FITA 2020 quer Amazônia integrada e participação regional

O objetivo é incentivar também o turismo regional para que o paraense conheça mais o seu estado.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

A Feira Internacional de Turismo da Amazônia (FITA) terá um novo modelo em 2020. Totalmente remodelado, o evento foi apresentado neste sábado (19) pelo secretário de Turismo do Pará, André Dias. A Setur organizou um ciclo de palestras sobre o cenário e tendências do setor para promover o lançamento da feira, que acontece entre os dias 3 e 5 de abril do próximo ano.

De acordo com Dias, a ideia do ciclo de palestras é justamente promover um aquecimento para o evento e buscar o envolvimento de todo o trade. “Fizemos as palestras para que os municípios, receptivos e outros prestadores de serviços possam já ir se preparando. Fizemos um planejamento, incluímos também a Abav e teremos uma feira da Amazônia com foco no Pará”, contou o secretário, lembrando que cerca de 60% dos produtos turísticos da Amazônia estão no estado. “Os municípios podem aproveitar o momento para fazer ações e a ideia é partir de uma construção coletiva para que a feira tenha sucesso”, complementou.

Outro foco da feira em 2020 será a integração entre emissivos e receptivos, segundo Dias. Ele destacou que é essencial capacitar o agente de viagens para que ele possa vender o produto Pará, especialmente para o próprio paraense, uma vez que a questão do turismo regional também será muito forte na FITA 2020.

A comercialização também será uma das prioridades com a realização de diversas ações. Uma delas é o convite a operadores, não apenas do Brasil, mas do mundo todo, para participarem da feira. Pensando nisso, a data foi cuidadosamente escolhida para que os buyers internacionais que vierem à WTM-LA possam ficar mais alguns dias e também estar na FITA.

Além disso, durante a feira, que é também aberta ao público final, será realizado um feirão com a presença de agentes de viagens Abav e demais prestadores de serviços. O objetivo é incentivar também o turismo regional para que o paraense conheça mais o seu estado.

A feira

A feira terá um espaço para as 14 regiões turísticas do estado para apresentar os produtos do Pará; um espaço para experiências e rotas gastronômicas em parceria com o Sebrae e Abrasel e uma novidade: um espaço para rotas integradas entre os estados que compões a Amazônia com a presença já confirmada do Amazonas e do Maranhão. “Estamos conversando com a Venezuela e outros países também já nos procuraram”, revelou André.

Os visitantes terão ainda à disposição espaços como a Rota do Peregrino Mariano com os santuários de Aparecida e de Fátima com o objetivo de estimular uma rota conjunta; o café com o trade; vitrine cultural com manifestações de todas as regiões e um game show via aplicativo para testar o conhecimento do paraense sobre o seu estado.

Outra novidade é que pela primeira vez a FITA terá um destino anfitrião. Parauapebas, que há dois anos investe pesado no Turismo. “As grandes feiras do mundo utilizam esta estratégia e também faremos isso a partir deste ano”, contou. “Estamos trabalhando para acelerar o desenvolvimento do Turismo no Pará e esperamos que a FITA marque este momento”, completou Dias.

Ciclo de palestras

Entre os painéis e palestras que o trade paraense pôde participar nos últimos dias, um discutiu as tendências atuais do Turismo. Mediado pelo presidente da Abav local, Joacir Costa, o painel contou com a participação de Vitor Bauab, da BBG Brasil, Renato Duarte, da Senator, e Anderson Masetto, editor-chefe do MERCADO & EVENTOS.

Turismo religioso, live marketing e comportamento do viajante foram os temas abordados. “As pessoas hoje querem tudo na palma da mão, mas ao mesmo tempo não abrem mão da assistência de um agente de viagens. Uma das principais tendências do turismo hoje é que o cliente quer alguém que agregue valor a sua viagem, seja ele um agente tradicional ou virtual”, disse Masetto.