Ex-mulher seria mandante da morte de tabelião de Novo Repartimento

Ela foi presa em cumprimento a mandado de prisão preventiva e portava R$ 127 mil em dinheiro
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Gláucia Oliveira Silva foi presa ontem (21), acusada de mandar matar o ex-marido, o tabelião Otaviano Aparecido Caldas, no dia 31 de janeiro de 2018, no município de Novo Repartimento. A prisão aconteceu durante a “Operação Charta”, realizada pela Diretoria de Polícia do Interior (DPI). Para não atrapalhar a investigação, não foram divulgados mais detalhes da ação, em que foi cumprido um mandado de prisão preventiva.

Com a mulher foram apreendidos R$ 127 mil reais e uma caminhonete Hilux, que a polícia suspeita que seja fruto da venda de bens deixados pela vítima que também era fazendeiro. De acordo com a Polícia Civil, as investigações continuam para prender os demais envolvidos no crime.

A vítima foi sequestrada por dois homens armados em uma propriedade rural, localizada a 3,5 km da cidade de Novo Repartimento. Funcionários e familiares de Otaviano Caldas foram amarrados e trancados dentro de um cômodo do imóvel, enquanto os invasores levaram o cartorário em seu próprio carro, uma picape modelo Ranger, placas QEB-8986.

O corpo de Otaviano Caldas foi encontrado a seis quilômetros da cidade, logo depois da ponte do Rio da Direita, na direção de Marabá. O cadáver apresentava ferimento na cabeça, provados por tiros.

Otaviano Caldas era advogado, pecuarista e dono do cartório da cidade e sua morte provocou grande repercussão na época.

Publicidade