Redenção propõe convênio com a PM para a fiscalização do trânsito

Caso a parceria seja concretizada, a Polícia Militar terá poderes para orientar, multar e apreender. O objetivo, além de melhorar o trânsito, é também prevenir e minimizar a criminalidade
Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on print
Imprimir

Continua depois da publicidade

Aconteceu na última quarta-feira (13), em Redenção, reunião para acertar parceria entre o Departamento Municipal de Trânsito e Tráfego (DMTT) e a Polícia Militar, a fim de que a PM possa colaborar na fiscalização e organização do trânsito na cidade, com poderes de orientar, multar e apreender. Além disso, a atuação da corporação na abordagem de veículos, sobretudo motocicletas, será mais uma forma de prevenir e minimizar a criminalidade reinante no município.

 Estiveram presentes o tenente-coronel Miranda e Wendel Morais, ambos do Conselho do Estadual de Trânsito (Cetran-PA), o diretor do DMTT, Pedro Rodrigues, o comandante do 7º BPM, tenente-coronel Daniel Dias da Silva, e o comandante do CPR-5 coronel Eric Fleming. Ainda na quarta-feira (13), o coronel Miranda retornou a Belém com a proposta do convênio.

Ouvido pela Reportagem do Blog, Pedro Rodrigues ressaltou que o objetivo principal da reunião era dar a celeridade ao projeto, que tem o apoio da promotora de Justiça Rosângela Hartmann e do prefeito Carlo Iavé Furtado: “Isso é um sonho de muito tempo. Há anos a promotora cobra do município esse convênio com a Polícia Militar, para melhorar o transito da nossa cidade”.

De acordo com o comandante do 7º BPM, o policial que fará parte do projeto vai passar por um treinamento de agente de trânsito para que atue como polícia de trânsito.

Ainda segundo informações repassadas à Reportagem, os policiais escolhidos para atuar no trânsito pertencem ao quadro da Rocam (Rondas Ostensivas com o Apoio de Motos). “Eles têm mais facilidade de se deslocar nas ruas e avenidas da cidade e, com isso, podem fazer um atendimento mais eficaz para toda a sociedade”, avaliou o tenente-coronel Daniel Dias da Silva.

 Os policiais poderão atuar 24 horas no transito de Redenção fazendo autuações, orientações e remoção, caso venha ser necessário.

“Infelizmente, sabemos que, na prática do dia a dia, a criminalidade, em assaltos e homicídios, usa veículos de duas rodas. E, com a Polícia Militar tendo participação,

Publicidade

Relacionados