Marabá: uma das avenidas mais críticas durante as chuvas recebe drenagem de 2,5 milhões

A avenida Manaus, no Bairro Belo Horizonte, tem histórico de alagamentos que chegavam a invadir casas e lojas no período de inverno. Agora este problema parece ter seus dias contados
Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on print
Imprimir

Continua depois da publicidade

As obras de drenagem que estão sendo realizadas pela Sevop na Avenida Manaus, já começaram a dar resultados notórios aos moradores do Bairro Belo Horizonte após as últimas chuvas. Mesmo antes da finalização do serviço, o escoamento da água da chuva foi mais rápido evitando alagamento nas casas, situação que era comum. A obra da Prefeitura Municipal de Marabá, por meio da Secretaria de Viação e Obras (Sevop), está orçada em R$ 2.574.908.

Seu José do Espírito Santo trabalha no posto de combustível da Avenida Manaus e conhece bem o problema de alagamento que havia na rua. Depois das obras ele já viu diferença. “Dentro das casas não entrou mais. Das outras vezes a água custava escoar, dessa vez foi rápido”, relata o frentista.

A obra contempla um sistema de drenagem que vai aumentar a capacidade de coleta e ao mesmo tempo, de escoamento da água que se concentra rapidamente durante as chuvas.

Vangleydson Oliveira é comerciante e está otimista com a drenagem. “As obras ainda não foram concluídas, mas acredito que quando terminar vai resolver nosso problema. Dessa vez a água escoou mais rápido” confirmou ele.

O engenheiro Jaime Pessoa explica que “entre a Avenida Manaus com a Rua Curitiba há um ponto de inflexão, onde converge todas as águas daquela grande bacia que é formada pela Avenida Manaus, desde a Avenida Nagib Mutran. Dá quase 400 mil metros quadrados de área e a concentração de água é muito rápida”, conta.

Ainda segundo Jaime, no local, existe um PV (Poço de Visita) de drenagem com grade, mas foi feita uma segunda caixa lateral de 3 metros por 1,40m, que dobrou a capacidade de coleta. São duas redes de manilhas, com aproximadamente 950 metros. A rede dupla de 1.200m também dobrou a capacidade de escoamento.

A obra que já passou pela fase de escavações de até 4,5 metros de profundidade, avançou para a construção das caixas coletoras. O próximo passo é a revitalização e limpeza das caixas coletoras já existentes. As mesmas sofrem com o lixo jogado por moradores. A obra deve ser finalizada com a terraplenagem e pavimentação, inclusive da Rua Curitiba, informou o engenheiro da CCB.

Publicidade

Relacionados