Agência bancária de Ipixuna do Pará é alvo de quadrilha

A cidade ficou em pânico com a ação dos quase 20 bandidos, que atacaram na modalidade chamada de "vapor" ou "novo cangaço"
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on print

Continua depois da publicidade

Uma agência do Bradesco foi alvo de ação criminosa de quadrilha composta por e 18 assaltantes na cidade de Ipixuna do Pará, no nordeste paraense, na madrugada desta quinta-feira (30), por volta de meia noite e meia. O cofre principal e dois terminais de autoatendimento foram destruídos. Essa modalidade de assalto é conhecida como “vapor” ou “novo cangaço”.

O delegado de Polícia Civil Pedro Rocha explicou à Imprensa que o grupo chegou por volta de 0h30 em duas caminhonetes. Antes, fizeram vários moradores reféns. Uma parte do bando entrou na agência, onde permaneceu por aproximadamente uma hora. Enquanto outros integrantes ficaram do lado de fora com os reféns. Dezenas de tiros foram disparados para o alto durante a ação, a fim de obrigar as pessoas a ficarem dentro de casa, mantendo as ruas livres para a fuga e afastar os curiosos.

Segundo informações da Policia Civil, os criminosos fizeram reféns 25 pessoas que estavam nas barracas de venda de comidas às margens da Rodovia BR-010, usando-as como escudos humanos durante a fuga. Foram espalhados na pista “miguelitos” (dispositivos feitos com arame e pregos para furar os pneus dos carros) na pista para impedir a passagem de veículos, principalmente das viaturas policiais.

Dentro do prédio, os assaltantes explodiram o cofre geral da agência e dois terminais de autoatendimento. Todo o dinheiro foi roubado. Outros terminais eletrônicos sofreram avarias, o que impediu o funcionamento do banco. Um dos veículos usados na fuga, um Fiat Strada, foi abandonado cerca de 5 km da sede do município e colocado fogo. Os reféns também foram liberados sem ferimentos.

Equipes das polícias civil e militar das cidades de Paragominas, Aurora do Pará, Mãe do Rio e São Miguel estão dando apoio à operação que tem como finalidade localizar e prender a quadrilha. As delegacias especializadas da área de segurança pública paraense também estão à caça do bando. O montante de dinheiro roubado não foi divulgado. Os prejuízos ainda estão sendo contabilizados.

(Antonio Barrosos com informações da Polícia Civil)

Publicidade