Policlínica de Parauapebas é habilitada para diagnóstico de câncer de mama

Fundo Nacional de Saúde adotará medidas para efetuar transferência regular e automática de recursos ao Fundo Municipal de Saúde da Parauapebas, com finalidade de custear os serviços
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Boa notícia para a saúde pública de Parauapebas na reta final de 2021: a Policlínica do município, gerida pela prefeitura, acaba de ser habilitada como serviço de referência para diagnóstico de câncer de mama. A habilitação foi publicada na edição de ontem (29) do Diário Oficial da União (DOU). Com a medida, o município estará autorizado a receber recursos do Governo Federal para custeio dos serviços.

A informação foi levantada pelo Blog do Zé Dudu e pode ser conferida aqui. De acordo com o Ministério da Saúde, o Fundo Nacional de Saúde adotará as medidas necessárias para a transferência, regular e automática, de recursos ao Fundo Municipal de Saúde da Parauapebas, em parcelas mensais. A estimativa é de que o valor anual do repasse seja R$ 8.273,28.

No ano passado, graças a uma grande mobilização do secretário de Saúde, Gilberto Laranjeiras, e do prefeito Darci Lermen, o Ministério da Saúde havia habilitado o Hospital Geral de Parauapebas como Unidade de Atenção Especializada em Doença Renal Crônica (DRC) com Hemodiálise e, também, como Unidade de Atenção Especializada em Doença Renal Crônica (DRC) com Diálise Peritoneal. Durante todos esses anos, o município jamais desassistiu os pacientes que precisam do serviço e manteve o atendimento com recursos próprios.

Atualmente, cerca de 60 pacientes realizam atendimento em Parauapebas, três vezes por semana, cada um por três horas. As máquinas da hemodiálise realizam o serviço que os rins do paciente não conseguem fazer. É um procedimento complexo e que segue todos os padrões de segurança estabelecidos pelos órgãos de saúde.

Também no ano passado o município foi contemplado com recursos para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), pertencente à Central de Regulação das Urgências de Carajás. O Ministério da Saúde destinou verba para qualificação das unidades de suporte avançado e básico.