuaram três disparos de arma de fogo contra a guarnição. Os PMs revidaram e deram voz de prisão a Bruno e ao dono da chácara, enquanto um terceiro indivíduo, identificado como Daniel Morzan, conseguiu fugir se embrenhando no mato.

No local, a polícia apreendeu duas armas de fogo e seis balas e três capsulas. A dupla foi conduzida a Delegacia de Polícia Civil, onde foi ouvida e, depois, removida ao presídio de Redenção. Bruno dos Santos vai responder por tentativa de homicídio qualificado e porte ilegal de arma de fogo.

Procurados 

Além de Bruno, que foi capturado, outros nove jovens são procurados pela polícia, acusados de apologia ao crime. Na semana passada eles picharam muros com a frase: “GTO bom é GTO morto”. O grupo diz fazer parte da facção criminosa Comando Vermelho. Bruno e os demais picharam muros em diversos setores da cidade, afirmando que o CV é quem manda no local. Em algumas ruas,
como a Tiradentes, conhecida como “Cracolândia”, e a Rua do Meio, no Setor Aripuanã, a ordem é para que os motociclistas tirem os capacetes ao passar pela via e, quem estiver de carro, deve baixar os vidros. A Polícia Civil está investigando se o grupo tem envolvimentos nas mortes que vêm ocorrendo em Redenção.

O CV

O Comando Vermelho é uma das maiores organizações criminosas do Brasil. Foi criada em 1979 na prisão “Cândido Mendes”, na Ilha Grande, Angra dos Reis, Rio de Janeiro, e já tem ramificações em Rondônia, Roraima, Tocantins, Mato Grosso, Espírito Santo, Acre, Pará, Maranhão, Alagoas, Rio Grande do Norte, Ceará, Mato Grosso do Sul, Goiás, Distrito Federal, Amazonas. O CV  também está presente em partes de Minas Gerais, Piauí, Paraíba, Pernambuco e Bahia. Nos estados do Rio de Janeiro, Rondônia, Mato Grosso, Acre, Ceará e Tocantins o CV é maioria no sistema penitenciário.

Canaã dos Carajás

Dupla sai para tocar o terror e vai parar na pedra do IML

Após fazer família refém em Canaã, assaltantes atiraram contra a PM e saíram com saldo negativo: dois a menos

“Sextou” em Canaã dos Carajás e as coisas não saíram como o planejado para dois jovens que, na fila da vida, escolheram o caminho que parecia mais fácil: o da criminalidade. Só que, no meio do caminho havia a PM. Tudo aconteceu graças à denúncia de um morador que testemunhou o momento em que, por volta das 19h, de sexta-feira (15), dois homens com atitudes suspeitas invadiram uma residência localizada no Parque Shalon.

Dentro do imóvel encontrava-se toda uma família que, sob a mira de pistola, foi feita refém enquanto os bandidos roubavam tudo o que era objeto de valor. A testemunha não pensou duas vezes e chamou a Policia Militar. Prontamente, o Cabo F. Castro e os soldados Dias e Lima, se deslocaram em viatura para o endereço informado.

Ao constatar que o carro da polícia se aproximava, a dupla, que portava duas pistolas, começou a efetuar disparos contra os policiais, os quais que revidaram à altura.  Na tentativa de escapar do isolamento da prisão, os dois fugiram, mas sem muito sucesso, pois os militares continuaram no encalço deles.

E foi no Bairro Paraíso das Águas que a situação ficou ainda mais tensa. Sem quererem se render, os assaltantes iniciaram-se uma nova troca de tiros, mas deu errado para eles: foram atingidos e morreram ali mesmo, longe de casa e durante uma movimentada noite de sexta-feira. A dupla não portava documento de identidade e, por esse motivo, a polícia investiga para saber quem são eles; ou aguarda a chegada de familiares.