Em Santa Maria das Barreiras, bandidos atacam em estradas

Colonos relatam assaltos na vicinal que interliga os vilarejos Pebas e Sariema ao município
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Moradores da vicinal que dá acesso aos vilarejos Pebas, Sariema, na cidade de Santa Maria das Barreiras, denunciaram à reportagem do Blog o alto índice de roubos nas fazendas e estradas que cortam a região.

Antônio Carlos conta que mora às margens da estrada e que somente neste ano já foi assaltado três vezes. “Nem no campo existe paz. Circular por esta redondeza está perigoso, principalmente depois das 17 horas. Somente este ano os bandidos entraram três vezes em minha residência. Um absurdo”, protesta.

A comerciante Maria Cecília tinha uma venda a 20 quilômetros de Redenção, antes do vilarejo Pebas. E afirma que precisou sair às pressas do local onde vivia. “Nós tínhamos uma vendinha e uma borracharia. Nós fomos assaltados. Os assaltantes ameaçaram meu marido. Eles disseram que, se na próxima vez que eles voltassem lá e ele estivesse, iriam matá-lo. Assustados, decidimos mudar pra cidade. Nossas coisas estão lá, largadas”, queixa-se a comerciante.

Os assaltos não se limitam às casas dos colonos, nas fazendas. Os moradores afirmam que nos últimos dias muitos motoristas e motoqueiros têm sido vítimas dos criminosos. Luiz Carlos Barbosa da Silva diz que, recentemente, teve o seu carro roubado, após parar na estrada que havia sido obstruída possivelmente pelos assaltantes.

“Quatro indivíduos pararam e tomaram o veículo. Eu lembro que tinham galhos na estrada. Quando parei, eles abordaram e pediram a chave do veículo. Os bandidos amarraram minha esposa e eu e, em seguida, foram embora levando a caminhonete”, relata Luiz Carlos Silva.

Para o casal, que precisa usar a estrada, ficaram o medo e o trauma. “Quando trafegamos por aqui a sensação é de insegurança”, diz Luiz Carlos. Ele conseguiu recuperar o veículo, encontrado abandonado na mesma vicinal em que foi tomado pelos assaltantes.

Os moradores denunciam que no local não existe policiamento e cobram presença da polícia nas estradas.