Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
FROTA AUTOMOTIVA

Pará ultrapassa 2 milhões de veículos em circulação em 2018; veja números

Crescimento da frota, com destaque para as motos, acende alerta para aumento de acidentes sobre rodas. Administradora do DPVAT registrou ano passado mais pedidos de indenização por mortes no trânsito do Pará e motocicletas são as vilãs.

Entre 2017 e 2018, o Pará emplacou quase 100 mil novos veículos e sua frota ultrapassou mais de 2 milhões de unidades em circulação. Em números absolutos, são 2.013.952 carros e motos. As informações foram levantadas pelo Blog do Zé Dudu junto ao Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), que acaba de liberar os dados consolidados da frota referentes ao mês de dezembro. Matematicamente, há um veículo — carro ou moto — para cada grupo de 4,22 paraenses.

No estado, as motocicletas e motonetas lideram com folga. São 1,07 milhão de unidades em circulação. Os automóveis somam 600 mil veículos. A frota paraense corresponde a 2% dos 100.746.553 veículos em circulação no país, de acordo com o Denatran.

O aumento da frota também fez aumentar no Pará o número de pagamentos de indenizações por acidentes de trânsito. O Blog levantou informações junto à Seguradora Líder, administradora oficial do Seguro DPVAT, e constatou que entre janeiro e outubro do ano passado 1.324 famílias receberam indenização pela morte de parentes no trânsito. Esse número foi 0,54% maior que no mesmo período de 2017. O Pará responde por 46% das mortes de trânsito registradas na Região Norte e está na contramão do restante do país, onde se verificou diminuição de acidentes fatais entre 2017 e 2018 em 81,5% das Unidades da Federação.

Veja também:  Municípios com forte tradição pecuária são os "reis das rodas" no Pará

Além do pagamento de seguro DPVAT por morte, um total de 6.661 vítimas de acidente de trânsito receberam indenizações por invalidez permanente. Para piorar, segundo a Seguradora Líder, as motocicletas são as grandes vilãs dos acidentes: respondem pelo maior número de indenizações pagas em 2018. Apesar de representarem apenas 27% da frota nacional, elas movimentam 75% das indenizações, sobretudo em estados onde são a maioria absoluta dos veículos, como no Pará.