Natação da Tuna Luso tem evasão de 50% dos seus atletas devido à pandemia de Covid-19

A temporada para os cruzmaltinos praticamente encerrou sem competições importantes
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Devido à pandemia causada pelo novo coronavírus, todos os esportes acabaram paralisando suas atividades. Na natação da Tuna Luso Brasileira, equipe da capital Belém, não foi diferente. Já são 60 dias sem nenhuma movimentação para os atletas cruzmaltinos, e a direção da chamada Elite do Norte, recorreu para aulas online, tentando não perder o foco de seus nadadores.

“Treinos em casa para fazer a manutenção atlética desses atletas. Hoje a gente tem reuniões periódicas com os atletas, diariamente, através de aplicativos de reunião via internet. É uma maneira que descobrimos para manter tanto o condicionamento físico dos atletas, como também o lado emocional deles. A gente sabe que é muito difícil para os atletas que eram acostumados a treinar e a competir, e hoje a gente ver eles em uma situação dessa de está sem fazer nada”, afirmou Fernando Wilkinson, técnico de natação da Tuna Luso.

Além de deixar os cruzmaltinos sem atividades, inclusive atletas de pontas, que disputariam competições a nível nacional e até mesmo internacional, a pandemia vem causando um grande prejuízo a equipe de natação tunante. A evasão chegou nesta modalidade dentro do clube e em tempos de Covid-19 foi perdido 50% do elenco que representaria a Elite do Norte na temporada 2020.

“Nem todos os atletas hoje têm condições de ter acesso a internet, a computador, a smartphone. Então, a gente já está sentindo na pele a evasão. Nem todo mundo consegue praticar junto com a gente desse método que estamos inserindo atualmente, mas na medida do possível, até para manter contato, com ligação, seja por mensagem, para saber se está tudo bem, se estão precisando de alguma ajuda, para a gente manter pelo menos esse vínculo pessoal mesmo para quando voltarmos a treinar os atletas estejam indo focados e motivados”, disse Fernando Wilkinson.

O técnico cruzmaltino planeja mais uns 40 dias de paralisação das atividades dentro da Vila Olímpica, como é chamado o espaço da sede social da Tuna Luso Brasileira. Com mais essa nova quarentena e com tudo parado dentro do esporte aquático do clube, o treinador Fernando Wilkinson acredita que a temporada de 2020 para seus atletas foi por água abaixo e encerrou bem mais cedo do que as anteriores.

“A gente tinha todo um planejamento, todo um plano, uma excelente perspectiva de competições nacionais e até internacionais e hoje falando do esporte, nós vivemos uma incógnita e mais um mundo de incertezas. Não sabemos o que vai ser daqui para frente. Então, resta fazer isso que a gente está fazendo e torcer, rezar a Deus que volte logo”, finalizou Fernando Wilkinson.

Por Fábio Relvas