Parauapebas: Movimenta Pebas estende Mostra de Cinema até agosto

Os interessados podem acessar os filmes e documentários até o dia 31 de agosto. Entre os documentários, três foram produzidos em 2019 por jovens dos municípios de Parauapebas, Ourilândia do Norte e Canaã dos Carajás, abordando temas regionais
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Foi estendida até 31 de agosto a “Mostra de Cinema Paraense do Movimenta Pebas”, iniciativa patrocinada pela Vale através da Lei de Incentivo à Cultura. A seleção de filme e documentários passeia por temas variados, como a tradicional festa do Círio de Nazaré, a fauna amazônica, lendas indígenas e reflexões contemporâneas, como a infância, o envelhecimento, a paixão pela música e pelo futebol.

Lançada no final de abril na página eletrônica do projeto (www.movimentapebas.art.br), a mostra apresenta a diversidade da produção do cinema independente do Pará na última década. Entre os documentários, três foram produzidos em 2019 por jovens dos municípios de Parauapebas, Ourilândia do Norte e Canaã dos Carajás.

Os curtas dialogam com as identidades locais, por meio de histórias de personagens das comunidades. Os vídeos são resultados das oficinas de cinema do Projeto Cultura na Praça, festival itinerante que busca fomentar e valorizar o patrimônio cultural e imaterial das localidades beneficiadas, e democratizar o acesso à cultura através da linguagem audiovisual.

Seguem em exibição na “Mostra de Cinema Paraense do Movimenta Pebas” as obras: Matinta (ficção, 2010, de Fernando Segtowick); Ribeirinhos do asfalto (ficção, 2011, de Jorane Castro); Para Vler Poesia (animação, 2012, de Andrei Miralha e Marcílio Costa); O Time da Croa (documentário, 2014, de Jorane Castro; Toura, ficção, 2016, de Erik Lopes; Antigamente Não Existia Dia (ficção, 2017, de Adriano Barroso); Fé…promesseira (documentário, 2017, de Chico Carneiro); Allegro Pero no Mucho (animação 2019, de Cássio Tavernard); e Josephina (ficção, 2019, de Zienhe Castro). Documentários produzidos pelos participantes do Cultura na Praça em 2019: Memórias (Parauapebas); Nunca Passe Ali (Ourilândia do Norte); Ser ou Ser (Canaã dos Carajás).

Além da mostra de cinema paraense, a página eletrônica do projeto disponibiliza dois cursos on-line sobre cinema, abertos à comunidade: História do Cinema Brasileiro de Baixíssimo Orçamento e História do Cinema Paraense. O site também exibe cinco peças de teatro, curso e obras de artistas plásticos e músicas de artistas de Parauapebas.

Adaptado para promover ações também durante a pandemia de Covid-19, o Movimenta Pebas oferece programação diversificada e totalmente gratuita à população nas áreas de teatro, dança, música, audiovisual e artes plásticas. O projeto ainda investe na produção e na capacitação dos artistas locais, impulsionando a rede produtiva da cultura e gerando renda.

Por meio de concurso cultural, o projeto selecionou e montou cinco peças teatrais de curta duração. Mais de 200 jovens e adultos de Parauapebas participaram de cursos on-line de capacitação em diferentes modalidades de dança com a equipe da renomada Corpo Escola de Dança, do Grupo Corpo. Na etapa de música, o projeto selecionou, produziu e divulgou dez videoclipes com músicas inéditas de compositores daquele município.

O projeto também promoveu programa de residência no campo das artes plásticas e exibiu a produção dos alunos. O Movimenta Pebas tem patrocínio da Vale, por meio da Lei de Incentivo à Cultura, apoio da Prefeitura Municipal de Parauapebas, Secretaria Municipal de Cultura, através do Centro Cultural de Parauapebas (CCP), e Instituto Vivas. Ele é realizado pela Vivas Cultura e Esporte, Ministério do Turismo e Secretaria Especial da Cultura do Governo Federal.

Tina DeBord – com informações da Vale

Foto: Divulgação Vale