Prefeitura de Parauapebas vai receber quase meio milhão por venezuelanos

Capital do minério e outros 12 municípios, entre eles Belém, foram contemplados com recursos federais para execução da interiorização de população em situação de vulnerabilidade social.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Pelo menos 13 prefeituras brasileiras vão faturar recursos da União para execução de ações socioassistenciais visando à interiorização de imigrantes venezuelanos oriundos do estado de Roraima. Uma delas é a Prefeitura de Parauapebas, que vai receber R$ 480 mil por recepcionar cerca de 200 venezuelanos em situação de vulnerabilidade social. A informação consta de uma portaria do Ministério da Cidadania publicada nesta segunda-feira (30) no Diário Oficial da União (DOU), conforme você pode visualizar aqui.

No Pará, além de Parauapebas, vão receber recursos as prefeituras de Belém (R$ 1,44 milhão pela interiorização de 600 pessoas) e Monte Alegre (R$ 120 mil por 50 venezuelanos). Segundo a portaria, o repasse financeiro é emergencial e provém da atestada e pública situação de vulnerabilidade decorrente de fluxo migratório para Roraima provocado por crise humanitária na Venezuela e da necessidade de assegurar medidas de assistência emergencial aos venezuelanos em situação de risco pessoal e social. Os recursos serão repassados em parcela única por conta de seis meses de atendimento.

Mas é preciso cautela com o uso da verba. De acordo com o Ministério da Cidadania, os gestores têm de enviar, até 30 dias a contar do recebimento do recurso, plano de ação conforme modelo definido pela Secretaria Nacional de Assistência Social. O não envio do plano poderá causar a devolução integral do recurso pelas prefeituras. O próprio ministério, por intermédio da Secretaria Nacional de Assistência Social, prestará assessoramento técnico a estados e municípios nas atividades de planejamento e implementação das ações.