Ação da Polícia Civil do Pará impede assalto a carro-forte no Acará

Foram apreendidos três fuzis, uma carabina, um rifle, 14 explosivos, chapas de aço, carregadores de armas, munição e dois veículos. Dois suspeitos estão presos
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

A Polícia Civil do Pará garantiu, neste último sábado (11), que o Estado continuasse sem nenhum registro de assalto a carro de transporte de valores. Em uma operação de inteligência, estratégia e perícia, agentes da PC prenderam, em flagrante, dois homens que se preparavam para roubar um carro-forte. A prisão aconteceu na cidade do Acará, na região do Baixo Tocantins, mas o veículo de valores tinha como destino o município de Tailândia, também no Pará.

A ação foi deflagrada pela Delegacia de Repressão a Roubo a Bancos e Antissequestro (DRRBA), vinculada à Divisão de Repressão e Combate ao Crime Organizado (DRCO), Delegacia e Divisão que fazem parte da Diretoria de Polícia Especializada (DPE), e à Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais (CORE).

“Nós interceptamos os preparativos para essa ação e agimos de forma contundente e precisa, evitando o roubo de valores, salvando a vida dos colegas que trabalham nesse ramo, bem como garantindo a segurança da população, Afinal, o armamento apreendido é de alto calibre e mostra que esses criminosos não estavam para brincadeira. Entretanto, a PC-PA foi mais rápida e conseguiu dar mais essa resposta positiva do Governo do Estado do Pará”, enfatizou o delegado-geral, Walter Resende.

Uma casa de madeira foi escolhida como o “comando” dos criminosos. Apesar de simples, para disfarçar qualquer movimentação de populares do entorno, o local abrigava forte aparato de armas, munições e acessórios. Foram apreendidos três fuzis, sendo um calibre ponto 50, que é utilizado para furar a blindagem dos veículos. Esse armamento também é utilizado para derrubar aviões. Além dos fuzis, a PC apreendeu uma carabina, um rifle, 14 explosivos, chapas de aço, carregadores de armas, munição e dois veículos que seriam utilizados no crime. Os carros já estavam com o interior modificado para a realização do roubo.

Um dos presos nesta etapa é natural da cidade do Acará. O outro é da cidade de Cabrobó, estado de Pernambuco, e confessou que só veio ao Pará para a realização do crime. As investigações seguem no intuito de localizar e prender outros integrantes da associação criminosa.

Mais segurança

Um Estado com grande área territorial como o Pará foi, por muitos anos, o local escolhido por associações especializadas em cometer assaltos a carros de transportes de valores. As grandes distâncias entre uma localidade e outra, com estradas com pouca circulação de veículos, principalmente no Sul e Sudeste paraense, são características que chamavam a atenção de quadrilhas que, muitas vezes, eram formadas por integrantes de estados vizinhos, a exemplo de Piauí, Maranhão e Tocantins, por exemplo.

Nos dois últimos anos, com o trabalho intenso de inteligência e integração entre as forças de segurança do Pará e até mesmo com estados próximos, além da identificação e prisão dos criminosos a fim de não deixar com que os criminosos ficassem impunes, a realidade começou a mudar. O crime que antes registrou seis ocorrências em 2019 diminuiu para cinco no ano passado e nenhum nos anos de 2020 e 2021.

(Ascom Polícia Civil do Pará)