Marabá

Crianças e jovens de Marabá participam de greve mundial nesta sexta-feira

Rios de Encontro, projeto eco-pedagógico e socioambiental enraizado na comunidade de Cabelo Seco desde 2008, entrou num nova fase de formação arte-educadora nos últimos dois meses. Pela primeira vez, seu Coletivo AfroRaiz assumiu a coordenação de um projeto inteiro, Viva Amazônia Viva!, realizando oficinas de formação artística e plantando jardins medicinais nas escolas Irmã Theodoro (Liberdade), Paulo Freire (Novo Horizonte), Darcy Ribeiro (Liberdade) e Basílio Miguel (Amapá). Financiado pelo prêmio regional de Itaú Unicef, o projeto culminará com apresentações artísticas nas escolas e suas comunidades na última semana de abril.

Além de assumir responsabilidade pela gestão, produção e formação do projeto, o Coletivo AfroRaiz nessa semana vem se preparando para participar na Greve Mundial Escolar de Ação pelo Meio Ambiente, nesta sexta-feira, dia 15 de Março, inspirada pela aluna Greta Thunberg, 15 anos de idade, da Suécia. O movimento global infantil está sendo reconhecido por cientistas como “a melhor e última chance para salvar o mundo”.

Paralelamente, no dia 15 também, a coordenação adulta do Rios de Encontro lançará um laboratório de energia solar na Escola Municipal Claudio Pinheiro de Lima, em Moeda, Minas Gerais, a 20 minutos de Brumadinho, local da tragédia ambiental causada pela Vale de Rio Doce, no 25 de janeiro de 2019. Artistas de Nova Zelândia, inspiradas pelos jovens de Cabelo Seco, doaram as placas para cultivar Educação pela Sustentabilidade.     

“Estou super feliz que a colaboração entre AfroRaiz de Rios de Encontro e nosso projeto Conexão Afro está entrando em seu segundo ano”, diz a professora Doelde Ferreira, da Escola Irmã Theodora. “No ano passado, nossas apresentações na escola, na Câmara Municipal e no Shopping Pátio Marabá, derrubaram preconceitos racistas e fortaleceram orgulho de ser afro-descendentes e igualdade de raça”.

“Estamos adorando a responsabilidade”, declara Elisa Dias (22 anos), percussionista advogando em defesa da Amazônia desde a primeira noite do Projeto, em 2009. “Nosso coletivo está transformando desafios cotidianos que professores e alunos sofrem na educação pública e nas nossas comunidades afro-indígenas. Na greve mundial nesse dia 15, vamos realizar uma celebração ambiental, apresentando as artes e plantas medicinais como afirmação da sabedoria amazônica em risco! E noutro lado do Brasil, nosso projeto está lançando um laboratório de educação pela sustentabilidade”, celebra ela.  

Entenda a greve

Em mais de 70 países, crianças e jovens estão entrando em greve nessa sexta-feira para denunciar os responsáveis pelo aquecimento global, que vem aumentando cada vez mais, prejudicando a vida de sua geração e o futuro da Terra.

O Coletivo AfroRaiz, do Projeto Rios de Encontro, junto com integrantes do projeto Conexão Afro da Escola Irmã Theodora, convida todos as crianças e jovens de Marabá para participar em solidariedade à Amazônia, para preservar a Mãe Natureza e todos seus povos do planeta.

A manifestação será realizada na praça do Bairro da Liberdade, iniciando as 15h30. Os participantes podem levar poemas, danças, cartazes, músicas para inspirar os políticos do mundo a assumirem sua responsabilidade adulta. “Para fazer seus deveres como nós fizemos o nosso. Aquecimento global não é uma ficção. Já está sendo nossa realidade e quando nos tornarmos adultos, queremos viver bem. Quem acaba com Amazônia, acaba com o ar e a chuva, os pulmões e a saliva do mundo”, alerta Elisa.

Mais informações sobre a programação podem ser obtidas com Elisa Dias (94 99255-9630) e professora Doelde Ferreira (94 98401-1597).

Deixe seu comentário