Governo Tião autoriza compra de materiais para seguir “reconstruindo” Marabá

Por enquanto, primeiras licitações são voltadas à aquisição de insumos básicos para garantir manutenção de vias públicas e infraestrutura em geral. Propostas podem chegar a R$ 6,2 mi.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

O prefeito de Marabá, Tião Miranda, começou o ano arregaçando as mangas. Obstinado a entregar a principal cidade do sudeste do estado como uma das mais asfaltadas e urbanizadas do interior quando seu segundo mandato encerrar-se em 2024, Miranda autorizou a realização de uma compra milionária de materiais de construção pela Secretaria de Viação de Obras Públicas (Sevop) a partir de fevereiro. As informações foram levantadas pelo Blog do Zé Dudu.

No dia 18 do mês que vem, a Prefeitura de Marabá vai registrar preços de 12 insumos utilizados na construção civil, até o valor de R$ 4,625 milhões, para que a Sevop possa utilizar em serviços de competência da Administração, como muros de arrimo, implantação de sarjetas e bocas de lobo, pavimentação asfáltica, entre outros.

A ideia é, segundo a pasta, dar continuidade às ações de infraestrutura que estão dando cara nova a Marabá, após um longo hiato em que passou no início da década passada, sendo pejorada à época como cidade feia e abandonada. Atualmente, cerca de 240 mil habitantes residem na sede urbana do município, cuja população total se aproxima de 290 mil moradores, segundo estimativa para 2021 a partir de dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Em outra licitação programada para ter propostas apreciadas no dia 1º de fevereiro, o governo de Tião Miranda ficou de comprar até R$ 1,632 milhão em piçarra e barro para que a Sevop utilize em serviços de manutenção da malha viária do município. Ao longo de 2020, a Prefeitura de Marabá foi a campeã, disparado, em serviços de infraestrutura no interior Pará, considerando-se o quesito quantidade. A Prefeitura de Parauapebas, sua vizinha, leva o troféu em volume financeiro aplicado em infraestrutura, notadamente por meio do Programa de Saneamento Ambiental (Prosap) e nas operações tapa-buraco.