Deputado Beto Faro quer Lula livre e reestruturar PT no Pará

Eleito neste domingo, 20, com ampla margem de votos, novo presidente do diretório estadual quer eleger mais de 20 prefeitos no Estado. Em Parauapebas, nada está fechado. Por enquanto.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Trabalhar pela liberdade do ex-presidente Lula e reestruturar o PT em todo o Pará, já de olho nas eleições municipais de 2020, são as duas missões prioritárias do novo presidente do diretório estadual do partido, deputado federal Beto Faro, eleito neste final de semana por cerca de 300 delegados petistas que estiveram na capital, Belém, para escolher entre três candidatos à presidência. Eram quatro, mas o ex-deputado federal Zé Geraldo abriu mão da candidatura para apoiar Faro.

Somados, os 33 votos destinados a Karol Cavalcante e os 11 a Nonato Guimarães ainda ficaram longe da confiança depositada em Beto Faro pelas lideranças petistas. Ele recebeu 245 votos. Brancos foram apenas sete. “Isso demonstra uma unidade muito forte do partido. Agradeço a todos os companheiros e companheiras pela participação, pelo debate respeitoso. Temos tudo, mesmo com divergências, para fortalecer o nosso partido”, disse Beto Faro em entrevista, por telefone, ao Blog do Zé Dudu.

Deputado federal Beto Faro

Mesmo antes de ser eleito presidente do diretório estadual, Faro já vinha se articulando pelo interior do Pará em torno das eleições para prefeito e vereador no ano que vem. Ao lado dele, a esposa, Dilvanda Faro, que foi eleita deputada estadual em outubro de 2018. E nunca antes os dois ficaram tão fortalecidos como agora.

O novo presidente petista está confiante de que nas eleições de 2020 o partido irá superar a derrota estrondosa que sofreu no pleito de 2016, quando no Pará conseguiu eleger tão somente cinco prefeitos. Uma baixa gigantesca para quem tinha 23 prefeitos. “Pretendemos retomar essa força. A população já está sentindo saudade do modo petista de governar”, avaliou Beto Faro.

E a meta é voltar a eleger mais de 20 prefeitos. “Estamos trabalhando na legalização das novas direções, montando chapas de vereadores, estabelecendo alianças. Vamos ainda sentar com os movimentos sociais, os movimentos populares, que hoje estão sofrendo por causa da retirada de direitos, da Reforma da Previdência”, pontuou Faro, para quem o governo “desastroso” de Jair Bolsonaro tem servido de catapulta para o PT em todo o Brasil.

Tanto é, frisou Beto Faro, que as últimas pesquisas mostram que o partido volta a ganhar confiança dos eleitores. “As pesquisas já aprovam o PT. Mais de 20% das pessoas confiam no partido, coisa que nas últimas eleições não aconteceu. Eram só 5% de tanto ataque ao nosso partido. Esses índices agora são uma demonstração clara de retomada do nosso partido”, comemorou o presidente petista.

Em Parauapebas

Assim como em outros municípios, em Parauapebas nada está definido pelo PT sobre alianças ou candidatura própria para o cargo de prefeito às eleições de 2020. “Não há caminho traçado para Parauapebas”, afirmou Beto Faro.

No município, o ex-vereador Miquinha e o ex-secretário de Educação, Raimundo Neto, são os nomes cogitados para a disputa e enfrentamento ao atual prefeito Darci Lermen (MDB). “Nós ainda vamos conversar se vamos sair com cabeça de chapa”, informou o presidente do PT. A conversa está prevista para até o final deste ano.

Em nível estadual, o PT continuará ao lado do emedebista Helder Barbalho, mas irá reivindicar maior espaço no governo. “Vamos dialogar com o governo, não só por cargos, mas também por maior participação”, disse Beto Faro, que desde 2007 ocupa uma cadeira na Câmara dos Deputados e que diz estar convencido de que o ex-presidente Lula foi condenado sem provas. “Nosso esforço será concentrado pela liberdade do Lula”.

Por Hanny Amoras – Correspondente do Blog em Belém

Fotos: Diretório Estadual do PT

Publicidade