Polícia Civil deflagra operação para combate a esquema de corrupção em Ipixuna do Pará

A operação é resultado de investigação sobre existência de "servidores fantasmas" - pessoas que recebem salários da Prefeitura sem trabalhar
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

A Polícia Civil do Estado do Pará realiza, neste momento, em Ipixuna do Pará, nordeste paraense, a operação denominada “Porcelana” coordenada pela Diretoria Estadual de Combate à Corrupção (DECOR). Mais de 100 policiais civis cumprem 34 mandados de busca e apreensão em prédios públicos e em residências, situados nas zonas urbana e rural do município, desde as 4 horas da manhã desta quinta-feira, dia 31.

A operação é resultado de investigação sobre existência de “servidores fantasmas” – pessoas que recebem salários da Prefeitura sem trabalhar – na administração pública municipal. Após averiguações policiais, a autoridade policial representou ao Poder Judiciário pelos mandados de busca e apreensão em prédios públicos e particulares. Entre eles, a sede da Prefeitura do município. Documentos e outros materiais foram apreendidos para passarem por análises. Entre os objetos apreendidos, duas armas de fogo encontradas em um dos alvos da operação.

A operação é coordenada pelo delegado Herbert Renan Sousa, diretor da DECOR, e delegada Rafaella Cabral, titular da DECORD (Divisão de Repressão à Corrupção e ao Desvio de Recursos Públicos), e conta com atuação de policiais civis vinculados ao NIP (Núcleo de Inteligência Policial), DPE (Diretoria de Polícia Especializada), DAV (Diretoria de Atendimento a Vulneráveis), DPI (Diretoria de Polícia do Interior) e da Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais (CORE), além de peritos criminais do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves.

Publicidade