Jovem que saltou do terceiro andar de um prédio para não ser presa ganha liberdade

Tanto ela quanto o homem preso, ambos acusados de tráfico de drogas, provaram inocência e foram liberados na Audiência de Custódia. "Fiquei com medo deles me matarem," disse ela
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print
Geovana Silva Neves

Continua depois da publicidade

Geovana Silva Neves, 18 anos, que, na noite desta segunda-feira (19), pulou do terceiro andar do bloco B do Residencial Alto Bonito para escapar de uma batida da Polícia Militar, teve sua liberdade concedida pela Justiça, na tarde desta terça-feira (20). Na Audiência de Custódia, tanto ela quanto Paulo Ricardo Pereira Feitosa foram isentos da acusação de tráfico de drogas e liberados.

Ao contrário do que foi informado ao Blog e noticiado, ela não sofreu fratura alguma. Ouvida pela Reportagem, Geovana contou que cometeu a imprudência de saltar nove metros porque temeu morrer pelas mãos dos policiais militares. “Eu fiquei com medo deles me matarem. Do jeito que eles chegaram lá, invadindo a casa… Eu estava com o meu filho e fiquei com muito medo,” contou ela, afirmando que a criança ficou aos cuidados de uma amiga.

Paulo Ricardo Pereira Feitosa

A jovem afirma que Paulo Ricardo não tem relação alguma com ela, assim como a droga encontrada não pertence a nenhum dos dois. “Foi deixada guardada na minha casa por uns maranhenses e eu fui presa de laranja”, afirma.

Geovana, que já foi presa por envolvimento com drogas, diz que hoje trabalha como doméstica, tem um namorado que também é trabalhador, e mora de aluguel no apartamento invadido pela PM. (Caetano Silva)

Publicidade