Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Parauapebas

Associação Comercial de Parauapebas promove mais “Café de Negócios”

O encontro de negócios dá oportunidade a que os empresários troquem ideias e informações se capacitem e também façam negócios

A Associação Comercial, Industrial e Serviços de Parauapebas (Acip), em parceria com a empresa Vale, realiza no próximo dia 5 de novembro, mais um Café de Negócios com foco nos segmentos de gêneros alimentícios – descartáveis, secos, carnes, peixes e frangos, sorvetes, padaria, material de limpeza e amenities. O encontro será realizado no prédio da entidade. Participarão representantes da área de Compras e Suprimentos da Vale.

Os Encontros de Negócios são uma oportunidade para que o empresário possa desenvolver networking e potencializar o relacionamento com os grandes projetos industriais, por meio das trocas de contatos, experiências, e possíveis negociações de contratos futuros.

A parceria entre Acip e Vale busca possibilitar a identificação de fornecedores locais aptos a atender as demandas dos projetos industriais sediados no município.

As empresas que trabalham com esses segmentos e tem interesse em participar do evento, precisam entrar em contato com a Acip para maiores informações, o Café de Negócios é gratuito.

Mesmo os empresários que não trabalham com os serviços relacionados também estão convidados, pois será uma oportunidade de fazer novos negócios e se confraternizar com os demais empresários em geral.

Canaã dos Carajás

Cinco empresas vencem primeira licitação para o Distrito Empresarial de Canaã

A expectativa inicial é e que 400 postos de trabalho sejam gerados com as empresas em atividade. Nos próximos 60 dias nova rodada  licitatória será realizada e mais 17 empresas concorrerão.

A assinatura dos contratos aconteceu na noite deste sábado (29), no palco da 3ª Fencan (Feira de Negócios de Canaã dos Carajás). Representantes das cinco empresas vencedoras da primeira licitação estiveram presentes, junto com o prefeito Jeová Andrade, entre outras autoridades. As empresas são: Vix Transportes, U&M, Alvorada Mangueiras, AC & Construtora; e CST Construservice. Elas já estão liberadas para se instalar e atuar no Distrito Empresarial “Antônio José de Araújo”, inaugurado no início deste ano.

Segundo Jeová Andrade, a expectativa inicial é de que 400 novos postos de trabalho sejam gerados com as empresas em atividade. “Uma das nossas maiores prioridades é a geração de emprego e renda em Canaã. Sabemos que esse é um importante passo e uma conquista para todos nós. A nossa meta é alavancar o desenvolvimento econômico de Canaã e vamos conseguir”, pontuou.

Para conceder o terreno, o governo levou em consideração requisitos técnicos como a formação de cadeia de fornecimento de matéria prima renovável e com potencial de ser produzido no município, empresas com certificação internacional de compromisso ambiental, entre outros. Essas condições não são desclassificatórias, porém servem para classificar as empresas durante a concorrência.

Dotado de infraestrutura completa, com asfalto de qualidade, água, tratamento de esgoto, energia elétrica e até heliporto, o Distrito vai poder abrigar empresas de ramos diversos e conta com um parque industrial, de serviços e logística, e mais dois polos: o da pequena indústria e da educação, preparado para receber instituições de ensino.

A área foi utilizada pela mineradora Vale para realizar a estocagem de estruturas e montagem de 109 módulos que compõem a usina de processamento da mina de S11D, inaugurada em 2016. Com o início da operação da extração mineral, a estrutura foi doada à prefeitura em outubro de 2017. Nos próximos 60 dias uma nova rodada licitatória será realizada onde mais 17 empresas concorrerão.

Canaã dos Carajás

Empresas de Canaã aderem à campanha “Limpe seu nome”

Durante a ação, que acontecerá na 3ª Feira de Negócios, pessoa com dívidas no comércio vão poder negociar o pagamento, com desconto de juros e ter no nome retirado do SPC e da Serasa

A notícia é excelente para que as pessoas que possuem dívidas em atraso possam renegociar seus débitos no comércio canaense, sem juros e sem multas, e se ver livre do SPC e Serasa. Empresas de vários segmentos já aderiram à campanha “Limpe seu nome e volte a ter crédito”, promovida pela Aciacca (Associação Comercial, Industrial e Agropastoril de Canaã dos Carajás), presente na 3ª Feira de Negócios e Festival da Cultura Gastronômica do município.

A ação, realizada pela primeira vez em Canaã dos Carajás, tem como objetivo realizar uma grande liquidação de crédito. Com descontos variados. Também será possível ao cliente inadimplente quitar ou renegociar dívidas antigas.

De 26 a 30 de setembro, 23 empresas estarão ofertando descontos nos juros e até parte do valor principal do débito. Para facilitar ainda mais, alguns estabelecimentos parcelarão em até seis vezes o valor renegociado.

Além de devolver o crédito ao consumidor, a campanha também almeja impulsionar as vendas no comércio local. Os interessados em voltar a ter crédito na praça podem procurar o estande da Acciaca.

Confira lista dos estabelecimentos participantes: Goiás Materiais de Construção, Casa das Ferramentas, Construcenter, Henrique Calçados, Mara Móveis, Lojas Economia, GP Pneus, Loja Modelo, Papelaria ABC, Hipermóveis, Loja Pé Quente, Top Fama, Ótica Mundial, One Store Marisol, Parafusão, Mega Presentes, Planeta dos Ferros, Auto Elétrica Abreu, Escola Técnica Vale dos Carajás, Colégio Dom Bosco e Coife Odonto.

Canaã dos Carajás

Agentes intensificam fiscalização ao comércio de gás em Canaã

A iniciativa visa combater o comércio ilegal e garantir que distribuidores funcionem de acordo com a legislação

Sem conseguir conter a alta no preço do produto, o jeito agora é contar com fiscalização para não ser “passado para trás” pelas distribuidoras. Uma parceria entre o Setor do Código de Posturas e as secretarias Municipais de Finanças e Meio Ambiente de Canaã dos Carajás vai intensificar a fiscalização contra o comércio irregular de gás de cozinha no município. A ação já vem sendo realizada desde o mês de agosto.

A iniciativa visa combater o comércio ilegal do Gás Liquefeito de Petróleo (GLP), o gás de cozinha, e garantir que distribuidores funcionem de acordo com a legislação que prevê condições técnicas mínimas em saúde, segurança e meio ambiente para a atividade.

Segundo o coordenador do Setor do Código de Posturas, Valdevino Carvalho, a fiscalização visa dar maior segurança à comunidade. “As distribuidoras devem garantir a boa procedência do produto e acondicionar os botijões em locais adequados.  Nosso intuito, também, não é prejudicar o comerciante e, sim, elevar sua capacidade de gestão, estimulando que mantenha seu negócio dentro da norma vigente”. A multa pelo descumprimento das especificações pode chegar a R$ 1.600,00.

Segundo o artigo 112 da Lei Municipal 623, que institui o Código Tributário, toda modalidade empreendedora deve ter a atividade inclusa no Cadastro Nacional de Pessoa jurídica (CNPJ); obter licenças específicas de acordo com a atividade; e o Alvará de funcionamento atualizado. No caso do comércio do gás de cozinha, as licenças são emitidas pelo Corpo de Bombeiros e pela Secretaria de Meio Ambiente.

Para tirar dúvidas ou denunciar a venda clandestina de gás de cozinha é possível ligar para a ANP no número 0800 070 0267. Pelo telefone é possível saber se o local procurado é um ponto oficial de venda.

Parauapebas

Café de Negócios em Parauapebas atraiu diversas empresas

O objetivo do Café de Negócios foi promover a aproximação das empresas locais com o maior comprador da região, que é a Vale

Com a participação de diversos empresários o CAFÉ COM NEGÓCIOS aconteceu na manhã desta terça-feira, 4, no Auditório da ACIP – Associação Comercial, Industrial e Serviços de Parauapebas. “Nosso objetivo em nossos Café de Negócios, sempre será promover a aproximação das empresas locais com o maior comprador da região, que é a Vale”, explica Humberto Costa, presidente da ACIP, entidade organizadora do evento; dando conta de que a Vale e ACIP vem fazendo um trabalho ao longo do tempo para aumentar essa participação a cada dia.

Para que este trabalho de aproximação aumente, Humberto Costa diz haver um Plano de Ação, tendo nele, inclusive, o controle do volume de dinheiro que a Vale paga para as empresas de Parauapebas. O objetivo do controle, segundo ele, é buscar o crescimento na participação das empresas nas obras da Vale o que trará mais emprego e renda para pessoas de Parauapebas.

Quem conduz o CAFÉ DE NEGÓCIOS é o SEBRAE – Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas, incentivando as empresas a participar. “O SEBRAE visa sempre fomentar os pequenos negócios locais. Nossa função aqui é preparar estas empresas para o contato com esse grade comprador”, conta Tatiane Faro, gestora de Projetos no SEBRAE, garantindo que uma empresa preparada consegue mais facilmente vender seu produto para este grande comprador e consequentemente se estabelece no mercado local.

 

 

Marabá

Amedrontados com assaltos, comerciantes pedem ajuda da PM em Marabá

Empresários da Av. Nagib Mutran, principal via do comércio da Cidade Nova, já não conseguem trabalhar nem dormir sossegados, temendo assaltos e arrombamentos

Apavorados desde o momento em que abrem seus estabelecimentos até a hora em que fecham. Assim tem sido a rotina dos comerciantes da Avenida Nagib Mutran, principal via de negócios do Bairro Cidade Nova. Essa preocupação, porém, não cessa quando eles voltam para casa, pois ainda há o perigo de ter o desprazer de, ao chegar no dia seguinte, encontrar a loja arrombada e dela levadas mercadorias. Diante do temor crescente e do aumento do volume de queixas, o Sindicato Patronal do Comércio Varejista de Marabá (Sindicom) promoveu reunião na noite de ontem (14) para debater o assunto e encontrar soluções.

Participaram do encontro cerca de 20 comerciantes da Nagib Mutran, representando os demais empresários; o subcomandante do 4º BPM (4º Batalhão de Polícia Militar), major Hélio Ernani Oeiras Formigosa; o recém-chegado comandante de área do Núcleo Cidade Nova, capitão Harley Alves da Costa; o presidente do Sindicom, Félix Gonçalves de Miranda; o vice-presidente Raimundo Alves da Costa Neto; e os  diretores Francisco Arnilson de Assis e Maria do Livramento Sá de Almeida, a Lia da Liberdade.

Félix Miranda, Raimundo Neto e Francisco Arnilson abriram o encontro, cada um falando objetivamente dos motivos e, por fim, franqueando a palavra para a pequena plateia que ocupou uma das salas do Senac (Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial). Os relatos impressionam pela ousadia como os bandidos agem. O primeiro comerciante a falar, do ramo de confecções, lembrou que o empresário hoje recolhe uma carga muito pesada de impostos e que gostaria de ver o retorno, sobretudo em segurança pública. Ele contou que seu comércio já foi alvo de dois assaltos e informou que, em cada ataque desses as perdas são altas, variam de R$ 20 mil a R$ 30 mil. O empresário alertou ainda para o fato de que muitos, por não conseguirem suportar financeiramente os danos causados pelos assaltos, podem vir a cerrar as portas e acabar gerando desemprego. Ou seja, no rastro do problema da segurança vem também o problema social.

Uma empresária contou que está perdendo vendas no horário do almoço, período em que a rua fica com pouco movimento e, temendo ser vítima de assalto, ela fecha a porta de vidro e teme atender quem chega ali, a não ser que o cliente já seja conhecido. Outra contou que, em apenas uma noite, perdeu para arrombadores as economias que havia conseguido amealhar em 25 anos de trabalho, como funcionária de uma rede de lojas de departamentos, das quais havia investido cada centavo em uma loja.

Houve ainda relatos de outros arrombamentos; de marginais ameaçando comerciantes de arrombar suas lojas na madrugada e concretizando mesmo a ameaça; de furtos em dias de grande movimentação, como no último fim de semana, quando aconteceu o Liquida Geral; e de assaltos – vários – à luz do dia.

Após ouvir atentamente os comerciantes, o major Oeiras disse que, com a incorporação recente de 133 policiais no 4º Batalhão e com a chegada do capitão Haley, iria ajustar, a partir de hoje, a
situação da segurança no Cidade Nova, especialmente na área comercial, com policiamento a pé, e a presença de uma viatura, que já faz rondas no local 24 horas.

“Agora é uma questão de ajuste, acabamos de tomar conhecimento das demandas dos comerciantes, vamos poder ajustar esse policiamento para dar uma qualidade melhor na segurança aqui da Cidade Nova”, disse ele, anunciando a entrega, em breve, de 41 motos para o batalhão local, várias das quais serão empregadas no policiamento ostensivo daquele núcleo. “Essa reunião foi muito importante porque promoveu a união entre a PM e a comunidade do comércio e, com certeza absoluta, vamos ter um resultado mais positivo”, avaliou Oeiras.

Já o capitão Harley afirmou que com todo o apoio logístico garantido pelo 4º BPM, iria, a partir de hoje, começar seu trabalho implantando uma rede de segurança, usando os grupos de WhatsApp, para que o comerciante possa interagir diretamente como a PM no dia a dia, informando sobre pessoas e movimentações suspeitas, além de outras providências. “Creio que os índices da criminalidade vão diminuir”, disse ele.

Marabá vai ganhar mais um Batalhão da Polícia Militar 

O major Oeiras anunciou ainda que, considerando o grande crescimento da cidade, em breve haverá a instalação de mais um batalhão em Marabá, o 34º BPM, que vai garantir o policiamento ostensivo na parte de Marabá após a ponte do Rio Itacaiúnas, na Região do Rio Preto, na Região do Sororó e em Itupiranga, São Geraldo do Araguaia e Piçarra.

Segundo ele, só falta a assinatura do governador Simão Jatene para que ocorra a instalação. Lia da Liberdade lembrou que essa era uma reivindicação bem antiga da população do outro lado do Itacaiúnas e também falou das conquistas e avanços no setor da segurança, quando o Cisju (Conselho Interativo de Segurança e Justiça) funcionava em sua plenitude, afirmando que aquele era o caminho, a interação entre a população e os órgãos de segurança, para que a tranquilidade volte reinar no Cidade Nova.

Nova reunião deve ocorrer em breve, esta também com a presença de representantes da Polícia Civil, Ministério Público Estadual, Secretaria Municipal de Segurança Institucional e Secretaria Municipal do Meio Ambiente.

Por Eleutério Gomes – Correspondente em Marabá

Pará

Oeste do Pará está bem perto de ter Área de Livre Comércio

Projeto do senador paraense Flexa Ribeiro (PSDB), a ALC será criada em Santrém e impulsionará o desenvolvimento da região

A classe política da região oeste do Pará recebeu com entusiasmo a notícia de que o projeto que cria a Área de Livre Comércio de Santarém (PLS 143/2010), de autoria do senador Flexa Ribeiro (PSDB-PA) está pronto para ser votado na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), após o fim do recesso parlamentar, no decorrer do mês de agosto. A matéria aguarda apenas a conclusão do parecer do relator, senador Omar Aziz (PSD-AM), na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) para votação e seguir o trâmite regimental.

“Não é de agora que defendo lá no Senado a importância deste projeto para a região e para o Pará. Somos o único estado brasileiro na Amazônia que não tem nenhuma área de livre tributação”, ressaltou Flexa, que defende a ALC como forma de impulsionar o desenvolvimento na região oeste paraense.

O senador explicou que o projeto foi aprovado em 2013 na Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo (CDR), atendendo a um antigo pleito do Pará, o único Estado da Região Amazônica sem ter uma área com benefício fiscal. Quando implantada na região, a Área de Livre Comércio deverá incentivar o processamento da matéria-prima local, agregando valor econômico e gerando emprego e renda na região.

Entenda os detalhes do projeto de que cria a área de livre comércio

A criação de uma ALC de importação e exportação, sob regime fiscal especial, em Santarém, compete ao Poder Executivo, por indicação de projeto nesse sentido, conforme apresentado pelo senador Flexa Ribeiro.

Na prática, após aprovado o PLS, é demarcada a superfície territorial da área; especificadas quais são as mercadorias estrangeiras que entram na Área de Livre Comércio que terão isenção do IPI; são especificadas também quais as mercadorias que estão excluídas dos benefícios fiscais concedidos e é definido que o órgão gestor das políticas públicas de desenvolvimento da indústria, do comércio e dos serviços e das políticas públicas de comércio exterior, será o responsável em administrar a Área de Livre Comércio de Santarém.

Cabe também ao Poder Executivo, regulamentar a aplicação do regime aduaneiro especial às mercadorias estrangeiras destinadas à Área de Livre Comércio e estabelecer anualmente o limite global para as importações.

Ao Banco Central cabe a normatização dos procedimentos cambiais aplicáveis às operações realizadas na Área de Livre Comércio. À Secretaria da Receita Federal do Brasil caberá exercer a vigilância da Área de Livre Comércio e a repressão ao contrabando e descaminho; definindo o prazo de 25 anos para a concessão de isenções e benefícios a partir da entrada em voga da lei.

O projeto prevê também que o Poder Executivo tem a competência para estimar o montante da renúncia fiscal decorrente do demonstrativo regionalizado do efeito, sobre as receitas e despesas, decorrente de isenções, anistias, remissões, subsídios e benefícios de natureza financeira, tributária e creditícia que acompanha o projeto de lei orçamentária.

Por Val-André Mutran – Correspondente em Brasília.
Marabá

Conselho de Jovens Empresários lança o 3º Liquida Geral Marabá

Este ano a campanha, que aquece o comércio local, acontece em 10 e 11 de agosto. No ano passado, nos dois dias, as 125 empresas que aderiram faturaram R$ 9,4 milhões

O Conselho de Jovens Empresários de Marabá (Conjove) lançou, na noite de ontem, terça-feira (3), no auditório da Associação Comercial e Industrial de Marabá (Acim), o 3º Liquida Geral. A campanha acontece desde 2016 na cidade e durante dois dias aquece o comércio e setor de serviços, que concedem descontos que podem ir de 25% a 80%. Isso faz com que tenham faturamento extra, levem o consumidor – que também sai ganhando – para dentro das lojas e renovem seus estoques. No ano passado, 125 empresas participaram do Liquida Geral Marabá e, juntas, faltaram R$ 9,4 milhões em dois dias. Este ano a campanha acontece nos dias 10 e 11 de agosto próximo.

Caetano Reis Neto, presidente do Conjove Marabá, conta que há testemunhos de empresários revelando que nos dois dias tiveram faturamento surpreendente, afirmando que venderam mais que no Natal, Dia das Mães e Dia dos Namorados, as três datas mais fortes para o comércio. Este ano a expectativa é de que 150 empresas possam aderir à campanha.

A iniciativa tem a parceria do Sindicom (Sindicato do Comércio Varejista de Marabá), CDL (Câmara dos Dirigentes Lojistas), Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), Prefeitura de Marabá e Acim, entidade da qual o Conjove é órgão permanente.

“Nesta terceira edição, a gente vem com novidades para atender a essa demanda do comerciante local, oferecendo, inclusive novas ferramentas para esse desenvolvimento”, afirma Caetano, informando que, este ano o Liquida Vem com três novidades.

A primeira é a mudança de data, antecipada para agosto – nos dois primeiros anos aconteceu em outubro -, em razão do adiamento da Expoama (Exposição Agropecuária de Marabá) para setembro; e das eleições, em outubro. A segunda é o abatimento no valor dos kis – camisetas, bandeirolas e adesivos da campanha – para quem adquirir maior quantidade.

E a terceira inovação será uma capacitação voltada ao comércio de mercadorias e serviços usando as redes sociais. “Tanto na parte do e-comerce, para quem já tem site, quanto na área de marketing digital voltado para as redes sociais”, explica Caetano, lembrando ainda que os vendedores das empresas participantes terão palestras motivacionais antes do 3º Liquida Geral.

Além do Liquida Geral, o Conjove promove outras duas grandes campanhas que movimentam o comércio local: o Saldão de Aniversário, que acontece há dois anos; e o Feirão do Imposto, que ocorre há oito anos. As três datas já fazem parte do calendário de eventos empresariais da cidade.

Participaram da palestra de abertura: o presidente da Acim, Ítalo Ipojucan Costa; o vice-presidente, Eugênio Alegretti Neto; os diretores Sueli Pianho, Delano Remor, João Tatagiba, Marcelo Almeida Araújo; Ricardo Pugliese, também secretário municipal de Comércio e Indústria; o vice-presidente do Sindicom, Raimundo Alves Neto; e o gerente do Sebrae em Marabá, Marcelo Araújo, além de diretores do Conjove.

Por Eleutério Gomes – Correspondente em Marabá