Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Parauapebas

Nova diretoria da Academia Parauapebense de Letras toma posse

Meta do novo presidente é levar a APL onde for possível, estimulando a leitura e o surgimento de novos escritores

Eleito em dezembro do ano passado, o advogado e escritor Rubens Moraes Júnior é novo presidente da Academia Parauapebense de Letras, para o biênio 2019-2010. Ele sucede o escritor Josivaldo Lima Rodrigues, que agora assume a vice-presidência da entidade. Os demais diretores são: Waldir Pereira Silva, secretário; Paulo da Silva Reis, tesoureiro; e Terezinha Rita Guimarães, bibliotecária. A posse aconteceu na última sexta-feira (2), no auditório da Subseção da OAB-PA.

Foram quatro anos de preparação quando houve, segundo o então presidente Lima Rodrigues, diversos encontros entre os membros e também em escolas públicas e privadas com a presença dos escritores. No mesmo período foram recebidos diversos novos escritores que passaram a compor e somar forças.

Assim a Academia Parauapebense de Letras vem cumprindo seu papel de propagar o conhecimento através da leitura, oportunizando aos talentosos escritores melhor espaço para expor suas ideias compartilhando com todos.

“Nossa missão foi levar a academia até as pessoas, com o objetivo de estimular a leitura entre jovens e adultos, valorizando cada vez mais os poetas e escritores”, explicou Lima Rodrigues, que sai com a frustração de não ter conseguido realizar uma grande feira do livro em Parauapebas.

Ele avalia que a Academia Parauapebense de Letras deve ampliar seu número de membros e, como estratégia, sugere que seja estimulada a publicação de livros, para que venha ter mais escritores e assim potencializar a APL.

Rubens Morais Junior, o novo presidente diz ter como meta alargar a possibilidade de arrebanhar mais pessoas, leitores e escritores, para compartilhar experiência. A receita, ele diz ser, nos próximos dois anos, período de sua gestão, levar a literatura e a poesia para a rua, para a periferia, escolas e para onde mais for preciso e possível.

De acordo com os planos de Rubens, há diversos projetos encaminhados que, após apreciação dos demais membros, deverão ser implantados, dando como prioridade estimular para que sejam efetivados mais escritores e outros sejam revelados. “Vamos dar continuidade ao bom trabalho que as diretorias anteriores, com auxílio de todos os membros, iniciaram. Agora, neste novo momento, promoveremos mais união aos que já fazem parte e buscaremos novos parceiros para fortalecer esta luta”, planeja Rubens Morais Junior.

Capa

3ª Entrância: Pleno encaminha matéria às Corregedorias do interior para estudo

O Egrégio do Tribunal de Justiça do Estado reuniu nesta quarta-feira (19) para apreciar o requerimento de elevação para 3ª entrância das Comarcas de Ananindeua, Santarém, Marabá, Parauapebas e Castanhal – que hoje ocupam a classificação de Comarcas de 2ª entrância, demanda reiteradamente defendida pela OAB-PA. Após sugestão do desembargador Constantino Guerreiro, o Pleno entendeu que o pleito deverá ser estudado pelas Corregedorias da Capital e do Interior.

Caso a elevação seja aprovada, os magistrados das cinco Comarcas poderão alçar ao desembargo sem que atuem em Belém. Historicamente, o Tribunal de Justiça do Estado do Pará está estruturado, administrativamente, em três entrâncias. Apenas Belém está classificada como Comarca de 3ª entrância. A alteração premiará os juízes de Direito das referidas regiões, que optam por abdicar da progressão na carreira para permanecerem nos locais em que residem com suas famílias.

Dentre as vantagens e benefícios para os jurisdicionados, destaque para a valorização dos serviços judiciários de 1º grau, mais investimentos nessas unidades judiciárias (mais recursos de pessoal, patrimonial e informática), eliminação da distância na movimentação da carreira (somente o Pará, Goiás e Pernambuco concentram a entrância final na capital), a possibilidade de que alguns setores administrativos do TJE sejam ainda mais interiorizados e a futura instalação de Câmaras Regionais.

Conselheiro federal pela OAB-PA, o advogado Antônio Barra Brito liderou a comitiva da seccional paraense que acompanhou a sessão do Pleno do TJE-PA, composta pelos integrantes da Comissão de Defesa de Direitos e Prerrogativas Irailton Cabral, Clint da Costa, Couto, Rosiane e Berg Auad, além das advogadas Amanda Saldanha e Jeany Frateschi, da subseção de Parauapebas.

As informações são da OAB-PA.