Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Futebol

Paysandu é massacrado pela Ponte Preta no Estádio da Curuzu no returno da Série B

O Papão não conseguiu ver a cor da bola e pegou um baile da Macaca
Continua depois da publicidade

Por Fábio Relvas

O Paysandu Sport Club entrou em campo diante da Ponte Preta na noite desta terça-feira (7), no Estádio Leônidas Castro, a Curuzu, em Belém, na estreia do returno do Campeonato Brasileiro da Série B, equivalente à 20ª rodada. O Papão foi massacrado e perdeu, por 4 a 0, para a Macaca.

Os gols da equipe paulista foram assinalados por Nathan, aos 16 minutos do primeiro tempo e Júnior Santos, aos 35, também da primeira etapa. O time de Campinas não tirou o pé e, logo aos cinco minutos da etapa derradeira, marcou o terceiro, novamente com Júnior Santos, fechando o placar com Hyuri, aos 16 minutos.

Com o resultado vexatório, o Paysandu se manteve na 11ª posição, com 24 pontos, mas pode cair na tabela até o término da rodada, enquanto a Ponte Preta foi para 29 pontos e assumiu a 6ª colocação.

O Paysandu volta a campo contra o Londrina-PR, na sexta-feira (17), às 19h15, no Estádio do Café, em Londrina. A partida será válida pela 21ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B.

O jogo: Papão 0 x 4 Macaca – Vexame bicolor!

Um jogo para esquecer; esse é o sentimento dos bicolores após a derrota acachapante. A partida começou truncada. A primeira chance mais clara de gol surgiu apenas aos 15 minutos de bola rolando, quando Pedro Carmona cobrou falta e quase abriu o placar na Curuzu. Quem marcou mesmo foi a Ponte Preta: Nathan aproveitou uma sobra de bola e mandou um chute colocado, de fora da área para o fundo do barbante de Renan Rocha, aos 16 minutos, 1 a 0 Macaca. Logo em seguida o Papão teve a chance do empate com Thomaz, que, livre, chutou para fora.

O time bicolor foi para pressão e, em um cruzamento de Pedro Carmona, o zagueiro Diego Ivo cabeceou para fora. Após lambança da zaga do Paysandu, Nicolas ficou com a bola e na hora de ampliar o marcador, acabou travado pelo zagueiro Diego Ivo. Na outra chegada do time de Campinas, não teve jeito: Hyuri ganhou jogada pelo lado esquerdo e tocou para o atacante Júnior Santos, que não perdoou e ampliou na Curuzu, acertando um chute no ângulo, aos 35 minutos, 2 a 0.

A torcida do Papão começou a pegar no pé do time. O atacante Hyuri recebeu livre e bateu para o gol, a bola passou com muito perigo a meta bicolor. Na segunda etapa, em um contra-ataque rápido, Danilo Barcelos cruzou na medida para o atacante Júnior Santos, que de cabeça marcou seu segundo gol no jogo e o terceiro da Ponte Preta, aos cinco minutos, 3 a 0. A casa estava caindo para o time bicolor.

A Macaca chegava como queria à meta adversária. Hyuri recebeu na frente e finalizou com muita categoria para o fundo do barbante do goleiro Renan Rocha, aos 16 minutos, 4 a 0 Ponte Preta, fora o baile. O atacante comemorou o gol em homenagem ao seu filho. Com 27 minutos do segundo tempo, a torcida do Paysandu começava a deixar o Estádio da Curuzu muito chateada com a situação do time. Alguns ficaram para protestar contra a diretoria.

Apesar da goleada, a Ponte Preta seguia em cima, buscando ampliar ainda mais. Danilo Barcelos cobrou falta, o zagueiro Reginaldo ficou com a bola na área e quase marcou o quinto gol paulista. André Luís ganhou da marcação e quase deixou sua marca na Curuzu, o que seria o quinto. O Paysandu demostrava apatia dentro de campo. No último lance da partida, a Macaca deitou e rolou e dentro da área, Neto Costa deu de calcanhar para Ruan, que, livre, conseguiu perder. Placar final: Paysandu 0 x 4 Ponte Preta.

FICHA TÉCNICA

PAYSANDU: Renan Rocha; Matheus Silva, Edimar, Diego Ivo e Diego; Renato Augusto, Nando Carandina (Jhonathan), Thomaz e Pedro Carmona; Dionathã (Mike) e Claudinho (Lúcio Flávio).
Técnico: Guilherme Alves

PONTE PRETA: Ivan; Igor (Ruan), Reginaldo, Renan Fonseca e Nicolas; Nathan, Lucas Mineiro e Danilo Barcelos; Júnior Santos (Neto Costa), Hyuri (Victor Rangel) e André Luís.
Técnico: João Brigatti

Árbitro: Anderson Daronco (RS)
Assistentes: Rafael da Silva Alves (RS) e Mateus Olivério Rocha (RS)

Cartões amarelos: Matheus Silva e Diego Ivo (Paysandu); Hyuri, Reginaldo e Júnior Santos (Ponte Preta)
Gols: Nathan, aos 16 minutos, Júnior Santos, aos 35 do 1° tempo, aos 5 minutos do 2° tempo e Hyuri, aos 16 minutos do 2° tempo para a Ponte Preta.

Local: Estádio Leônidas Castro, a Curuzu, em Belém

Futebol

Clube do Remo vence o ABC no finalzinho e deixa a zona de rebaixamento da Série C

O volante Dedeco marcou o gol da vitória azulina que deixou o Leão fora do Z2
Continua depois da publicidade

Por Fábio Relvas
Foto: Fábio Will / Ascom Remo

Após várias rodadas na zona de rebaixamento do Grupo A do Campeonato Brasileiro da Série C, finalmente o Clube do Remo teve a sua saída da incomoda posição. Na noite deste domingo (29), o Leão Azul venceu o ABC-RN, por 1 a 0, no Estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, em Belém. A partida foi válida pela 16ª rodada da primeira fase.

O único gol do jogo foi assinalado pelo volante Dedeco, aos 41 minutos do segundo tempo, após dominar uma bola de frente para a meta e fuzilar para o fundo do barbante do goleiro Edson.

Com a vitória, o Leão Azul somou 18 pontos no Grupo A e saltou da lanterna para a oitava colocação. Agora restam apenas dois jogos para que os azulinos permaneçam fora do Z2 da competição nacional.

O próximo compromisso do Remo será diante do Salgueiro-PE, na segunda-feira (6), às 21h15, no Estádio Cornélio de Barros, em Salgueiro. A partida será válida pela 17ª rodada. O time pernambucano é o lanterna, com 17 pontos, e em caso de derrota, poderá ser rebaixado já nesta próxima rodada.

O jogo: Leão 1 x 0 Elefante – Remo fora da zona de rebaixamento!

O ABC chegou primeiro em uma falta cobrada por Higor Leite, em uma bola que passou assustando a meta remista. O time potiguar chegou com perigo novamente: após cobrança de escanteio, a bola foi desviada passando por cima da meta do goleiro Vinícius. A equipe de Natal chegava nas bolas paradas e, em outra cobrança de falta, o goleiro Vinícius saiu mal e o Elefante da Frasqueira quase abriu o placar.

Finalmente, o Clube do Remo chegou. Em uma jogada confusa, os azulinos pediram toque de mão de um defensor abcedista dentro da área e o árbitro mandou seguir o lance. Minutos depois, o Leão Azul chegou a marcar com o volante Vacaria, mas a arbitragem assinalou impedimento. Mais uma vez, o time paraense chegou com o meia Rodriguinho, que disparou para a boa defesa do goleiro Edson.

A torcida azulina começou a empurrar mais o time nas arquibancadas. Em uma jogada do Leão pela direita, a bola foi cruzada rasteira na área, o zagueiro Mimica acabou se chocando com o goleiro Edson, que sentiu e ficou no chão. O volante Vacaria tentou abrir o placar e mandou para o gol, mas Edson defendeu novamente. Pressão azulina, Gabriel Lima é lançado e na hora de finalizar foi travado pela zaga adversária.

O lateral-direito Nininho entrou pelo meio com a bola dominada e disparou por cima da meta de Edson. Outro que tentou marcar foi Fernandes, que disparou para fora, quase abrindo o marcador. O ABC voltou a atacar com Leandrão, que chutou parando na defesa de Vinícius. O Remo jogou bola na área e a zaga do Elefante conseguiu se livrar. O atacante Gabriel Lima disparou em direção ao gol, a bola bateu na zaga e voltou para Dudu, que não aproveitou a última chance do time paraense no primeiro tempo.

Na etapa final, o Leão teve tudo para abrir o marcador logo no início com o volante Dedeco que, de frente, parou na defesa do goleiro Edson. O Remo era só pressão. Em outra bola na área, o atacante Gabriel Lima cabeceou para a grande defesa de Edson; em mais uma chance dos azulinos, o volante Vacaria também tentou de cabeça, mas a bola foi para fora. Leandro Cearense cortou a marcação e cruzou na área remista, a bola passou perigando para fora.

Aos 41 minutos, o Mangueirão explodiu. Rodriguinho cruzou da direita, o zagueiro Bruno Maia desviou de cabeça para a segunda trave e o volante Dedeco dominou e chutou, vencendo o goleiro Edson: Leão Azul 1 a 0, festa do Fenômeno Azul. A felicidade quase terminou quando, em uma bola alçada na área, o atacante Leandro Cearense cabeceou, o goleiro Vinícius defendeu e a bola explodiu no travessão; na sobra, o time potiguar acabou perdendo a chance do empate. Placar final: Remo 1 x 0 ABC.

FICHA TÉCNICA

REMO: Vinicius; Nininho, Mimica, Bruno Maia e Fernandes; Vacaria (Geandro), Dudu (Elielton), Dedeco e Rodriguinho; Gabriel Lima (Isac) e Eliandro.
Técnico: João Nasser Neto

ABC: Edson; Arêz, Vinícius, Henrique e Igor; Anderson Pedra, Marcos Júnior (Erivelton), Felipe Guedes e Higor Leite; Leandrão (Leandro Cearense) e Matheus Carvalho (Leomir).
Técnico: Ranielle Ribeiro

Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro – MG
Assistentes: Guilherme Dias Camilo – MG e Sidmar dos Santos Meurer – MG
Quarto-árbitro: Joelson Nazareno Ferreira Cardoso – PA

Cartões amarelos: Vacaria e Gabriel Lima (Remo); Felipe Guedes e Vinícius (ABC)
Gol: Dedeco, aos 41 minutos do 2° tempo para o Remo

Local: Estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, em Belém
Renda: R$ 206.885,00
Público pagante: 10.328
Público total: 12.791

Futebol

Nos 100 anos da Curuzu, Paysandu derrota o Figueirense e sobe na tabela da Série B

O Papão venceu o Figueira com gols de Pedro Carmona e Dionathã e subiu para a 10ª colocação
Continua depois da publicidade

Por Fábio Relvas
Foto: Fernando Torres / Ascom Paysandu

Nos 100 anos do Estádio Leônidas Castro, a Curuzu, o Paysandu comemorou em grande estilo ao vencer o Figueirense-SC, por 2 a 0, na noite desta sexta-feira (27), em partida válida pela 18ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B.

Os gols da partida foram assinalados na segunda etapa. Logo aos cinco minutos, após cruzamento de Nando Carandina, Pedro Carmona subiu de cabeça para abrir o marcador, e aos 47 minutos, o Papão fechou a conta com o gol do atacante Dionathã, em cobrança de pênalti.

Com a vitória, o time bicolor chegou aos 24 pontos e subiu para a 10ª colocação da Série B. O próximo jogo do Paysandu será diante do Atlético-GO, na terça-feira (31), às 21h30, no Estádio Olímpico Pedro Ludovico, em Goiânia. A partida será válida pela 19ª rodada.

O jogo: Papão 2 x 0 Figueira – Nos 100 anos do Estádio da Curuzu!

O Paysandu chegou primeiro em cobrança de falta na área, a qual o goleiro Dênis subiu e fez a defesa. O Figueirense tentou chegar, também em bola na área, mas o goleiro Renan Rocha subiu bem e ficou com a redonda. O atacante Henan do Figueira recebeu na frente para marcar, mas o zagueiro Edimar fez o corte no momento certo para o time da casa. A equipe paraense jogou a bola na área e o goleiro Dênis defendeu no susto, evitando o primeiro gol do Papão.

O time bicolor foi para a pressão. Pedro Carmona disparou um chute venenoso, obrigando o goleiro Dênis a espalmar para escanteio. Na cobrança do corner, o zagueiro Edimar subiu firme e testou para fora. Zé Antônio do time de Santa Catarina cobrou falta e a zaga do Papão despachou para longe. Em uma falta ensaiada, Pedro Carmona invadiu a área e chutou para a defesa milagrosa de Dênis.

A torcida Fiel Bicolor incendiou o Estádio da Curuzu. Na cobrança de escanteio de Pedro Carmona, os jogadores do Paysandu reclamaram pênalti, já que a bola teria batido no braço do zagueiro do Figueira dentro da área, na tentativa de cabeça de Diego Ivo, mas o árbitro Francisco Carlos do Nascimento, de Alagoas, mandou seguir o jogo. Na segunda etapa, o Paysandu seguiu na pressão. O meia Thomaz disparou um chute forte e parou na defesa de Dênis, que segurou em dois tempos.

De tanto insistir, o Papão chegou lá: Nando Carandina cruzou e Pedro Carmona cabeceou para o fundo do barbante, aos cinco minutos, 1 a 0 Paysandu. O momento era de festa no Estádio da Curuzu, que na ocasião estava completando 100 anos de história. O Figueirense  tentou chegar ao ataque, mas a bola se perdeu pela linha de fundo. O Paysandu chegou em mais um escanteio cobrado por Pedro Carmona e, após desvio, a bola foi pela linha de fundo.

Melhor em campo, o time da capital Belém quase marcou o segundo com Mike, que sozinho perdeu uma grande chance. Em uma jogada rápida de ataque do Figueirense, o goleiro Renan Rocha salvou com os pés o gol de empate do time catarinense. O Papão chegou com o lateral-esquerdo Diego, que cruzou para a área e o atacante Dionathã chegou atrasado no lance.

A partida esquentou quando Dionathã levou uma cotovelada de seu adversário. O volante Zé Antônio acabou levando cartão amarelo e, logo em seguida, o árbitro mostrou três cartões vermelhos para o time do Figueirense: Gustavo Ferrareis e André Luís, e mais o goleiro reserva Alisson, os três por reclamação. Ele ainda acrescentou mais cinco minutos, tempo para o atacante Magno acertar na trave do goleiro Dênis. Na sequência o árbitro assinalou pênalti para o Papão.

O atacante Dionathã pediu a preferência e cobrou para ampliar o marcador, aos 47 minutos, 2 a 0 Paysandu. Na comemoração do gol, o atacante bicolor subiu no alambrado e acabou recebendo o segundo cartão amarelo e consequentemente o vermelho e foi expulso de campo. Placar final: Paysandu 2 x 0 Figueirense.

FICHA TÉCNICA

PAYSANDU: Renan Rocha; Matheus Silva, Edimar, Diego Ivo e Diego; Renato Augusto, Nando Carandina, Pedro Carmona (Willyam) e Thomaz; Claudinho (Dionathã) e Mike (Magno).
Técnico: Guilherme Alves

FIGUEIRENSE: Dênis; Diego Renan (André Luís), Cleberson, Eduardo Bauermann e Henrique Trevisan; Zé Antônio, Patrick (Juninho) e Matheus Sales; Gustavo Ferrareis, Renan Mota e Henan (Maikon Leite).
Técnico: Milton Cruz

Árbitro: Francisco Carlos do Nascimento (AL)
Assistentes: Esdras Mariano de Lima Albuquerque (AL) e Pedro Jorge Santos do Araújo (AL)

Cartões amarelos: Dionathã (Paysandu); Diego Renan, Renan Mota e Zé Antônio (Figueirense)
Cartões vermelhos: Dionathã (Paysandu); Gustavo Ferrareis, André Luís e Alisson (Figueirense)
Gols: Pedro Carmona, aos cinco minutos, e Dionathã, de pênalti, aos 47 minutos do 2° tempo para o Paysandu

Local: Estádio Leônidas Castro, a Curuzu, em Belém

Futebol

Paysandu vence o Guarani na Curuzu após oito jogos de jejum na Série B

O gol da partida foi assinalado pelo atacante Mike
Continua depois da publicidade

Por Fábio Relvas
Foto: Agência Macaco Velho / Paysandu

Após oito rodadas sem vencer, finalmente o Paysandu voltou a dar alegria para a sua torcida. Em partida realizada na noite desta terça-feira (24), o Papão derrotou o Guarani-SP, por 1 a 0, no Estádio Leônidas Castro, a Curuzu, em Belém, pela 17ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro.

O único gol do Papão saiu de um jogador que entrou no segundo tempo de jogo: após cruzamento na área, o atacante Mike cabeceou para o fundo do barbante do Bugre, assinalando aos 15 minutos da etapa derradeira.

Com o resultado, o Paysandu foi para 21 pontos e subiu uma posição na tabela de classificação da Série B, estando agora em 13° lugar. O Papão volta a campo contra o Figueirense, nesta sexta-feira (27), às 21h30, novamente no Estádio Leônidas Castro, a Curuzu, em Belém. A partida será válida pela 18ª rodada da competição nacional.

O jogo: Papão 1 x 0 Bugre – Paysandu respira aliviado

O Guarani teve a primeira chance logo no início do jogo, quando Ricardinho cruzou na área e o zagueiro Diego Ivo cortou o perigo que rondava a meta paraense. Em outra tentativa do Bugre, Matheus Oliveira disparou cruzado para a boa defesa do goleiro Renan Rocha. O Paysandu reagiu com Pedro Carmona, que lançou na área e o zagueiro Edson Silva desviou, quase marcando gol contra na Curuzu.

Em uma cobrança de escanteio de Pedro Carmona, o zagueiro Everton Alemão rasgou lá atrás, afastando o perigo. Os visitantes também jogaram a bola para área e, em uma delas, Everton Alemão estava pronto para finalizar, mas o zagueiro bicolor Edimar, cortou na hora certa o que poderia ser o primeiro gol da partida. Após uma falha do zagueiro Diego Ivo, o atacante Bruno Mendes ficou na boa para marcar, mas, atento, o goleiro Renan Rocha cortou providencialmente, salvando o Paysandu.

Em uma boa triangulação bicolor, a bola ficou para Thomaz finalizar, desviando na defesa paulista e se perdendo pela linha de fundo. Na cobrança de escanteio, Pedro Carmona levantou na área e o zagueiro Diego Ivo passou lotado, na tentativa de marcar de cabeça. Na segunda etapa, o Papão foi para a pressão. O atacante Mike, que havia entrado no time bicolor, rolou para o chute de Thomaz, que chegou batendo e a bola foi para fora.

O momento da partida era do Paysandu. Em outra bola na área, o meia Thomaz emendou uma bicicleta, o goleiro Oliveira teve que se virar para fazer a defesa para a equipe campineira. O Guarani estava jogando na base do contra-ataque e, em uma tentativa, Bruno Mendes mandou um balaço; a bola passou tirando a tinta da trave do goleiro Renan Rocha. Em um cruzamento na área, o atacante Mike desviou de cabeça para o fundo do barbante, abrindo o placar na Curuzu, aos 15 minutos, 1 a 0 Papão.

Mike entrou elétrico na partida e quase marcou o segundo gol dele e do Paysandu, após uma tentativa de bicicleta. O Bugre chegou com Rafael Longuine, que deu passe para Marcão, mas o goleiro Renan Rocha apareceu bem para abafar o lance. Em um contra-ataque bicolor, Thomaz tocou para Mike que chutou e a bola explodiu na zaga do Guarani. No último lance da partida, o lateral-esquerdo Pará cruzou, Marcão desviou de cabeça, o goleiro Renan Rocha defendeu e na sobra Rafael Longuine finalizou para fora. Placar final: Paysandu 1 x 0 Guarani.

FICHA TÉCNICA

PAYSANDU: Renan Rocha; Nando Carandina, Edimar, Diego Ivo e Mateus Muller (Diego Matos); Renato Augusto, Willyam (Matheus Silva), Pedro Carmona e Thomaz; Moisés (Mike) e Claudinho.
Técnico: Guilherme Alves

GUARANI: Oliveira; Kevin, Everton Alemão, Edson Silva e Pará; Willian Oliveira, Ricardinho (Marcão), Denner (Erik) e Rafael Longuine; Matheus Oliveira (Guilherme) e Bruno Mendes.
Técnico: Umberto Louzer

Árbitro: André Luiz de Freitas Castro (GO)
Assistentes: Cristhian Passos Sorence (GO) e Hugo Sávio Xavier Corrêa (GO)

Cartões amarelos: Moisés e Thomaz (Paysandu); Everton Alemão, Edson Silva, Ricardinho e Bruno Mendes (Guarani)
Gol: Mike, aos 15 minutos do 2° tempo para o Paysandu

Local: Estádio Leônidas Castro, a Curuzu, em Belém

Futebol

Clube do Remo vence o Confiança, respira e fica perto de sair do Z2 da Série C

Com dois gols do atacante Gabriel Lima, o Leão Azul voltou a ter esperança de se livrar do rebaixamento
Continua depois da publicidade

Por Fábio Relvas
Foto: Fábio Will / Remo

O Clube do Remo conquistou uma vitória importante para as sua pretensões no Campeonato Brasileiro da Série C, na noite deste domingo (22). O Leão Azul foi até o Estádio Batistão, em Aracaju, e venceu o Confiança pelo placar de 2 a 0, em partida válida pela 15ª rodada da competição nacional.

Os dois gols azulinos saíram no primeiro tempo de jogo e ambos foram do atacante Gabriel Lima, que abriu o placar aos sete minutos e ampliou para o Leão, aos 34. Com a vitória, os remistas ficaram a um ponto do primeiro time fora da zona de rebaixamento do Grupo A da Série C, o chamado Z2. A equipe segue na lanterna, com 15 pontos somados.

O Remo volta a campo contra o ABC-RN, no próximo domingo (29), às 19h, no Estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, em Belém. A partida será válida pela 16ª rodada e só a vitória interessa ao time da capital.

O jogo: Dragão 0 x 2 Leão

Precisando muito vencer a partida, o Remo tomou a iniciativa do jogo. O atacante Gabriel Lima experimentou o primeiro chute, mas a redonda foi para fora. Após uma bela triangulação do ataque remista, a bola ficou na frente para Gabriel Lima, que tocou com categoria na saída do goleiro, Leão 1 a 0, aos sete minutos. O Confiança reagiu e, na tentativa de marcar em jogada área, a bola passou raspando a meta do goleiro Vinícius.

O Dragão estava sendo muito cobrado pelos torcedores e isso deixou alguns jogadores nervosos dentro de campo. O meia Raí experimentou de longe e mandou por cima do gol azulino. Em um contra-ataque remista, Eliandro recebeu na frente, driblou a marcação e chutou para a grande defesa de Genivaldo; na sobra, Dedeco chutou para fora perdendo a chance do segundo tento do Leão.

Superior ao adversário, o Remo ampliou em Aracaju. Fernandes recebeu na esquerda e cruzou rasteiro na medida para o garoto Gabriel Lima, que de primeira não perdoou e marcou seu segundo gol na partida, Leão 2 a 0, aos 34 minutos. O Confiança quase diminuiu minutos depois, quando a bola foi alçada na área e Léo Ceará, de cabeça, mandou para fora. O time azulino ganhou uma falta perigosa pelo lado esquerdo, mas Rodriguinho cobrou por cima da meta adversária.

Na etapa final, Dedeco tentou ampliar em um chutaço de fora da área, a bola passou assustando o goleiro sergipano. O Confiança chegou com Tito, que tocou de cabeça para fora. Diogo conseguiu descolar um cruzamento na área, mas o goleiro Vinícius, atento, fez a defesa para o Remo. O time paraense teve a grande chance de marcar o terceiro, quando Rodriguinho cobrou uma falta venenosa, mas o goleiro Genivaldo fez uma defesa espetacular, salvando o Dragão.

Em um lance duvidoso da partida, o árbitro assinalou uma falta contra o Remo, frontal à meta de Vinícius. O atacante Tito cobrou e mandou por cima. Os azulinos chegaram outra vez e, após cobrança de escanteio, Eliandro não conseguiu concluir a jogada e perdeu um gol feito. O lateral-direito Nininho fez boa jogada individual e mandou um petardo; a bola passou assustando o goleiro Genivaldo do Confiança. Na última chance do jogo, Dudu Pacheco tentou bater colocado e mandou para fora. Placar final: Confiança 0 x 2 Remo.

FICHA TÉCNICA

CONFIANÇA: Genivaldo; Diogo, Renato Camilo, Rodolfo e Radar; Flávio, Rafael Villa (Caxito), Raí (Tito) e Everton (Ítalo); Iago e Léo Ceará.
Técnico: Luizinho Lopes

REMO: Vinícius; Nininho, Mimica, Bruno Maia e Fernandes; Dudu, Vacaria (Leandro Brasília), Dedeco (Keoma) e Rodriguinho; Eliandro e Gabriel Lima (Dudu Pacheco).
Técnico: João Neto

Árbitro: Bruno Rezende Silva-GO
Assistentes: Márcio Soares Maciel-GO e Paulo César Ferreira de Almeida-GO

Cartões amarelos: Renato Camilo (Confiança); Bruno Maia e Fernandes (Remo)
Gols: Gabriel Lima, aos sete, e aos 34 minutos do 1° tempo para o Remo

Local: Estádio Batistão – Aracaju (SE)

Futebol

Clube do Remo perde para o Santa Cruz e vai afundando na Série C

O Leão Azul fez um bom jogo, pressionou o adversário, mas levou o segundo gol nos acréscimos
Continua depois da publicidade

O Clube do Remo segue a sua rotina de derrotas no Campeonato Brasileiro da Série C. Apesar de ter realizado uma boa partida, o Leão Azul perdeu para o Santa Cruz-PE, por 2 a 0, no Estádio José do Rego Maciel, o Arrudão, em Recife. A partida foi válida pela 13ª rodada do Grupo A da competição nacional.

A Cobra Coral abriu o marcador aos 11 minutos do primeiro tempo: após cruzamento na área, o atacante Pipico cabeceou, sem marcação, para o fundo do barbante. Depois de pressionar o adversário e até acertar uma bola no travessão, o Remo sofreu o segundo gol já nos acréscimos da segunda etapa. Charles cobrou falta, a bola desviou na barreira e tirou a chance de defesa do goleiro Vinícius.

Com o resultado, o Leão Azul continua na lanterna do Grupo A, com apenas 11 pontos, enquanto o Santa Cruz segue firme na briga por uma vaga na segunda fase, indo para os 20 pontos com a vitória e ficando em terceiro lugar.

O Clube do Remo volta a campo contra o Botafogo-PB, no próximo sábado (14), às 17h, no Estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, em Belém.

O jogo: Cobra Coral 2 x 0 Leão Azul

A primeira chance de marcar foi do Clube do Remo. Elielton recebeu na frente, tentou encobrir Tiago Machowski, mas a bola tocou no goleiro e saiu pela lateral. Outra vez, o Leão Azul chegou com perigo: Esquerdinha cobrou escanteio, a bola sobrou para o lateral-direito Nininho, que chutou cruzado para fora. O Santa Cruz quando chegou foi fatal. Robinho fez grande jogada pela direita e cruzou na cabeça do atacante Pipico, que testou firme para o fundo do barbante, 1 a 0, aos 11 minutos de jogo.

O Remo tentou o empate em falta cobrada por Rodriguinho, mas a bola foi pela linha de fundo. O Leão começou a crescer na partida. Lançamento na frente para o atacante Elielton, que trombou com o goleiro Tiago Machowski e ficou no chão reclamando pênalti para os azulinos. Outro lance duvidoso contra o time paraense aconteceu após cruzamento na área: o atacante Isac tentou cabecear, mas antes o zagueiro Danny Morais subiu para cortar com a mão direita, e o árbitro carioca Rodrigo Nunes de Sá mandou seguir.

Outra vez Rodriguinho cobrou falta, mas a zaga do Santa Cruz afastou o perigo. A Cobra Coral tentou marcar o segundo gol com Robinho, que disparou de fora da área sem direção. Em uma bola na área do time paraense, Vinícius tirou de soco, um atleta da Cobra Coral caiu na área e a arbitragem mandou seguir o jogo.

No segundo tempo, o Remo voltou em busca do empate. Em uma bola na área, o atacante Isac tentou marcar de cabeça, mas a arbitragem viu falta no lance. O gol quase saiu quando Nininho cruzou da direita e a bola passou pelo atacante Elielton, assustando a defesa pernambucana. Em uma jogada de Fernandes e Isac, o Leão quase chegou ao empate, mas a bola foi para fora.

Outra chance azulina de empatar nos pés de Isac e o goleiro Tiago Machowski realizou a defesa. Só dava Remo, Elielton recebeu e chutou rasteiro para fora. Os remistas estavam sufocando o adversário e, em uma sobra, Fernandes acertou um belo chute de primeira, a bola passou muito perto da meta adversária. Blitz total, após cruzamento na área, o atacante Eliandro cabeceou e a bola caprichosamente explodiu no travessão do goleiro Tiago Machowski, em chance perdida pelo Remo.

O Santa Cruz quase não chegava à meta do goleiro remista. O time pernambucano ganhou uma falta perigosa quase que frontal. Na cobrança meio despretensiosa de Charles, a bola desviou na barreira e tirou a chance de defesa do goleiro Vinícius, 2 a 0, aos 47 minutos; festa total no Arrudão. Após o gol, houve muita confusão entre os jogadores reservas do Remo com a arbitragem. No meio do tumulto, o volante Vacaria, que estava entre os reservas, levou cartão vermelho. O árbitro terminou o jogo e ainda expulsou o volante Geandro, que teria aplaudido de forma irônica a arbitragem. Placar final: Santa Cruz 2 x 0 Remo.

FICHA TÉCNICA

SANTA CRUZ: Tiago Machowski; Vítor, Danny Morais, Augusto Silva, Allan Vieira (Eduardo Brito); Eduardo, Willian Maranhão (Charles), Arthur Rezende (Augusto); Robinho, Jailson e Pipico.
Técnico: Roberto Fernandes

REMO: Vinícius; Nininho, Mimica, Bruno Maia e Esquerdinha (Jayme); Geandro, Dudu, Leandro Brasília (Fernandes) e Rodriguinho; Elielton (Eliandro) e Isac.
Técnico: João Nasser Neto

Árbitro: Rodrigo Nunes de Sá – RJ
Assistentes: Silbert Faria Sisquim – RJ e Lilian da Silva Fernandes Bruno – RJ

Cartões amarelos: Arthur Rezende (Santa Cruz); Bruno Maia, Nininho e Geandro (Remo)
Cartões vermelhos: Vacaria e Geandro (Remo)
Gols: Pipico, aos 11 minutos do 1° tempo e Charles, de falta, aos 47 minutos do 2° tempo para o Santa Cruz

Local: Estádio José do Rego Maciel, o Arrudão, em Recife
Renda: R$ 122.291,00
Público: 14.782

Por Fábio Relvas
Foto: Paullo Allmeida/Folha de Pernambuco
Futebol

Paysandu fica no empate sem gols diante do CSA na Curuzu e sai vaiado de campo

O time bicolor não agradou sua exigente torcida, seguindo sem vencer por três rodadas
Continua depois da publicidade

Por Fábio Relvas
Foto: Fernando Torres / Ascom Paysandu

O Paysandu Sport Club não mostrou um bom futebol na noite deste sábado (16) e só empatou diante do CSA-AL, no Estádio Leônidas Castro, a Curuzu, em Belém. A partida foi válida pela 11ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B. Com o resultado, o Papão segue fora do G4 com 16 pontos, em 8° lugar, e sem vencer há três partidas, enquanto o CSA vai se segurando no G4, estando em na 4ª posição, com 20 pontos.

O Paysandu volta a campo pela 12ª rodada da Série B, diante do CRB-AL, no próximo sábado (23), às 21h, no Estádio Rei Pelé, em Maceió.

O jogo: Paysandu 0 x 0 CSA

As duas equipes queriam quebrar a sequência negativa na Série B e a primeira chance foi do Paysandu em bola parada, mas, na cobrança de falta de Dionathã, a bola passou sem muito perigo contra a meta alagoana. Após um vacilo da zaga bicolor, Daniel Costa quase abriu o marcador para o CSA, mas a bola foi para fora. Outra vez o meia Daniel Costa cruzou e a bola passou por todo mundo, se perdendo pela linha de fundo.

O time alagoano estava gostando do jogo; o atacante Hugo Cabral disparou um chute forte e a bola foi para fora. Os paraenses reagiram também com um chute de fora da área, desferido por Dionathã, mas o goleiro Mota mandou para escanteio. O Papão tentava chegar com bolas alçadas na área, mas Mota estava seguro, defendendo bem para o CSA. O time visitante também alçou bola venenosa na área, a qual Edimar cortou para escanteio, aliviando o perigo.

Na etapa final, o técnico Dado Cavalcanti, a pedido da Fiel Bicolor, mudou o meio-campo do Paysandu, tirando Danilo Pires e colocando Pedro Carmona em campo. Em uma falta cobrada pelo Papão, o atacante Mike quase aproveitou uma cochilada da zaga adversária, mas a bola foi para fora. Dionathã estava querendo marcar o seu gol e mandou um chutaço que parou, mais uma vez, na boa defesa de Mota, espalmada para escanteio.

A torcida sentiu que o momento era bom, incentivou nas arquibancadas e o time bicolor foi para a pressão. Após uma falha do goleiro Mota, o zagueiro Diego Ivo não aproveitou o lance e perdeu a chance de abrir o marcador; o time alagoano respondeu com Ferrugem, que fez jogada individual, mas a zaga bicolor aliviou o perigo. Em busca de vencer o jogo de qualquer maneira, o zagueiro Edimar preferiu arriscar de longe, mas errou o alvo. Final de jogo: Paysandu 0 x 0 CSA. A torcida bicolor vaiou o time na descida para os vestiários.

FICHA TÉCNICA

PAYSANDU: Renan Rocha; Matheus Silva, Edimar, Diego Ivo e Mateus Muller; Nando Carandina, Renato Augusto e Danilo Pires (Pedro Carmona); Cassiano, Dionathã (Moisés) e Mike (Magno).
Técnico: Dado Cavalcanti

CSA: Mota; Dawhan, Leandro Souza, Xandão e Echeverría; Edinho, Ferrugem (Taiberson) e Daniel Costa (Roger); Niltinho, Hugo Cabral (Yuri) e Michel Douglas.
Técnico: Marcelo Cabo

Árbitro: Bruno Arleu de Araújo (RJ)
Assistentes: Luiz Claudio Regazone (RJ) e Carlos Henrique Cardoso de Souza (RJ)
Cartões amarelos: Matheus Silva (Paysandu); Edinho, Leandro Souza, Dawhan e Niltinho (CSA)

Local: Estádio Leônidas Castro, a Curuzu, em Belém
Renda: R$ 40.250,00
Pagantes: 2.704
Sócio Bicolor: 1.626
Credenciados: 1.320
Total: 4.024

Futebol

Com dois gols de Cassiano, Paysandu vence o Boa Esporte e volta ao G4 da Série B

O Papão só precisou do primeiro tempo para vencer a equipe mineira e retornar ao G4
Continua depois da publicidade

Por Fábio Relvas
Foto: Fernando Torres/Paysandu

O Paysandu Sport Club voltou a vencer pelo Campeonato Brasileiro da Série B: em partida realizada na noite desta sexta-feira (1), o Papão derrotou o Boa Esporte-MG, por 2 a 0, no Estádio Leônidas Castro, a Curuzu, em Belém, e voltou momentaneamente ao G4 da competição, com 15 pontos conquistados, estando na terceira posição. A partida foi válida pela oitava rodada.

Os dois gols do Papão foram assinalados ainda no primeiro tempo, aos 5 e aos 38 minutos, ambos feitos pelo atacante Cassiano, que chegou ao vigésimo gol marcado com a camisa bicolor na temporada de 2018, somando Parazão, Copa Verde e Série B.

O Paysandu volta a campo pela nona rodada diante do Criciúma-SC, nesta terça-feira (5), às 19h15, no Estádio Heriberto Hulse, em Santa Catarina.

O jogo: Paysandu 2 x 0 Boa Esporte – Papão de volta ao G4!

O Paysandu entrou em campo em clima de Copa do Mundo, usando o uniforme comemorativo com as cores da Seleção Brasileira. A primeira investida do Papão resultou em gol: após cruzamento na área, o atacante Cassiano desviou para o fundo do barbante, abrindo o placar logo aos cinco minutos de bola rolando, 1 a 0. O Boa Esporte começou a reagir e quase empatou com William Barbio, em uma bola que desviou na zaga e quase enganou o goleiro Renan Rocha.

A equipe mineira chegou com perigo outra vez, quando Machado recebeu de frente para marcar, mas parou na boa defesa de Renan Rocha. O time bicolor era mais eficiente e Cassiano apareceu para decidir, recebendo, dominando e chutando sem chances de defesa para o goleiro Fabrício, 2 a 0, aos 38 minutos; festa bicolor na Curuzu.

No início da segunda etapa, a partida caiu de rendimento e os goleiros pouco trabalharam. A exceção foi quando William Barbio recebeu passe dentro da área e adiantou muito a bola, que ficou nas mãos do goleiro bicolor Renan Rocha. Os dois técnicos mexeram em seus times, mas pouca coisa mudou e a partida não evoluiu.

Quem quase chegou a marcar novamente foi o atacante Cassiano, que recebeu passe e finalizou de dentro da grande área; a bola explodiu na trave, no que seria chamado “hat-trick” do artilheiro do Papão. Placar final: Paysandu 2 x 0 Boa Esporte.

FICHA TÉCNICA

PAYSANDU: Renan Rocha; Matheus Silva (Maicon Silva), Edimar, Douglas Mendes, Diego Ivo e Carlinhos; Renato Augusto, Alan Calbergue (Cáceres) e Thomaz; Mike (Claudinho) e Cassiano.
Técnico: Dado Cavalcanti

BOA ESPORTE: Fabrício; Erick, Gustavo Geladeira, Caíque e Elivélton; Amaral, Machado (Genesis), Thallyson (Leandro Canhoto) e Alyson; William Barbio (Bruno Tubarão) e Douglas Baggio.
Técnico: Daniel Paulista

Árbitro: Alexandre Vargas Tavares de Jesus (RJ)
Assistentes: Wendel de Paiva Gouvêa (RJ) e Thiago Rosa de Oliveira (RJ)

Cartões amarelos: Mike e Matheus Silva (Paysandu)
Gols: Cassiano, aos cinco e aos 38 minutos do 1° tempo para o Paysandu

Local: Estádio Leônidas Castro, a Curuzu, em Belém
Renda: R$ 73.700,00
Pagantes: 4.881
Sócio Bicolor: 3.000
Credenciados: 1.320
Total: 6.201