Coronavírus: Marabá suspende aulas e cancela atividades culturais e esportivas

Várias medidas no âmbito da Saúde Pública também foram anunciadas hoje, como a suspensão de visitas aos hospitais, por exemplo. Durante coletiva, vários secretários anunciaram ações preventivas
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

A Prefeitura de Marabá está adotando uma série de medidas preventivas contra a pandemia de coronavírus, as quais abrangem os setores da Cultura, Esportes, Educação e, principalmente, Saúde. Essas providências foram anunciadas na manhã desta quarta-feira (18), em coletiva à Imprensa local.

O primeiro a se manifestar foi o chefe de Gabinete, Walmor Costa, que falou sobre as notícias falsas que vêm circulando em grupos de WhatsApp e redes sociais, dando conta de casos da doença em Marabá. Garantiu que, até aquele momento, assim como no restante do Estado, aqui não havia sido registrado nenhum caso de coronavírus.

Primeiro a se manifestar, o secretário municipal de Cultura, José dos Santos Scherer, anunciou que toda a programação em comemoração do aniversário dos 107 anos de emancipação político-administrativa do município, que aconteceria na primeira semana de abril, não vai mais ocorrer.

Em seguida, o secretário de Saúde de Marabá, Luciano Lopes Dias, falou primeiramente em termos gerais sobre a doença, informou que os exames para detectar se a pessoa está acometida ou não de coronavírus são feitos em apenas dois laboratórios, ambos de Belém: o Laboratório Central do Estado e o Instituto Evandro Chagas. O resultado sai em 72 horas. Ele ressaltou que os três sintomas da doença são: febre, tosse e falta de ar quando se apresentam ao mesmo tempo.  

A seguir, Luciano divulgou a série de medidas preventivas elaboradas pela Secretaria Municipal de Saúde, as quais terão vigor durante os próximos 30 dias:

– Estão suspensas as visitas nos hospitais municipais, inclusive as de acompanhamento de parto no Materno-Infantil.

– Estão suspensos, os estágios supervisionados de auxiliares de enfermagem, técnicos de enfermagem, enfermeiros e médicos, a fim de diminuir o número de pessoas em circulação tanto no Hospital Municipal quanto no Materno Infantil.  

– Estão suspensas todas as ações extramuros, à exceção daquelas destinadas aos desabrigados da enchente.

– Estão suspensas as cirurgias eletivas, com o objetivo de dispor de leitos para internação no caso de paciente que venha a ser acometido da doença em seu estágio mais agudo.

– As consultas no CEI (Centro de Especialidades Integrado) e no Crismu (Centro de Referência Integrado da Saúde da Mulher), sobretudo aquelas que envolvam idosos e crianças, mais suscetíveis ao coronavírus, estão sendo reagendadas, para evitar que essas pessoas saiam de casa. Cinquenta por cento das consultas eletivas também estão sendo adiadas a fim de evitar a aglomeração de pessoas no CEI.

Luciano Dias esclareceu que, de acordo com dados do Ministério da Saúde, de 100 casos de suspeitas da doença, 80 são descartados e, dos 20 restantes, 17 são tratados com isolamento domiciliar e apenas 3 são casos de internação.

O secretário de Saúde orientou as pessoas que, por acaso, suspeitem que estão contaminadas pelo vírus, que liguem para o Samu-192. Elas serão entrevistadas pelo médico regulador, que confirmará ou não a suspeita pelos sintomas informados.

Caso sejam os sintomas sejam o do coronavírus – febre alta, tosse e falta de ar – o paciente é orientado a ficar em casa. A Vigilância Epidemiológica será informada e uma equipe irá até o paciente coletar material para exame.

No caso de o paciente procurar um posto de saúde, o material será coletado e a pessoa aconselhada a guardar isolamento domiciliar. Mesmo procedimento a ser adotado se a unidade de saúde for o Hospital Municipal, onde uma área está sendo preparada para atender, fora da Recepção, as pessoas com sintomas do coronavírus.

Em caso extremo, além dos leitos já reservados no Hospital Municipal, afirma Luciano Dias, haverá também leitos no Hospital Regional e no Hospital de Guarnição de Marabá.

O secretário de Saúde de Marabá adiantou que já entrou em contato com a Infraero (Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária) a fim de que o órgão libere as listas de passageiros que chegam a Marabá de outros Estado, sobretudo aqueles que já registram casos do coronavírus, para que estes sejam orientados quanto à prevenção.

A secretária municipal de Educação, Marilza Oliveira Leite, comunicou que se reuniu com a Conselho Municipal de Educação para expor as medidas que seriam anunciadas hoje, e teve aprovação unânime.

Ela anunciou que, a partir de sexta-feira (20), as aulas estão suspensas nas redes municipal e privada de ensino pelo período de 15 dias. Marilza Leite antecipou, entretanto, que, quando a suspensão completar 12 dias, nova reunião será realizada para, conforme o comportamento da doença no País e no Estado, avaliar se a suspensão será prorrogada ou se encerra. Na rede municipal estudam hoje 54 mil alunos.

A secretária de Educação fez um alerta: disse que a suspensão das aulas não são férias e sim uma medida de prevenção, por isso, os pais devem manter seus filhos em casa e não levá-los a cinemas, shoppings, parques e outros locais de aglomeração de pessoas. Marilza Leite garantiu que os 200 dias de aulas do ano letivo serão cumpridos, apesar da paralisação.

Eloi Silva Ribeiro, secretário de Esportes de Marabá, também anunciou que todas as competições alusivas ao aniversário de Marabá foram canceladas, até porque, nessas ocasiões, a cidade recebe atletas de outros Estados.

Por Eleuterio Gomes – Correspondente do Blog do Zé Dudu em Marabá 

Publicidade