Governo de Tião Miranda busca empresa para elaboração de projetos de infraestrutura

Combo contempla projeto de pontes, drenagem, terraplenagem e pavimentação, entre outros, e é orçado em R$ 1,3 milhão. Secretaria de Obras diz que projeto mal elaborado vira prejuízo
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Pontes na cidade e no campo, solução viária para o trânsito, viaduto, drenagem, pavimentação. Tudo isso parece estar na mira de Tião Miranda, em Marabá, porque o governo dele abriu um pregão para registrar preços dos serviços de engenharia com foco na elaboração de projetos básico e executivo, de controle e acompanhamento de obras públicas, visando atender as necessidades do principal município do sudeste do estado.

No dia 21 de dezembro, devem ser apreciadas as propostas para contratação da empresa que eventualmente será demandada para o serviço, cujo custo é estimado em R$ 1,338 milhão. A informação foi levantada pelo Blog do Zé Dudu e pode ser conferida aqui. O pacote de projetos contempla diversas intervenções na área de infraestrutura, como:

  • Projeto de estrutura de concreto armado
  • Projeto de estrutura metálica
  • Projeto de estrutura mista
  • Projeto de ponte em concreto armado
  • Projeto de ponte em estrutura metálica
  • Projeto de ponte em estrutura mista
  • Projeto de ponte em trilho ferroviário
  • Projeto executivo de drenagem pluvial
  • Projeto geométrico de rodovias com pista simples
  • Projeto de terraplenagem de rodovias em pista simples
  • Projeto de pavimentação para implantação de rodovias em pista simples
  • Parecer técnico
  • Memoriais descritivos
  • Planilha de custos
  • Cronogramas

A Secretaria Municipal de Viação e Obras Públicas (Sevop), responsável pela contratação, alega que sem projeto básico não há como fazer previsão orçamentária adequada de uma obra ou prever recursos do orçamento municipal para executá-la. E em se tratando de obras, a cidade de Marabá planeja fazer um bocado na área urbana, sendo as principais a construção de duas pontes sobre o Rio Itacaiúnas — uma para interligar os núcleos Nova Marabá e Cidade Nova e outra para unir a Velha Marabá e a Cidade Nova.

“Os projetos básico e executivo de um empreendimento não são meras exigências formais, já que a obra é definida pelo projeto básico e as condições de sua execução devem ser estabelecidas no projeto executivo”, justifica a Sevop, explicando que projetos mal elaborados dão origem a uma série de problemas na execução, a desperdícios de recursos e ao não atendimento ao interesse público.

Dados levantados pelo Blog do Zé Dudu apontam que a Prefeitura de Marabá reservou R$ 125,36 milhões no orçamento deste ano para uso em urbanismo, em que se incluem os serviços de infraestrutura urbana (R$ 64,08 milhões). Do valor inicial, o governo local utilizou R$ 86,27 milhões de janeiro a outubro deste ano, a maior parte com serviços urbanos (R$ 44,92 milhões) e infraestrutura (R$ 37 milhões).