Intolerância e certeza da impunidade tira a vida de mais um trabalhador em Parauapebas

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on print
Imprimir

Continua depois da publicidade

imageMais um fim de semana triste em Parauapebas. Apesar deste ter sido o fim de semana de abertura da FAP 2013, uma das maiores feiras agropecuárias do Pará, tristeza e desolação foi o que se viu em virtude do assassinato covarde do agente municipal de  de trânsito Geraldo Nunes Rodrigues, morto a facadas por um rapaz de apenas 17 anos após uma discussão, por volta das 19 horas da noite de sábado (31), quando Geraldo Nunes estava trabalhando na operação de organização do trânsito nas proximidades do parque onde ocorre a Feira de Agronegócios de Parauapebas.

A Polícia Civil não divulgou nota esclarecendo os detalhes do assassinato, todavia, testemunhas afirmam que o agente de trânsito havia apreendido e guinchado o veículo de seu algoz, já que o mesmo não era habilitado e quando o veículo já estava em cima do guincho o menor voltou ao local em companhia do pai, que supostamente teria dado cobertura para o filho, e assassinou Geraldo Nunes com várias facadas, se evadindo do local após o crime.

Ainda segundo as primeiras informações, o pai do assassino foi preso em fragrante pela polícia militar que auxiliava na organização do trânsito e conduzido à delegacia de Polícia Civil.

Geraldo foi encaminhado com urgência ao Hospital Municipal Teófilo Soares, mas não resistiu aos ferimentos.

Em nota a Prefeitura Municipal de Parauapebas se solidarizou com a família do servidor afirmando que irá disponibilizar todo apoio psicológico e social necessário à família.

Geraldo era casado e tinha dois filhos, de 3 e 6 anos.

Em repúdio pelo ato, os colegas de trabalho de Geraldo abandonaram o trabalho que realizariam na FAP no sábado. A Polícia Militar disponibilizou 35 homens para organizar o trânsito.

Nota do Blogger
Até quando teremos que conviver com tamanha falta de paciência e compreensão do que é certo e errado? 

Até quando será banal e corriqueiro tirar a vida de uma trabalhador simplesmente porque este cumpriu suas funções e retirou de circulação mais um motorista não habilitado, talvez evitando futuros acidentes e salvando vidas?

Volta e meia cobramos nossos direitos de cidadão quando na verdade deveríamos mesmo era cumprir de forma correta nossos deveres.

O pai desse infeliz menor cujo nome ainda não foi divulgado está preso. Não ficará lá por muito tempo, já que nossas leis nem sempre protegem quem deveria. O moleque, foragido, agiu assim pois tem visto a impunidade prevalecer em nosso país em virtude de uma lei arcaica e que protege quem deveria combater.

O que há de se perguntar é qual o real envolvimento do pai nesse bárbaro crime. Pessoalmente eu não acredito que a informação colhida junto aos populares que presenciaram a cena seja verdadeira. Quero crer que os únicos crimes cometidos por esse pai. preso sob a acusação de ser o coautor do assassinato,  tenha sido o de autorizar o filho menor e inabilitado a conduzir o veículo e o de não conhecer a índole ruim do menor, que portava uma faca e com ela tirou a vida do agente do DMTT, deixando mais uma família parauapebense sem o chefe do lar.

Nossa região é uma das mais violentas do país. Não seria assim se fossemos mais tolerantes, comedidos e agíssemos com a razão e não com a emoção.

Espero, sinceramente, que nossas autoridades deem uma resposta rápida e punam exemplarmente os envolvidos nesse terrível crime para que fatos como esse não se tornem corriqueiros em nosso município. Torcendo para que isso não mais ocorra, me solidarizo com a família do agente morto, com os funcionários do Departamento de Trânsito de Parauapebas e com os funcionários da PMP pela perda prematura de mais um companheiro de trabalho. 

Relacionados