Prefeito de Tucuruí decreta lockdown na cidade, de hoje até domingo, dia 24

O aumento dos casos de covid-19 e a limitação do Hospital Regional de Tucuruí causam preocupação ao governo do prefeito Artur de Brito
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Em reunião realizada durante a tarde de ontem (19), o Comitê Gestor de Crise de Enfrentamento do Covid-19 de Tucuruí aprovou e o prefeito Artur de Jesus Brito decretou o lockdown na cidade, até o próximo dia 24. A partir desta quarta-feira (20), todas as atividades não essenciais estão suspensas e a circulação de pessoas, restritas.

Para elaborar o documento, o gestor municipal levou em consideração o resultado da reunião do Comitê, quando sete dos 11 integrantes com direito a voto optaram pela paralisação total.

A Associação Comercial de Tucuruí (Acit) e a Subseção da Ordem dos Advogados do Brasil foram contrárias ao lockdown. Votaram pela aprovação da medida representantes do Ministério Público Estadual, Procon, Prefeitura, Câmara e outros. Houve ainda duas abstenções.

A evolução no número de casos positivos de covid-19 na região do entorno do município de Tucuruí foi um dos motivos apontados pelo prefeito Artur Brito para decretar a medida.

Além disso, preocupa as autoridades a pouca estrutura do Hospital Regional de Tucuruí, unidade de referência para atendimento de casos do da covid-19, com apenas quatro leitos de UTI destinados aos pacientes acometidos do novo coronavírus.

Os números do relatório epidemiológico de ontem também tiveram peso na decretação do lockdown: 200 pacientes já foram diagnosticados com a covid-19 e 26 pessoas já morreram acometidas pela doença.

Até o dia 24, as pessoas podem circular apenas para finalidades especificas, entre elas, aquisição de gêneros alimentícios, medicamentos, produtos médico-hospitalares, produtos de limpeza e higiene pessoal; para o comparecimento, próprio ou de pessoa como acompanhante, a consultas ou realização de exames médico-hospitalares, nos casos de problema de saúde; para realização de operações de saque e depósitos de dinheiro; e para realização de trabalho nos serviços e atividades considerados essenciais, nos termos do anexo do Decreto Estadual 729/2020.

Os órgãos do Sistema de Segurança Pública e Defesa Social, bem como a Secretaria de Apoio à Segurança Pública, Procon/Tucuruí, Vigilância Sanitária e Companhia de Trânsito de Tucuruí (CTTUC) estão autorizados a aplicar sanções previstas em lei relativas ao descumprimento: tais como: advertências, multa diária de até R$ 50.000,00 para pessoas jurídicas, a ser duplicada por cada reincidência e multa diária de R$ 150,00 para pessoas físicas, MEI, ME e EPPs, a ser duplicada a cada reincidência.

(Antonio Barroso)

Publicidade