Lista seleciona os 100 políticos mais influentes do Brasil; dois são do Pará

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on print

Continua depois da publicidade

Dos 100 políticos mais influentes do Congresso Nacional, dois são do Pará. É o que revela a publicação ‘Os Cabeças do Congresso’, divulgada pelo Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap). Desde a sua primeira edição, há 24 anos, a lista dos mais influentes é referência entre parlamentares, autoridades do Poder Executivo, dirigentes partidários, e demais interessados no processo decisório no Poder Legislativo.

Para identificar os políticos mais influentes, o Diap utilizou três critérios: o institucional, ou seja, o posto que ocupa na estrutura da Casa ou no partido; o reputacional, como é visto por seus colegas e correligionários de partido e região; e o decisional ou como se comporta frente a votações, negociações e articulações políticas.

Pelo terceiro ano consecutivo, o senador Flexa Ribeiro (PSDB-PA) aparece como um dos políticos mais influentes do Congresso. Recentemente reeleito para comandar o PSDB no Pará e reconduzido à vice-presidência da Executiva Nacional, Flexa tem se destacado em algumas importantes discussões nacionais, defendendo os interesses do povo paraense. É o caso do projeto (315/2016) que propõe revisão do número de Deputados Federais em conformidade com a estimativa populacional do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

De autoria do senador Flexa, o projeto faz uma correção e “justiça com a população paraense”, defende o parlamentar. Desde 1985 a formatação da Câmara dos Deputados permanece a mesma, provocando problemas no sistema representativo brasileiro. O Maranhão, com uma população de 7 milhões de habitantes, tem uma bancada de 18 deputados federais. Já o Pará, com seus 8,3 milhões de paraenses, conta com uma representação de 17 deputados. Se a constituição fosse respeitada, como quer o projeto do senador, a bancada do Pará deveria receber um incremento de mais 4 deputados, totalizando 21.

Além de reforçar a representação política no Pará na Casa legislativa, na medida em que aumenta em 4 deputados, o projeto do senador garante mais recursos ao Pará. Isto porque cada parlamentar tem direito a R$ 15,3 milhões relativos às emendas individuais. Cada uma dessas quatro cadeiras poderia aportar R$ 61,2 milhões ao longo do mandato de quatro anos. No total, são R$ 244,8 milhões que deixam de entrar nos cofres do Pará em benefício da população local.

senadores

A atuação do senador Flexa também foi fundamental para que Estados e municípios mineradores tivessem um incremento em suas compensações pela exploração mineral. Sancionada na última segunda-feira, 18, a Medida Provisória 789 alterou a alíquota e a base de cálculo da Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais (Cfem). A alíquota do minério de ferro passou de 2% para 3,5%, assegurando maior repasse para que as localidades mineradoras e os municípios à margem dos grandes projetos tenham condições de mudar a sua base econômica a médio e longo prazo.

Outra importante defesa do senador é o fim das perdas geradas pela não regulamentação da Lei Kandir. Avança no Senador a PEC 37/2007, que revoga a não incidência de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) na exportação de produtos primários e semielaborados.

Autor da PEC, o senador Flexa ressalta que a proposta corrige as distorções ocasionadas pela não regulamentação da Lei Kandir. Dados do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz), divulgados pela Câmara dos Deputados, indicam uma perda anual de R$ 39 bilhões dos Estados exportadores. Somente o Pará perde cerca de R$ 3,1 bilhões por ano. No período de 1997 a 2016, o Estado deixou de arrecadar R$ 35,7 bilhões. Para se ter uma ideia, a perda anual do Pará com a desoneração do ICMS poderia ser empregada na construção de 20 hospitais equivalentes ao Regional Dr. Abelardo Santos (HRAS), o maior hospital público da Região Metropolitana, com mais de 250 leitos.

Além de Flexa, aparece na lista do Diap o senador paraense Paulo Rocha (PT). O parlamentar é líder da bancada paraense no Congresso Nacional e já foi o líder do PT no Senado Federal.

Publicidade