Parauapebas passa Marabá e já tem mais eleitores biometrizados

18 mil eleitores marabaenses não deram as caras na atualização da biometria, daí a razão dos parauapebenses somarem contingente maior. Ambos municípios estão no radar dos políticos.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

O acelerado crescimento demográfico por que passa Parauapebas, sobretudo nos últimos dois anos, quando voltou a triunfar nas estatísticas nacionais da geração de empregos com carteira assinada, fez com que a Capital do Minério desbancasse Marabá, pela primeira vez, em número de eleitores. Pelo menos, no que diz respeito aos biometrizados.

A informação foi levantada pelo Blog do Zé Dudu, após puxar dados do eleitorado com cadastramento biométrico consolidado nos sistemas do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) até o último domingo (11). Já são 162.742 eleitores biometrizados em Parauapebas ante 161.276 em Marabá, diferença de quase 1.500 eleitores. Nos cálculos das estimativas anuais do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Marabá segue sendo o município mais populoso.

Na verdade, Marabá ainda tem mais eleitores que Parauapebas, incluindo-se os não biometrizados. Um balanço divulgado pelo TSE antes das eleições de novembro de 2020 mostrou que eram cerca de 180 mil em Marabá ante 163 mil em Parauapebas. A diferença também apareceu nas urnas, quando, no dia da votação, 136.777 eleitores compareceram no município centenário, enquanto no mais jovem foram 128.141.

Redutos de eleitorados importantes, Marabá e Parauapebas estão no radar dos políticos, que já se movimentam visando às eleições de 2022. Marabá tradicionalmente faz deputados estaduais, enquanto Parauapebas, apesar de já ter feito nomes, na última década vem tendo muita dificuldade para emplacar representante local que possa chamar de genuinamente seu.

Segundo o TSE, o Pará já possui 5,415 milhões de eleitores biometrizados. O total do eleitorado é maior porque muita gente ainda não compareceu para cadastrar a digital e atualizar os dados de domicílio eleitoral, principalmente por conta das medidas de distanciamento e a suspensão de atendimentos decorrentes da pandemia de coronavírus. Em novembro do ano passado, por exemplo, quando se permitiu que mesmo os não biometrizados pudessem votar, o estado computou 5,758 mil eleitores, quase 350 mil a mais que agora.

Além de Marabá e Parauapebas, outros cinco municípios paraenses já contam com mais de 100 mil eleitores: Belém, com 1,004 milhão; Ananindeua, com 328 mil; Santarém, com 219 mil; Castanhal, com 129 mil; e Abaetetuba, com 105 mil. Veja o ranking dos 20 maiores colégios eleitorais, com base no recadastramento biométrico computado até o último dia 11.

OS 20 MAIORES COLÉGIOS ELEITORAIS BIOMETRIZADOS

1º Belém: 1.003.981

2º Ananindeua: 327.721

3º Santarém: 218.911

4º Parauapebas: 162.742

5º Marabá: 161.276

6º Castanhal: 128.768

7º Abaetetuba: 105.475

8º Barcarena: 87.554

9º Cametá: 86.869

10º Bragança: 83.262

11º Altamira: 77.638

12º Marituba: 77.341

13º Itaituba: 72.432

14º Paragominas: 69.553

15º Tucuruí: 66.618

16º Breves: 61.993

17º Redenção: 55.211

18º Capanema: 50.211

19º Moju: 47.386

20º Tailândia: 46.130